sexta-feira, 25 de abril de 2008

"Você tem seu ditado preferido?

"Você também tem o seu ditado preferido?" - 25/4/2008
De: Digestivo Cultural (digestivo.postmaster@gmail.com)
Adicionar contato
Enviada:sexta-feira, 25 de abril de 2008 7:01:12
Responder-Para:redacao@digestivocultural.com


Recebi o Digestivo Cultural hoje e pensei em fazer um post sobre o assunto. Ah, mas dá uma hitória e tanto. Então vou contar uma que pode parecer com muitas. A minha mãe dizia sempre um que acabei hipnotizada por ele. Ainda bem que não é um ditado ruim. Destes que coloca qualquer pessoa sem arma e sem assunto diante de pessoas, papel em branco ou uma situação por resolver. Tive sorte. A intenção dela era fazer com que procurássemos direito qualquer coisa que tivesse perdido. Sabe como é? Quase toda mãe faz isto. Uma espécie de chantagem disfarçada de ditado. Ah, não sei onde ela aprendeu isto. Foi de alguém como meu vô ou minha vó. Não tenho como conferir. Só contar o que aconteceu com o danado: ele me ajudou bastante em várias situações. Qual é o bendito? Será que não dá pra enrolar mais um pouquinho? Só para contar que estava no msn com a Nadja e perguntei qual a frase, mas vale para ditado. Ou não? Bem a frase preferida dela "Não foi o mundo que piorou, as coberturas jornalísticas é que melhoram muito" Gilbert Chesterton. Claro que isto não é um ditado, mas se acreditamos numa frase, ficamos repetindo como um mantra, não é mesmo? Então acaba acontecendo. Bem, perguntei de novo e expliquei que era um ditado. Aí ela disse "Quem não aprende com o passado está fadado a repeti-lo." Queremos sempre compreender nossas ações e dos outros também. Acredito que o ditado pode dirigir nossas ações ou a da minha mãe. Sei lá. Uma vez, uma pessoa muito querida me disse que inventamos histórias para compreender as situações, a vida. Pode ser verdade mesmo. Vale para ditado e autoexplicações. Quando alguém me faz uma grosseria, por exemplo para não ficar com raiva da pessoa invento uma. Não gosto de guardar ressentimento ou situação inacabada. Invento um fim. De preferência bom. Não sou chegada a tragédias. Bom, agora que já escrevi o que devia e o que não chegou a hora de dizer: "Quem procura acha". Simples assim. E poderoso. Dirige minha vida e meus pensamentos. Tem o seu particular? Aproveita e manda para o endereço acima. Tenho certeza que Palpi vai adorar este assunto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é uma forma de conversa online.
Deixe sua opnião ou questione.
Não seja anônimo!
Obrigada.
Bem vindo!

YouTube

Loading...