terça-feira, 31 de março de 2009

O Perdão...



Crédito para as fotos.

“O perdão é o primeiro passo para a cura...”

Ontem fui a uma apresentação de um grupo de danças e músicas indianas. Houve também uma meditação e nela além de localizar os chacras, foi ensinado a se perdoar e a perdoar os outros.
Estou citando este acontecimento porque observei uma sincronia com o que aconteceu ontem e hoje. Parecem não ter nada a ver, mas deu uma ordem interna ao que penso e escrevo aqui.
Para escrever, leio blogs, converso com as pessoas, escuto músicas, observo o comportamento de May(a gatinha) que hoje está impossível, vejo desenhos animados, vejo noticias nos jornais da TV. Só então começo escrever.
Posso começar um texto e no meio perceber que o assunto não foi uma boa escolha e começo tudo novamente. Hoje foi assim. Fiz até um roteiro e acabei desprezando-o, para escrever sobre este sentimento. Pode não aparentar mas, mas é a chave para que haja um equilíbrio, uma reorganização interna em nosso estar no mundo. Claro que isto vai depender e muito dos nossos valores internos. Do que aprendemos durante o nosso desenvolvimento. Mas podemos muito bem acrescentar aquilo que ficou faltando. Ou aquilo que agora nos faz falta. Podemos parar de colocar a culpa de nossos erros em quem nos educou ou pensou que fez. Não acham que já estamos bem grandinhos para nos responsabilizarmos por nossas ações? Pois então, um pouco de humildade e reconhecimento de que algumas coisinhas, precisam ser acrescentadas ao que sou para que a minha vida seja mais feliz. Um perdão a si mesmo e ao outro são, são ingredientes perfeitos para exemplificar. Quer que a sua vida vá para frente e que a sua paisagem mude para melhor? Experimente um pouco de perdão. Ele pode ser o primeiro passo. Pois foi assim que terminou o desenho de hoje: com o título deste texto. Em perfeita sincronia com o que penso, com o que vi ontem, hoje e posso sentir agora...

segunda-feira, 30 de março de 2009

Minha outra janela...


Minha outra janela...
Penso que não podemos ter uma só janela para olhar a vida, a rua, o mar, o céu. Porque a variedade de janelas vai me fornecer vários ângulos do que posso ver. E com esta variedade vai ser possível escolher qual a melhor para ser olhada, apreciada no dia. Pode ser que desejo ver, fotografar, olhar um por do sol. Ou quem sabe um nascer do sol com tudo que isto implica: levantar mais cedo, esperar que o sol esteja do jeito que desejo na foto. Vale o mesmo para o por do sol. Que conforme já expliquei aqui, devido à dança do sol, ainda não é possível ter fotos bonitas. Aliás, nesta época o nascer do sol não é tão bonito. O por do sol, sim esta maravilhoso, mas vai ficar mais ainda. Basta esperar mais um pouco. Tudo tem seu tempo certo. Mas como estava dizendo é sempre bom ter mais de uma janela para olhar. No sentido metafórico também. Vai que a vista desta minha janela já não está me proporcionando uma visão adequada e que estou me sentindo infeliz olhando por ela. Hora de mudar. De estar pronta para descobrir outro ponto de vista, outro jeito de ver a paisagem. Toda mudança e vale até para as janelas, implica perda e ganho. Geralmente não sabemos muito lidar com perdas. Mesmo que hajam muitos ganhos. É esta mania de querer ver sempre a mesma coisa. Rotina pode até salvar mas pode tornar invisível o que mais amo. Meu anseio por ser surpreendida, por exemplo. Que pode ser por uma conversa no ponto do ônibus ou dentro dele. Como foi hoje. Uma criança chorando ao ser levada para aula. Queria a presença do pai. Situação que já enfrentei muitas vezes e todas as mães que levam os filhos para a aula. Por que a mãe sempre fica com a pior parte? Sempre questionei isto. A resposta que tinha: “Você tem mais jeito para lidar com esta situação.” Será? Será que tenho mesmo mais janelas por onde olhar ? Ou será que me preocupo em ter sempre mais de uma resposta para uma mesma solução? Um caso a pensar.Esta é uma nova janela por onde olho agora...

domingo, 29 de março de 2009

#A hora do Planeta...


#A hora do Planeta...
Bem agora é hora de compartilhar como foi o dia e a espera desta hora. Não sei porque “cargas d’água” levantei pensando que sábado era domingo. 04 calendários aqui na escrivaninha e isto não adiantou. O que está por dentro é que manda. Até que gostei desta constatação, mas não ontem. Liguei para o petshop e como ainda estava em dúvida, perguntei que dia era. Quem atendeu deve ter achado que era mais uma doida ligando para o lugar errado. Hehe! Não era o caso. Estava só querendo me orientar e marcar um horário para dar um banho e cortara unhas de May. E o dia prosseguiu com a impressão de estava em dia errado. Vai saber... Eu não sabia.
À noite, fui ler as mensagens do Twitter para me informar o que estava acontecendo. Umas pessoas se preparando e outras com experiências hilárias, contadas pela Rosana no blog do Querido Leitor e outras com desconfiança que o mundo não é igual.
Por aqui tudo certo. Na hora certa, computador e luzes desligadas. Só o freezer e a geladeira ligados. Acendi minha velinha que por acaso é pequena mesmo e fiquei no breu do apartamento. O que não tem nada de breu. Ficou iluminado pelas luzes externas. Aqui no prédio, quase todas as luzes estavam apagadas. Coincidência ou não, fiquei feliz.
Com as luzes apagadas e uma velinha, fiquei trançando pelo apartamento e tropeçando na May que insistia em ficar me acompanhando entre uma janela e outra. Fora as outras vezes em que deitei no sofá para esperar a hora passar. Tenho certeza que seria diferente se meus filhos estivessem aqui. Mas tenho certeza que vão dar muitas risadas. Vamos lembrar quando isto de escuro acontecia e ficávamos, os três e uma vela trancados no quarto brincando de sombras na parede. Hehe! Boas lembranças.
Pode ser que para alguns não foi a #a hora do Planeta e sim #a hora do capeta. Rsrs!
Cada um tem uma experiência para contar. A minha foi esta. Gostei de participar. Por mais que haja crítica e sempre tem. Gostei de ver o Cristo redentor desligado. Sabe como é? Sentir que você faz parte de uma rede. Que você é apenas um grãozinho de areia e que a sua atitude é importante para você e um exemplo para quem está por perto. Pensa que está sozinho? Que não tem alguém te olhando? Tem. E é isto. Esta consciência de sempre posso fazer diferença com as minhas atitudes e palavras. Seja lá sobre que assunto for. Amém!...

sábado, 28 de março de 2009

Cúrcuma ou Açafrão...


Cúrcuma ou Açafrão...

Foi o grande achado da minha vida. Nossa, sabe quando você começa a se sentir em paz com seu corpo e com a sua comida? Pois foi exatamente isto que aconteceu comigo. Primeiro comecei a buscar outras formas de alimentar. Diferentes das que estava acostumada, que era muita carne. Aliás, era carne sem piedade. E como tudo que é demais não presta, resolvi ter uma alimentação mais equilibrada. Tudo nos conformes. Então comecei a explorar os sabores e as opções. Amo feijão e já que tinha diminuído o consumo de carne, nada como experimentar os vários tipos de feijões: branco, preto, verde, carioca, azuqui. E ainda lentilhas, ervilhas, grão de bico e outros grãos. Só não gosto de soja. Embora tenha experimentado de várias formas não fui seduzida por ela. Nem pelo leite. Bom então foi um tal de experimentar receitas que não teve fim. Ah, teve sim. Os gases que os feijões provocam. Santo Deus! O que era aquilo? Para ter uma resposta fui variando as formas de fazer e usando as dicas mais doidas. Nenhuma delas adiantou. Até que li sobre o Açafrão: auxilia a digestão, colesterol alto, má circulação, etc, etc...
Resolvi colocar no feijão e resolveu. Nunca mais gases. Com uma colherinha de café cada vez que fizer o feijão ou esquentar. Pápum! Um achado que nunca mais abandonei. Uma experiência que estou compartilhando. Pois muitas pessoas adoram feijão, feijoadas e evitam comer, devido aos gases provocados. O que são mesmo muito desagradáveis. Claro que existem outros alimentos que provocam gases, mas só testei nos feijões. É isto. O por que deste assunto? Por causa dos alimentos mencionados no texto anterior como “Fibras solúveis”. Espero ter ajudado de alguma forma. Comer bem faz parte do sentir-se bem. Concordam?...

sexta-feira, 27 de março de 2009

Fibras na Alimentação...




Fibras na alimentação...
Todos nós sabemos que ela é necessária na alimentação e ... esquecemos. Depois de estarmos nos sentindo muito mal devido a este “esquecimento”, vamos correr atrás do prejuízo. Isto não é terrível?... Todos nós conhecemos pessoas, temos amigos que fazem isto. E mais uma receitinha fácil para guardar na geladeira e colocar na comida?
Fica com um cheirinho muito bom por causa do gergelim. Então vamos a ela:


Farinha de gergelim com linhaça:(primeira foto)
- 200g de gergelim (terceira foto)
- 200g de linhaça (segunda foto)
- 01 colher (chá) de sal marinho.
- Colocar numa panela mais grossa (de ferro) o gergelim e ½ colher de chá de sal marinho, em fogo alto, depois que esquentar, abaixar o fogo. Misturar até você perceber que está torrado. Com um cheirinho bom.
- Fazer o mesmo com a linhaça.
*Depois de torrados, deixar esfriar e bater no liquidificador, separadamente. Misturar deixar esfriar e guardar na geladeira. Quem tiver pote de vidro, melhor ainda do que de plástico.

Observação:
Coloquei o gergelim misturado com a linhaça para ficar mais gostoso e mais cheiroso.
Quem quiser usar separado, não tem problema. Funciona do mesmo jeito. Estas são as fibras insolúveis.

Fibras Solúveis:(25 a 30g por dia)
*Feijão
*Lentilha
*Aveia
*Laranja
*Maçã
-"Estas fibras têm pequeno efeito na evacuação mas previnem a rebsorção do colesterol encontrado na bile e que é usualmente reabsorvido pelo corpo. Elas previnem esta absorção a fim de que mais colesterol seja perdido nas fezes e menos colesterol seja retornado para a corrente sanguínea." Irleide Bitencourt - Nutricionista - CRN-1630

quinta-feira, 26 de março de 2009

Conciência Ecológica...



Ontem ao começar as ler os textos dos blogs adorei o texto da Cristiane. Todos nós procuramos alternativas que poupem o meio ambiente. Quando você já encontra pronto para comprar, melhor. Se não a alternativa é mesmo descobrir maneiras de fazer isto com amigas e com pessoas que também é preocupado com isto. Como por exemplo o Ecoblogs, com a Carol, a Denise e a LadyBug que escrevem e dão dicas excelentes sobre o assunto. Bom tenho as minhas receitinhas particulares que são muito boas também. Descobertas sem querer. Experimentando já que a situação estava preta. Por exemplo: um dia encontrei meus sanitários cheios de um mosquitinho. Um inferno. E não adiantava jogar veneno. Aqueles para barata, muriçoca (pernilongo). Então experimentei fazer um chá bem forte de cravo. Depois coloquei a mistura em uma garrafa de álcool líquido. Deixei alguns dias e depois acondicionei em um frasco usado de “passa roupa” ou de “limpa vidros”. Foi um sucesso. Os danados sumiram. Nunca mais deram as caras.
Uma outra receita muito eficiente também é feita com:
- ½ litro de água
- ½ litro de vinagre de álcool
- 04 colheres (de café) de bicarbonato
- Misturar o bicarbonato na água e depois acrescentar o bicarbonato e em seguida o vinagre. Você pode colocar esta mistura mágica em antigos vidros de “lava louças”. Fica ótimo porque sai na quantidade certa.
- Esta mistura serve para:
* Limpar pia
* Limpar fogão
* Limpar vidro e azulejos.
O vinagre pode ser usado puro também, caso você não tenha bicarbonato.
Mais usos do vinagre:
*Colocar junto com o sabão em pó para potencializar o sabão.
*Colocar no vaso sanitário, deixar um tempo e depois acrescentar o bicarbonato. Isto substitui o uso do água sanitária, segundo a Denise. Ela tem alergia ao produto e foi preciso descobrir uma alternativa.

Para substituir o amaciante, uso o álcool líquido. Uma xícara (chá) para a máquina cheia e ½ xícara para a metade.

Uso as sacolas reutilizáveis para as compras de supermercado e para as de shopping também. Nunca mais sacolas de plásticos, caixinhas inúteis, lixos e mais lixos.
E sempre brinco com as vendedoras das lojas: “Já comprou sua consciência?”. É porque na sacola está escrito: “Consumidor Consciente” E elas dão risadas, mas tenho certeza que pensam no assunto. Já que me recuso a levar qualquer sacola ou embrulho de papel. Hehe!
E não é que descobri que a “Scala “ está fazendo calcinhas ecológicas? Pois é. Com fibra de bambu. Isto não é um post pago. Achei interessante e quero dividir com vocês.
Ah, a sacola dela é com papel reciclado. Já é hora de acordar, certo?

Espero ter de alguma forma, ajudado no conhecimento de alternativas para nós que estamos sempre envolvidas com o assunto limpeza...

terça-feira, 24 de março de 2009

Frases soltas e...


Frases soltas e...
Já escrevi sobre isto aqui mas é um assunto tão fascinante que sempre há algo de novo para acrescentado. Prestando atenção aos comerciais posso perceber como certas frases resumem nossos pensamentos... E é isto que a propaganda aproveita para associar ao produto vendido. Assim as frases grudam nos seus ouvidos e acabam por povoar seus escritos.
As propagandas de tênis, cerveja, telefonia, chocolates, etc utilizam estas associações e olha você se expressando com as tais frases ou músicas. Existem mesmo propagandas muito bem pensadas e planejadas. Como tem as porcarias também. Que poderiam ser evitadas para não poluírem nossos ouvidos e olhares. Já que somos bombardeados intensamente por elas, que pelo menos sejam de bom gosto e inteligentes. Certo? Alguma coisa que te faz pensar além da propaganda. Sabe como é que é? Alguma frase ou música que encaixe com o seu pensamento do dia. E você pensa que eles não existem? Engano seu. Leia estas últimas que ouvi hoje:
“Experimente a vida!” numa propaganda de tênis e “Vai ser feliz!” numa outra propaganda...Como se de uma certa forma estivéssemos esquecendo de fazer isto. E será que não estamos mesmo? Então penso nisto. Se forem inteligentes e de bom gosto, servem até para nos tirar da letargia do dia a dia e nos fazer pensar melhor. Ou quem sabe, repensar o que normalmente faço ou penso.
Não sei se isto acontece com você mas estou sempre ligada nestes pequenos insigts. E adoro quando elas provocam uma sequência inesperada de pensamentos felizes. Que me fazem ficar rindo sozinha feito uma maluca. Rsrs! Ou então me faz acordar para novas possibilidades que não estava percebendo antes.
Gente, se tem uma coisa que amo de paixão, são as novas janelas e portas que se abrem em minha vida. Tal qual estas janelas encantadoras com as flores que mais gosto para enfeitá-las. Um presente uma pessoa muito, muito especial. Que tem uma casa com receitas ótimas e saudáveis para o dia a dia. E quem sabe também tenha gerânios nas janela...

segunda-feira, 23 de março de 2009

A imaginação...





E o dia hoje amanheceu assim...

“... a imaginação aumenta os valores da realidade.” Gaston Bachelard

A imaginação faz muitas coisas inclusive pode trabalhar contra você se tem expectativas catastróficas a re speito de tudo. Ah, sou uma “otimista de plantão”. Sempre consigo ver os dois lados das situações e torcer para que ocorra o melhor. Torcer para que ocorra o pior só em caso de cinema, novela, malfeitores, político ladrão e corrupto. Nas ocorrências normais estou sempre pensando no melhor para as pessoas. E também gosto de partilhar experiências que fizeram este meu lado otimista e animado fazer diferença. Pois é, como disse no texto passado tive que trocar minha aula de Pilates por Musculação. Claro que não é a mesma coisa. E é também claro que vou ter ganhos diferentes e ótimos. Hoje foi a minha segunda aula e cheguei em casa bem cansadinha. Normal. Vou me acostumar aos poucos. E quer saber? Estou feliz com a minha troca. Meu instrutor é um fisioterapeuta. Estou bem assessorada. Certo Danilo?

Sempre que fico sem referências para lidar com um assunto, é normal que eu fantasie um pouco. Nada exagerado. Um pouco de criatividade para alegrar o ambiente. Por exemplo, não sei nada de sobre gatos. Só o que leio e o que as pessoas me contam. Então observo May dormindo deste jeito no chão e fico pensando: “Ela mudou o jeito de dormir agora, antes era uma bolinha. Quer dizer, em 360°.” Acredito que por estar fazendo mais calor, resolveu mudar a posição. Umas coisas bestas mas que me chamam a atenção pelo inédito da situação: nunca ter tido um gato antes. E mais, ela não tem 01 ano ainda. Que é quando as rações mudam. Como fiquei sabendo? A vendedora do supermercado me informou. Fiquei pensando nos meus filhos. Quando veio o primeiro, o que fiz de imediato foi comprar um monte de livros e mesmo assim ficar pirada com cada situação diferente. Gente, é difícil mesmo. E nem mesmo os livros nos livram das culpas, dos erros, das situações ridículas nos consultórios do pediatra. Do tipo “Meu filho não quer comer. O que é que vou fazer?” É um tempo de aprendizagem e descoberta. O filho é a cobaia. Então concordo que no caso da pessoa resolver ter filhos, que passe por algumas noções básicas. Vai fazer bem para a mãe e para o filho, não é mesmo? Só agora com os meus filhos criados fui pensar nisto. Devaneios olhando a gatinha...

domingo, 22 de março de 2009

Texto & Pretexto...


Texto & Pretexto...

“Texto & Pretexto”
“O tema é um ponto de partida para um poema e não um ponto de chegada, da mesma forma que a bem-amada é um pretexto para o amor.” Mario Quintana – p. 59 do livro Caderno H.

Pensando bem, nossos temas podem ser um ponto de partida para o amor e não um ponto de chegada. Então estou mesmo pensando em uma história de amor. Uma história que ela contou em três partes. Para quem não acredita que o amor exista, vá conferir. Está tudo lá. Com todos os suspenses, dúvidas e realidade que não é a virtual. E fico muito feliz que as pessoas consigam amar. Amar com suas diferenças e igualdades. Pois só assim existe uma verdadeira troca, um aprendizado de vida de emoções. Estes são os detalhes da vida. Os detalhes que fazem toda a diferença. Um amor que começou e que agora é compartilhado com os devidos detalhes. Insinuados com comentário carinhosos e um estar feliz. Reproduzidos aqui me informando que já terminou de contar sua história de amor. Discordo um pouco. D, não terminou mas começou a viver sua história com todos os pingos nos is, parágrafos, virgulas, pontos, e reticências que o amor precisa para ser verdadeiro...

Para facilitar a vida...
O que você faz? Escolhe um tema de cada vez ou vive sem fazer planos sem escolher as palavras e os sentimentos para enfeitar um texto, por exemplo. Planos de longo alcance não são o meu forte. Gosto muito de uma improvisação. Aliás a improvisação é o que mais faço. Pode até chamar isto de viver perigosamente. Já que viver é mesmo um risco. Mas não custa dar uma efeitadinha. Uma arrrumada para organizar pelo menos os pensamentos e dizer o quanto é agradável te receber aqui. O quanto é bom ter suas palavras enfeitando os comentários. Já que você os enfeita tão delicadamente e me encanta cada vez que vem por aqui.
Então chamo isto de facilitar a vida. De colocar óleo nas catracas do grande robô da comunicação. Quem não gosta de ser bem tratado? Quem não gosta de ser bem recebido?
E isto você é. Você faz parte do que escrevo, do que penso. Porque o tema é escolhido com carinho para chegar até você. O tema é o pretexto para chegar até você...

sábado, 21 de março de 2009

Desafios...


Desafios...
Penso que todo ser humano enfrenta desafios todos os dias. Os meus costumam ser do tipo e agora? Fazer o que? Começar de onde? Talvez até tenha uma certa dificuldade para mudar de opinião de uma hora para outra ou resolver o que fazer em questão de segundos. E me vi em maus lençóis por causa disso. Se alguém me chama para sair, vou me arrumar com antecedência. Caprichar no visual se possível. De repente a pessoa me liga dizendo que não pode vir me buscar. Tenho que pegar um taxi. Nada demais. Só que achei que era sim. Sei lá o que se passou na minha cabeça. Não fui ao compromisso. O que aconteceu depois nem é bom lembrar. Mas aprendi que vou ter sempre que lidar com esta situação. Não adianta querer fingir que não existe. Está aí e é bom que esteja sempre pronta para ter respostas pelo menos criativa e a meu favor. Pois é. Na sexta- feira, resolvi testar um novo exercício. Com muito pesar. Adoro Pilates e não gostaria de parar de fazer. Ah, mas não foi possível continuar. Resolveram “climatizar” a sala onde se faz os exercícios. O resultado? Pés gelados e olhos de zumbi. Fiquei muito chateada. Conclusão, não posso deixar de fazer exercícios físicos, pensei em experimentar musculação. E começou a conversa interna: “Vou ou não vou? Este tempo está horrível.” Desci até a portaria e tive que voltar. Tinha esquecido a sombrinha. Fui buscar. Saí armada de sombrinha. E a chuva começou. No final da rua percebi que não ia dar para chegar até o ponto de ônibus. Ai,ai,ai! Voltei para o prédio e lembrei de uma moradora que tinha me oferecido carona dias destes. Perguntei ao porteiro se ela já tinha saído, ele disse que não. Beleza! Ganhei uma carona e expliquei a ela o que estava fazendo. Achei graça porque ela me sugeriu ir agasalhada para aula. Mas não entrei em detalhes. Sorri porque pensei que teria de usar um protetor para os olhos(máscrara). Iria ficar um belezinha. Fazer exercícios toda embrulhada e ainda por cima uma “cegeta” com aqueles protetor de olhos para dormir. Estou rindo muito só de escrever esta doidice aqui. Kkkk! Mas enfim cheguei até o prédio onde fiz a musculação. O professor? Muito simpático e atencioso. Adorei a aula. Obrigada Leo! Segunda-feira a gente se vê! Então é assim que as situações me acontecem. Imprevisíveis. Ainda bem que tenho o hábito de rir das coisas que me acontecem. Que no mínimo são surreais...

Este texto foi inspirado num texto que a Sílvia me mandou: “Lidando com desafios” – Luciana Campaner

sexta-feira, 20 de março de 2009

Pesadelos e devaneios...


- O amanhecer de hoje. Dia 20 de março de 2009 - 5:00horas da manhã. Primeiro dia do Outono.


Pesadelos e devaneios...

Este foi o título do desenho do Avatar – A lenda de Aang de hoje. E foi muito bom porque foi sobre um problema que sempre enfrentamos com nossos filhos. E geralmente não sabemos o que fazer. Gente, quem nunca acordou com o filho chorando de noite e dizendo que está com medo. E se recusa a dormir. Mas fiquei muito feliz ao verificar que uma técnica que inventei para eles se tranqüilizarem e voltarem a dormir funciona. E foi mostrada no desenho. Nossa ! Para quem não viu o desenho, trata-se do seguinte: o Avatar estava para ter uma luta, então ele treinou e treinou. Mas precisava dormir para descansar. Não conseguia. Tinha pesadelos e neles na hora de lutar estava sem calças. Assim achou que a forma de não ter mais pesadelos, era não dormir. Seus amigos ficaram muito preocupados. Ele não dormia e nem deixava os amigos dormirem. Até que ele descobriu que era só entrar no pesadelo e modificar o enredo. Poxa! Lembro do dia em que ensinei meu filho a fazer isto. A carinha de satisfação dele.
-“ Mãe, então posso entrar no meu sonho?” –“Claro, filho! O sonho ou melhor, o pesadelo não é seu?” – “Sinta o prazer de fazer a mudança que quiser.”
Ah, mas demorei um pouco até achar isto. Ficava com a maior pena. Ficava deitada na caminha dele. Mas, só deu certo mesmo quando o poder de modificar foi descoberto. Pequenas coisas que fazem uma grande diferença. Ainda mais quando você esta com muito sono e seu filho não consegue dormir. Claro que podemos também nos sentirmos culpadas. Sabe como é? Não saber o que fazer e chamar a velha companheira de estrada. Por que mãe sempre faz isto? Ah, talvez você não tenha feito isto. Mas fiz e muitas vezes. Claro que não adiantou. Esta é só uma confissão besta de mãe que quer sempre agir de forma acertada para educar os filhos...

quinta-feira, 19 de março de 2009

Então amanhã começa o outono...


Então o Outono começa nesta sexta-feira.
E hoje é também dia de São José. Padroeiro dos Artesãos e com uma forte crença de que se chover neste dia a colheita de milho vai ser farta.
Acredito que herdamos um grande número de crenças de nossos pais. Umas levamos pela vida e outras vamos deixando pelas esquinas. Sem nem lembrar como apareceram em nossas vidas. O santo mais popular na minha terra, quando era criança, era santo Antonio. Que apareciam até nas nossas brincadeiras de casinha. Quando acendíamos o fogãozinho de tijolos, havia uma fumaceira sem fim. Que fazia os olhos ficarem cheios de lágrimas por causa da fumaça. Para espantá-la ficávamos dizendo como num mantra: “Fumaça prá lá e Santo Antonio prá cá.” Ah, não lembro se funcionava. Provavelmente sim porque fazíamos comidinhas. Ai, ai! Foi um tempo bem vivido. Não tenho saudades. Só boas recordações.

Sabe? Gosto das cores do outono. Lembro das folhas no chão, quando andava entre elas para ir até a casa da minha avó. Sabe como é criança, ia chutando as folhas que encontrava pelo meio do caminho. A avenida era toda arborizada por uma árvore chamada magnólia que seguia por toda a universidade. E hoje penso no outono com aquelas folhas alaranjadas. Penso que só existe no sul. Nunca vi uma pessoalmente, só através de fotos. Mas é esta a imagem do outono que tenho como lembrança e que faz parte do meu imaginário.
Que hoje prefiro preenche-lo com um poema que inicia o capítulo I – A casa. Do porão ao sótão. O sentido da cabana p. 23 – A Poética do Espaço – Gaston Bachelard
À porta quem virá bater?
Em uma porta aberta se entra
Uma porta fechada um antro
O mundo bate do outro lado da minha porta.
Pierre Albert-Birot,
Lês amusements naturels, p. 217

Tudo se transforma. Nem eu sou a mesma de ontem. Já me transformei ao sabor, tempo e cor das estações...

quarta-feira, 18 de março de 2009

Procurando um amor?


Procurando um amor?
Todos os dias vejo esta frase ao entrar no computador. E aí fiquei pensando nas formas que temos e inventamos para procurar ou achar um amor. Algumas muito doidas, outras sem sentido e outras que não levam a lugar nenhum. Ou podem levar a um beco sem saída. Vai saber. Claro que existem formas e mais formas de encontrar o amor e a mais segura é começar com o amor a si mesmo. Sabe como é? Se você tem cuidado consigo mesmo, se tem respeito pelo que pensa e acredita, isto é notado pelas pessoas que estão ao seu lado e as que estão longe também. Por uma razão muito simples, você demonstra tudo isto na sua maneira de ser e de se mostrar ao mundo. É seu cartão de visitas. É o seu invisível falando por você. Isto faz com que as pessoas se aproximem e se sintam bem ao ficar ao seu lado. Um magnetismo pessoal e intransferível.
Mas nada como o famoso “eye-contact” ou o antigo flerte. Um poderoso e indescritível forma de encontrar alguém. De entrar em contato. De entrar em sintonia. Então penso que é muito esquisito ficar procurando amor pela Internet. Como assim? A pessoa vai se apaixonar pelas palavras? Ou melhor, vai amar as palavras? Nada de concreto para começar? Ah, já sei você gosta do retrato que a pessoa resolveu mostrar, do que ela escreve pelo MSN. Muito vago. Nada confiável. Melhor mesmo olhar bem quem está perto de você. E muitas vezes esquecemos disto. De olhar em volta. De olhar por perto. Quem sabe assim você é capaz de perceber que bem perto, pode estar o seu amor. Aquele que fez suas pernas tremerem quando seus olhos se encontram. E então você faz uma poesia, entra em devaneios. Tudo em nome de um possível amor que nasceu num olhar. Melhor, numa troca de olhares...Ah, o amor! Pode acontecer. Vai dizer que não?...

terça-feira, 17 de março de 2009

Para ser feliz...


Para ser feliz...
Ah, mas para ser feliz cheguei à conclusão que preciso inventar todos os dias um jeito, uma forma para que me sinta bem, vestindo o meu próprio corpo. Porque tem dias que ele fala demais, pensa demais, escreve o que não precisa. Isto é, tropeça em suas próprias palavras e fica se sentindo mal. Claro, sentir-se bem todos dias consigo mesmo, é um objetivo que muitas vezes não alcançamos. E isto nos torna infeliz, para baixo. Por este motivo invento todos os dias uma forma de ser feliz. Pode ser ouvindo uma música, vendo fotos que me fazem viajar sem sair do lugar. Cantar uma música, ler um poema. Escrever um texto. Melhor ainda, ler um livro. E fiquei pensando num assunto: por que não sabemos escutar? Ler um livro nos faz aprender a escutar. Enquanto lemos estamos escutando e lendo atentamente o que os personagens. Então é isto. Prestar atenção no outro. No mundo, no livro. Me faz sair do meu mundo e ouvir o que o outro tem para dizer. Quem sabe assim encontrar as respostas para as perguntas que tenho. E a humildade para reconhecer que não sei tudo. Que estou sempre pronta para aprender. E pode ser que não aprenda na primeira nem na segunda tentativa. Quem sabe na quarta ou na quinta. Nunca coloco limite de tempo para a minha aprendizagem. Foi uma das formas que aprendi para não me fazer infeliz. Neste mundo do “tudo é para ontem”. Não para mim que tenho o meu próprio tempo. Meu tempo de ser feliz...

segunda-feira, 16 de março de 2009

"Este teu olhar.."


“Este teu olhar
Quando encontra os meus
Falam de umas coisas que nem posso acreditar
Doce é sonhar e pensar que você gosta de mim
Como eu de você.
Mas a ilusão dói ao coração
Falam de umas coisas que nem posso acreditar.
Ah, se eu pudesse entender o que dizem teus olhos...”

Não sei de quem é a música nem quem cantava. E é muito linda e agora faz parte da minha história. É um pedaço de canção que eu adoro. Tem mais e esta é de Vinicius de Morais:
“Oh minha amada
Que olhos os teus,
São cais noturnos
Tão cheios de adeus.”

No sábado passado vi uma reportagem no Mosaico.
A atriz Maria Menezes foi ao Porto da Barra, descobrir quais as armas usadas pelos homens na hora da paquera. Fiquei muito feliz, porque a arma usada? O olhar. Vocês podem assistir o vídeo e se deliciarem com as tiradas da atriz. E o que achei uma tremenda de uma coincidência. O dia 14 foi o dia da Poesia e o blog do Cidão Publicou um poema “Há um brilho em teu olhar”.
Adoro estes acontecimentos. Geralmente não damos muita importância a eles. Tratamos como coisa corriqueira. Mas acho fantástico. E Gustav Yung também. Já mencionei este assunto aqui. Ah, e porque estou voltando a ele? Porque fiquei na maior culpa por não ter publicado nada sobre Poesia e logo no dia que poderia ter um olhar mais encantado. Sobre os Olhos. Então tudo a ver. Um encadeamento de acontecimentos chamados de Sincronia. Isto sim...

domingo, 15 de março de 2009

Gatos...




Quando May veio morar aqui, levei o maior susto. Claro, pois nunca tinha pensado em ter uma gatinha por aqui. E aí fui aprendendo a conviver com ela e ela comigo. E claro que ela me surpreende sempre. Fico observando como ela descobre as coisas. Por exemplo, outro dia descobriu a sombra. E ela fica quietinha observando. Estes detalhes me surpreendem. Seus exercícios matinais também. Uma correria sem fim. Passa tirando fino nas minhas pernas. E corre! Depois fica tão cansada que espicha no chão, mortinha de cansada. Tem dia que a correria é tamanha que parece não ter fim. Preciso estar brigando com ela para dar um tempo. Fico cansada só de olhar. Se me entende, não sei. Porque reclamar, reclamo. E me obedece quando mando descer de algum lugar como mesa, em cima da TV, do fogão, do móvel da sala, etc.
Tem dias que parece uma criança levada. E derruba coisas e corre e parece não acabar mais com a correria. Meu filho disse que ela pensa que é gente. Hehe! Quem sabe? Ela adora deitar no meio da cozinha. Nem para um lado nem para o outro. No meio. Na hora em que estou fazendo comida ou lavando pratos fica difícil. E salto para um lado e salto para outro. Às vezes não vejo e piso nela. Não com força mas de leve, fica zangada. Pode? Ela acha que pode. E na hora de dormir. Ela quer entrar no quarto. Preciso sair e deixar ela saia. Fechar a porta e só depois apagar as luzes e ir dormir. Ela vai tomar conta do sofá inteirinho. Só para ela. E tem mais, se demoro a ir dormir, começa a me morder para avisar que já está na hora dela. Ah, com certeza que pensa ou tem certeza que é gente. Rsrs!....

sábado, 14 de março de 2009

O desejo...



O desejo...
Este é o título escolhido pela Tertúlia para ser publicado hoje. A palavra pode ter vários significados, mas quando ela vem precedida do artigo significa que não posso construir meus pensamentos sem ter presente a imagem do que Desejo expressar.
A minha escolha de significado é desejo no sentido de aspiração, ansiedade. E penso que é o que dirige e orienta a minha vida.
Tal qual uma oração, revejo as ações do dia e as dirijo de acordo com meus objetivos que também podem inconscientes. Já que somos a soma deles.
Então no início do dia mergulho meu olhar na manhã que acontece bem em frente à minha janela e faço uma oração: “Que todos o meus desejos se transformem em ações, sentimentos e palavras para o meu próximo assim como para o meu próprio bem.”
Amém...

E o meu desejo de hoje também inclui um beijo e um abraço para meu filho e Aixa, dizendo que acabei de receber o presente e adorei. Amo vocês...

Mais um desejo: estar em São Paulo para assistir: Bruno Motta que a Rosana indicou no Querido Leitor.

Se tenho mais desejos? Tenho. Mas não vou escrevê-los para que aconteçam um em cada dia. Para enfeitar e também dar sentido à minha vida. Ponto final...

sexta-feira, 13 de março de 2009

Desenhos animados, histórias em quadrinhos(HQ)...



Desenhos animados, histórias em quadrinhos(HQ)...
Umas das coisas que mais amo ler e ver. Hoje estava vendo na TV Globo, no programa TV - Globinho o primeiro desenho animado do dia: George, o rei da floresta. E hoje ele encontrou um filhotinho de tamanduá e foi logo adotando. O tamanduá tem olhinhos enormes e aí ele afirma: “George adora olhos grandes. Na vida e na arte.” Gente, não pude resistir! Fui logo afirmando. “George, eu também!!” Hehe!


O outro desenho que gosto demais é o do Avatar – A Lenda de Aang – Segunda temporada.
O desenho é muito lindo e as histórias são “para aquecer a alma e engrandecer o coração".
O último desenho do dia é o do “Simpsons”. Não gosto da cor nem do desenho. Mas na história de hoje, a Margie aprendendo computação com a filha e mostrando as aplicações do Google. Adorou, claro. Com “joguinho” e tudo que tinha direito. Hehe!

Tem gente que tem medo de viciar em Internet. E não usa. Tem pavor. Não vou discutir o assunto. Cada um sabe ou deveria saber o que pode ou não fazer. No Querido Leitor a Rosana postou um teste para saber se você é viciado. Claro que fiz. Não, não sou viciada. Tenho horário para ficar logada e para sair. Raramente, fico fora do horário...
Crédito pelas imagens publicadas.

quinta-feira, 12 de março de 2009

"Combatendo moinhos de vento e tendo idéias..."


“Combatendo moinhos de vento e tendo ideias...”
Uma das coisas que me chamaram atenção para querer ver o programa “ Notícias - MTV” foi esta incrível chamada. As outras foram a presença de Cazé que há muito tempo admiro. Desde os tempos de “Na cara..” Um dos primeiros programas que assisti com ele. Meus filhos estavam se tornando adolescentes e davam muitas risadas ao verem o programa. Fui assistir e nunca mais parei de ver o canal. E até hoje é a minha salvação com tanto programa ruim que existe por aí.
Ontem consegui ver o programa todo. Antes não estava acertando o horário, esquecia enquanto estava no Twitter. Mas a Sam lembrou a todos o horário e a presença do Tiago Dória, estreando na TV. O assunto foi sobre os sites de relacionamentos: Orcut e Facebook. Qual a importância deles e os motivos da escolha entre um e outro, pelos internautas.
O programa foi finalizado pelo Elcio Coronato entrevistando alguns internautas com a pergunta: “Qual o motivo das pessoas contarem suas experiências na Internet?” As respostas foram desde as mais óbvias: “Querer ter seus minutos de fama “ até, “Não vou aparecer na TV mas tenho o meu público e leitores particulares.”
Muito divertido porque mostrou o Élcio Coronato dividindo com os entrevistados os retratos de sua “suposta família.”
Se gostei? Adorei o programa. Este foi apenas o resumo do que aconteceu. Então lembrem-se ...de segunda a sexta e com dia de reprise.

“ Notícias MTV vai ao ar, ao vivo, de segunda a sexta-feira, às 21h30, com reprise no sábado, às 17h30. Não percam! O projeto do Notícias MTV está sendo muito bem recebido.” (Tiago Dória)

quarta-feira, 11 de março de 2009

Viver é uma Arte...


Viver é uma arte...
Que fazemos todos os dias. Usando palavras para expressá-la, tintas, fotos e o que melhor se adapta ao nosso jeito de ser. Tem gente que sabe escolher o que fazer, tem gente que aprende a escolher. Tem gente que não se importa em observar e nem sabe copiar. Isto é, fazer um desenho de observação. Não este que é feito com a facilidade do selecionar, copiar e colar. Nada disto. Do desenho que você passa horas observando o modelo. Prestando atenção nos mínimos detalhes. Porque são eles que irão fazer a diferença. A diferença de você poder dizer: este desenho foi inspirado em tal obra. Mas este é o seu desenho, sua leitura. Não uma cópia. Uma xérox. Mas sua interpretação. A sua visão. O seu ponto de vista. A sua opinião. E isto faz a diferença.
Então, acho graça quando chega um e-mail me avisando com o endereço completo onde foi que me copiaram. Selecionaram, copiaram e colaram. Não é mais fácil e mais decente escrever que o texto foi inspirado no que leu? Tem gente que não pensa assim. Tem gente que tem preguiça de pensar. De gastar o seu tempo para fazer um texto, remexer no mundo de coisas que tem na cabeça ou anotado. E construir alguma coisa que valha a pena ser lido. De alguma coisa que faça a diferença pelo menos para você. Porque enquanto escreve, arruma as palavras no texto para que façam sentido, parte de você se modifica também. Te faz melhor para você mesmo e quem sabe, para quem te lê também...
Este texto foi inspirado na crônica “A arte de viver” – pág. 27 do livro Non-Stpop de Martha Medeiros

terça-feira, 10 de março de 2009

Arrumando...


Tem gente que adora arrumar casa, guarda-roupa, gavetas, armários. Enfim, gosta de uma arrumação. Tem gente que não gosta também. E tem gente gosta de uma bagunça organizada. Sou destas. Sou organizada dentro do meu próprio caos. Sei onde está tudo. Acho até de olhos fechados ou quando não tem luz e nem vela e acho os fósforos numa boa. Mas tem horas que mesmo com tudo isto, é preciso descartar muitas coisas que não está usando. Dar uma limpada no que está fora para o que está dentro poder dar uma respirada. Ufa! Foi o que fiz com os meus quadros. Não podia mais ficar arrastando a velharia para cima e para baixo. Cada vez que mudava de casa e de cidade. Bastavam os livros. O meu filho pensou numa solução que achei ótima. Tirou fotos e os originais foram descartados. Não existia mais lugar para eles. Fiquei com muita pena. Mas não houve outro jeito. Para quem morava em uma casa e passou para um apartamento,
Agora que penso nisto, tomo consciência do quanto resisto em jogar fora pedaços de papéis que não têm mais sentido, cartas amareladas. São pedaços de lembranças que ficaram dentro de uma caixa. Para fazer o que mesmo? Fico me perguntando. Nem gosto mais de abri-la como antes. E recordar até o dia em que vieram parar em minha vida. Ai, ai! Tem tempo que isto faz sentido. Tem tempo que não.Tem tempo que se tornam um estorvo. As lembranças ficaram esgarçadas no tempo. E sumiram com o primeiro vento que entrou pela janela e arejou o ambiente...

E agora é hora de arrumar uma nova caixa. Para guardar novas lembranças, construir novos sonhos Projetar um futuro com sabor de boas lembranças e um adeus dado na hora certa...

Este texto foi inspirado num texto chamado “Gastando como se não houvesse amanhã.”
Sketcheria

segunda-feira, 9 de março de 2009

Blogagem Coletiva: Inclusão Social.




Esta blogagem foi proposta pelo blog Esterança.

A inclusão social é um assunto que preocupa a todos que tem como objetivo o bem estar social das pessoas. Visam com isto criar formas para que todos possam ter acesso desde às necessidades mais básicas como saúde e educação. Criou-se então para a educação o sistema de cotas. Quer queiram quer não, isto criou um problema maior. E é isto que está exposto no http://www.ufmg.br/inclusaosocial/?p=53 Os dez mitos sobre as cotas. Como não sou estudiosa sobre o assunto e apenas observadora, estou aqui apenas dando a minha opinião. E foi assim que comecei uma conversa com alguém que defende as cotas. Ora, a presença das cotas ao invés de dar oportunidade, ela discrimina. Ela separa e não é isto que diz a constituição que prima pela igualdade das pessoas. Espero que esta situação seja resolvida e não alimentada pelas diferenças. Podemos aprender muito mais com as diferenças do que com as igualdades. Por que então esta briga esta discussão que não vai melhorar o ensino, não vai fazer com que os alunos estudem mais. Então penso que é preciso repensar este assunto. Melhorar sim o que deve ser melhorado e não criar cotas para haver discriminação. Que é o que anda acontecendo por aí.

domingo, 8 de março de 2009

E hoje é dia da Mulher...


E hoje é dia da Mulher...
Inventaram um dia para comemorar. Tudo bem, esquecem até o dia em que se casaram ou começaram a viver juntos. Detalhes que no início até nos chocava e com o tempo fomos ficando mais condescendentes. Mais suaves, eu diria. Não adianta ficar reforçando as diferenças como fazem com os preconceitos. Eles, os homens são diferentes. Viva a diferença. É com ela que vamos aprendendo nossos contornos. Nosso desenho interno e externo nosso estar no mundo e fazer diferença.
E hoje o dia começa com um lindo nascer do sol. Um nascer de novas esperanças. De que ser mulher não precisa e nem pode ser excomungada para se fazer justiça. Uma justiça que há muito tempo esperamos por ela. E que por não entenderem o que isto significa, se julgam no direito de condenar, excluir. Tempos de inquisição? Penso que ainda não saíram dela. Uma pena. Acho sim, que certas pessoas precisam ter quem os orientem ao falar em público. Nos dois lados. Um que não tem consciência e o faz e outro que não tem e o faz assim mesmo por razões que não cabe a mim julgar. Mas adivinhem quem foi mais solidário, mais humano? E por aí vão as incongruências humanas. São homens. Um dia quem sabe, vão poder compreender e ficarem do nosso lado e não contra nós.
Um dia para lembrar que somos mulheres. Interessante. Ah, já sei os outros dias passamos ser “mais macho que muito homem”. Rsrss! Um pouco de descontração ao texto e também uma lembrança. Hoje é o dia que todos se lembram que têm mãe. Um dia que recebemos flores nos supermercados, nas lojas. Que bom! Ainda bem que temos um dia. Já pensou se nem isto tivesse?
Beijos e muito amor a todas as mulheres que não têm mais medo de respirar. De viver e dizer o que pensam. Amém!

E hoje é aniversário de uma grande mulher que não se deixou abater pelas controvérsias. Mudou de país e foi ser feliz onde foi possível e confortável ser mulher. Parabéns Geórgia!!!

sábado, 7 de março de 2009

Um por do sol...


Em Amparo - São Paulo. Fotografado por Juliana Sardinha.

Para começar o dia geralmente escolho um livro para ler. Tal qual uma oração. Em suas palavras ou mensagens preencho o meu dia e vou tirando minhas conclusões pessoais. Ou não... Posso resumir com um pensamento que não é meu mas condensou em poucas palavras, tudo que eu tinha para dizer.
E para me organizar dentro do meu próprio caos procuro enumerar o que preciso fazer. Sem ordem. Vou anotando à medida que vou me lembrando. Para não ficar indo e voltando na cozinha que é meu ponto de partida. Claro, começo fazendo um cafezinho para espantar o resto de sono que ainda teima estar presente.
Isto se não acontecer de May aprontar alguma coisa. E hoje ela resolveu fazer seus “exercícios matinais”. Correu que nem uma doida para cima e para baixo. Depois caiu desmoronada no chão com o coraçãozinho a mil. Agora está deitada no meio da sala meio que cochilando e descansando da folia. Ai,ai!
Enquanto escrevo ouço as músicas da MTV- Lab Clássicos e também escolho um livro para ler. Estou em dúvida: O Tão dos Símbolos ou Viver & Escrever.
Mudo o canal e tem um fotógrafo dizendo: “Fotografia é um momento que registra uma emoção.” Anoto rápido a frase e continuo em outro ou é outra? Não sei ainda.
Vou para o Twitter. E lá está a Juliana Sardinha me perguntando se gostei do céu. Pedi a ela que mostrasse. Gente, um céu com cores lindas em São Paulo que o Milton Toshiba viu, a Lúcia do Ladybug também viu e se maravilhou e só eu fiquei na vontade...
O nascer do sol aqui hoje nem foi colorido. Fiquei olhando se aparecia uma corzinha e nada. Então seguiu o dia e aqui estou. Quase no fim do texto que não sou de escrever muito.
E não é que ganhei pela primeira vez na vida um por do sol com Linhas? Ah, fios. Lindo, lindo. Obrigada Juliana! Não é todo dia que se ganha um presente desse, né?

sexta-feira, 6 de março de 2009

Janelas...




Hoje ao chegar na cozinha e olhei pela janela e vi uma cerração. A foto de uma cerração é deslumbrante. É como estar num sonho. Vamos exagerar mais um pouco. Um efeito especial lindíssimo. E eu estava vendo. Fotografei mas o celular não é tão potente e vocês vão perguntar então é isto? Não estou vendo nada de lindo. Então peguei emprestada uma foto. E me digam se é ou não muito lindo? Coisas maravilhosas da natureza. Cada local tem a sua. E está é do Rio Grande do Sul tirada pelo Cid Martins e que ele chamou de "Janela de neblina.
Este fenômeno é constante em minha cidade natal: Viçosa – Minas Gerais. E por ser constante não deixa de ser bonito. Mas li uma observação que alguém achou muito inteligente, feita por Nelson Rodrigues. Mudar sempre os porta retratos de lugar. Se ficarem sempre no mesmo lugar, vão ficar invisíveis. E ficam mesmo. Nossos olhos se acostumam com eles e não os vemos mais. Tornam-se invisíveis. Então quero ter sempre esta imagem comigo. Uma cerração. Não é uma neblina. Não molha. Ou molha? As serras ficam branquinhas. Claro que é perigoso viajar quando é tempo delas. Mas isto não as faz menos belas. O mais interessante foi o jornal de meio dia daqui fazer uma chamada para este assunto. Dizendo que os telespectadores acharam estranho. Normal para Salvador, nesta época não é. Aparece um pouco mais em junho. Ah, como o tempo está maluco mesmo estão imaginando coisas. E falta de assunto também. E fizeram mistério. Só mostraram no final. Por que não deram mais ênfase à enorme bandeira que o Green Peace pendurou no Elevador Lacerda, chamando atenção para a elevação do nível do mar? Ah, já sei ...

quinta-feira, 5 de março de 2009

Equilíbrio...



Para mim uma das coisas que tem a ver com equilíbrio é a Meditação.
Equilíbrio. Foi esta a palavra que escolhi para ler nas páginas da revista Vida Simples. E foi lá que descobri "Outro olhar". Estou sempre à procura de outros olhares sobre temas que me interessam. Por exemplo fotografia. Amo fotos. E o que descobri me deixou mais encantada ainda.
Então ao estudar este tema numa aula, fiquei encantada com as suas múltiplas formas. Descobrir o equilíbrio assimétrico foi como descobrir uma mágica. E foram minhas experiências com ele. Divertidas, podendo variar as formas de um lado e de outro e mesmo assim o equilíbrio continuar. Nossa, você não tem ideia de como o assunto me chamou atenção e como foi bom estar lendo tudo que sinto ao ver uma fotografia que me deixa em estado de meditação. A fotografia se chama fotografia miksang, bom olho em tibetano.
E Liane Alves escreve:
“Mais atenção e paz de espírito. Esses são os benefícios da fotografia miksang, uma técnica que usa uma câmera como ferramenta de meditação. E você ainda ganha fotos melhores.

Então por favor, vistem o link. Vocês vão amar cada palavra escrita por ela. Um achado que nunca teria a contecido se tivesse só olhado o link, sem mergulhar nele.

Ao fazer esta foto lembrei de uma pessoa muito, muito especial. Que ao perguntarem para ela qual a sua cor preferida, ela respondeu: Azul, azul e azul...

quarta-feira, 4 de março de 2009

Sobre dom e talento...


Dom e talento...
Estes são assuntos que muitas vezes sabemos pouco a respeito deles. Pesquisei sobre o assunto e cheguei à conclusão que para que o dom tenha alguma serventia em nossa vida é preciso vir junto o talento. Porque vamos por partes:

“O dom é inato. Obra do acaso genético ou presente de Deus, quem sabe a verdade? A questão é que algumas pessoas nascem com algo especial que lhes permite realizar bem alguma coisa com extrema facilidade.” – Eugenio Mussak.

“O talento pode ser desenvolvido com treino disciplina e obstinação.”

Existe quem tem dom e não tem talento. Muitas pessoas que têm facilidades para fazer determinadas coisas e não sabem usá-las. E isto significa que o dom é uma inspiração e o talento é a disciplina para desenvolver o seu potencial. E por aí vai a afirmativa de Einstein: “ Talento é igual a 1% inspiração e 99% transpiração.

“Ser talentoso é ser feliz, demonstrar leveza na lida diária, encarar os problemas como parte da atividade, criar um estilo pessoal ao realizar um trabalho comum. É possível ser um.” – Eugenio Mussak.

A conversa de hoje com Clarissa e Alexandre Pimenta foi sobre este assunto. Não vou me estender mais. Visitem o site. Vocês vão gostar. Eugenio Mustak, conta como e porque abandonou a Medicina para se tornar professor. E nos conta com mais detalhes sobre dom e talento num artigo para a revista Vida Simples.

terça-feira, 3 de março de 2009

Sobre admiração...






Outro dia comentei um texto da Ana Elisa Ribeiro no Digestivo Cultural, chamado “Eu+Você =?” E um dos temas abordados por ela foi que a existência da admiração entre os casais. Aliás a admiração é uma moeda forte nas amizades, namoros, casamentos, trabalhos. E ele conta sim no amor. E muito. Uma parte muito importante. Para ler e saber mais, acesse o link. Você vai gostar.

O meu comentário:

"Ana: Seu texto descreveu perfeitamente o que acontece com os relacionamentos, com as pessoas envolvidas, com os sentimentos entre elas e adorei o que você disse sobra admiração. Também concordo é preciso haver admiração entre as pessoas. E também que os bons relacionamentos podem e fazem as pessoas ficarem melhores. Mesmo que a história não tenha continuidade, saber e sentir que contribuiu para esta melhoria, poxa! Isto é bom demais. Sabe que não tinha pensado nisto? Pois é, tinha até me esquecido..."
Depois disto comentei com a Sílvia sobre isto e chegamos à mesma conclusão. A admiração segura muitas barras num relacionamento.

Mas uma das coisas mais importantes que aprendemos com o passar do tempo é que o outro não pode ser nem ter as respostas que não tenho. Mas vai dizer isto para um casal apaixonado. Quando a paixão se transforma em amor, então a conversa consegue ser diferente. Bem diferente. É quando compreendemos que existem as diferenças e que elas não precisam afastar as pessoas. Podem unir também. Certo?

E por falar em admiração, li um texto do Edney Souza, chamado "A vida precisa de Pausas". E precisa mesmo..

segunda-feira, 2 de março de 2009

Palavras...


Hoje me escondi atrás das palavras. De todas elas. Aquelas que você me disse, as que pensei, escondi. Apaguei. Desenhei. Deixei só uma linha pontilhada para não esquecer o caminho. Tal qual a historinha que aprendi quando criança. Ah, mas isto aqui é um labirinto. Não é do Minotauro mas o meu. Aquele que é possível fazer com todas tentativas, erros e acertos. Também pode usar má vontade, desconforto. Estas coisas que você sente e não pode dizer. Por exemplo, estar escrevendo e alguém quer sua a tenção imediatamente. Ah, porque tudo hoje é deste tamanho. Não pode ser para depois. Tem que ser agora. Para não ser indelicada, não respondo. Espero até estar pronta para responder. Ou não.
Como foi possível chegar até aqui? Comecei nas entrelinhas e agora há um véu de interrogação. Para onde vou? Para onde meus objetivos me levam? Não há respostas seguras. Nem é seguro me esconder aqui. Sempre haverá um dicionário. Para saber o significado. Mas pode ser que as sombras sejam seguras. Nunca serão o desenho, mas a projeção deles. E sempre haverão perguntas que não sei responder e respostas que não dei. Isto não é uma receita nem uma queixa. Isto é apenas uma impressão. Um desenho com palavras do que está por aí. Querendo virar um texto. Sem sentido, é verdade. Sem objetivo também. Um texto para começar a semana. A semana depois do Carnaval. Uma segunda-feira. Tudo volta ao normal. A fantasia foi guardada. Sempre haverá onde vestir uma fantasia e “Brincar de ser feliz” porque talvez dê muito trabalho construir sua própria felicidade.
Nunca vi música tão infeliz...
E assim começo o ano, a semana, o mês. Com todas as possibilidades de construir meu dia, minha vida, meu texto. Se não faço nada disto e espero que alguém faça por mim. Com certeza vou brincar de ser infeliz, esperando a resposta do mundo que nunca é compreensivo nem bondoso...

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade."
Carlos Drummond de Andrade

domingo, 1 de março de 2009

O dia hoje está...


Muito lindo e estou adorando os livro que comprei. Recomendo os dois e assino embaixo.
Começa o mês de março. E lembro da música de Tom Jobim: "Águas de março."

Então uma frase da entrevista que Philip Roth fez com Aharon Appelfeld
No livro "Entre Nós - Ed. Companhia das Letras - pág 40.

"Por vezes somos sufocados pelo excesso de associações, pela multiplicidade dos mundos ocultos numa única palavra. Mas não faz mal: são recursos maravilhosos. Você acaba achando neles mais do que estava procurando."

Espero que vocês gostem tanto quanto estou gostando...

YouTube

Loading...