segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Desta cor...


lf32, upload feito originalmente por lupa_ferocia.

Um amanhecer desta cor para colorir todos os dias do ano que se inicia.

E hoje é o Dia Mundial das Promessas. Já fez a sua lista? Dizem que é bom fazê-la. Nunca fiz, vou experimentar. Quem sabe orienta meus asobjetivos e desejos fazendo-os trabalharem a meu favor...Uma das coisas que ensinei a meus filhos foi terem sempre por perto, uma lista de boas lembranças. Fui fazendo a minha com o passar do tempo e hoje tenho um álbum precioso que me acompanha sempre. Nas horas mais difíceis. Quando não sou compreendida e dá aquela dor, que só uma boa lembrança pode aliviar, porque vou fazer um resignificado dela. Pensando, melhor assim, podia ser diferente e me trazer mais dor. É verdade que sensibilidade e delicadeza são sentimentos para poucos. Posso compreender que é dificil não machucar o outro se não o percebo perto de mim. E assim desejo sensibilidade e delicadeza a todos os meus amigos, todas as pessoas que comentam neste blog, às que apenas lêem, às que desejam comentar e à blogosfera inteira e um Feliz Ano Novo, muito Amor, Realização e Sonhos para sonharmos juntos ou separados...unidos pela TEIA invisível que nos une. Amém!

O dia que se foi...


Sunset 12/30/07, upload feito originalmente por lamarsh.

Um ano que chegou ao fim, junto com o por do sol e agora é esperar "Que um novo dia nasça em cada amanhecer". Um pedaço de canção que serve para ilustrar o final de 2007...

sábado, 29 de dezembro de 2007

Music Therapy


Music Therapy, upload feito originalmente por Egg Head !.

As fotos tem o poder de dizerem tudo...e é tudo que esta foto diz neste final de ano e tudo que precisamos neste momento.

Hoje é sábado, 29 de dezembro contagem regressiva para a entrada do ano novo. Nada como sentar, respirar fundo, ouvir uma música e entrar em contato coma parte boa que existe dentro da gente...A música, a natureza podem nos ajudar a fazer isto.
Aos poucos vamos aprendendo, como funcionam, qual o melhor lugar, o melhor ângulo de se estar neste mundo. Isto tem a ver com um saber interno e com o que temos de bom, com lembranças boas. Tenho um álbum cheinho delas e existe mais espaço ainda no meu infinito. Sou sim uma "otimista de plantão" e me incomodo, preocupo com pessoas que desistem de suas possibilidades. Estar vivo e com saúde é tudo que um ser humano precisa para construir seu dia, seu sonho, seu objetivo, seu caminho.E ontem fiquei muito feliz. Uma amiga muito querida me disse toda alegre estar fazendo sua caminhada diária. Ela que odiava caminhar. Então é possível sim dar um outro significado a nossas vidas, nossas ações. Como cheguei a esta conclusão? Tive que enfrentar situações nada agradáveis. Fazer coisas que não estava acostumada a fazer e nem sabia.Isto se tornou um desafio. Tive que aprender a fazer e gostar do que estava fazendo. Então pensei, que tal colocar um outro significado por exemplo, em passar roupa? E foi assim que escolhi um dia da semana, conveniente e que mudava o "sabor"
do dia, para passar roupa. Como assim? Sempre detestei passar roupa, então resolvi encarar de perto. Como era mesmo que fazia? E aprendi com quem sabe, para obter um bom resultado. Isto é, passar uma roupa e não ficar com vergonha...E fui fazendo assim com tudo que tive de enfrentar. Penso também que isto é dar um crédito a gente mesmo. Não resolvi tudo, mas mudei minhas perspectivas e desenhei outras possibilidades, fazendo um resignificado com tudo que me acontece. Claro que tem umas coisas que fico arrasada. Custo a fazer um outra construção. Demora um pouco, mas acabo conseguindo. É como desenhar aquarela. Não posso ter o desenho inicial, mas posso criar outro melhor ou descartar se não gostar. Agora, acoisa mais difícil de enfrentar são as incompreensões... Próprias do ser humano, mas dar um outro sinificado a elas torna-se urgente...

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Uma lagoa ...


Island on a mirror, upload feito originalmente por David Thyberg.

Esta foto maravilhosa, é só uma referência à Lagoa dos Frades que não é tão linda, mas bem que poderia ser...O dia está maravilhoso com céu azul mar de aquarela e agora é só começar a contar a caminhada de hoje. Gente, é impressionante como a minha vida é cheia de histórias. Muito bom. Assim posso contá-las aqui, não é mesmo? Hoje, arranjei novas amigas para caminhar na lagoa. E uma delas, é interneteira. Ah, que bom! Me deu o e-mail, escrevi na mão e quando cheguei em casa não consegui entender minha anotação. Demais! Logo que comecei a caminhar na lagoa, e ela nem estava pronta ainda a minha turma era outra. Para alegrar e animar, inventei de levar uma história sobre cada uma e a turma era :Sônia, Bernadete, Selma, Lurdinha, Dalva e euzinha...Uma galera bem barulhenta que seu Astor implicava todos os dias, inventando pequenas tragédias atribuídas a Bernadete. Logo a mais séria...

Foi um tempo bom. Comemorávamos aniversários da gente e das bonecas de Dalva. Ela tem uma coleção enorme de Barbyes, com nomes em francês. Imagina! Não me lembro se tinha Sarcosy... Devia ter porque a coleção é de bonecos e bonecas.Rs! Hoje, caminho com outras pessoas, mas a amizade continua. Bem, pra terminar o assunto, esqueço de levar o endereço do blog toda vez que vou caminhar e como o nome é grande, digo logo "Entra no Google e digita Blog Linha. Não tem erro."
Ah, engano meu. Aí, Sônia pediu ao filho dela, usando as instruções que dei. Hoje ela me queixou. "Ah, Anny, você confunde a gente. Cheguei lá e tem um monte de "http://anny-linhaozzy.blogspot.com/" Dei risada e respondi, "Escolha uma delas, qualquer endereço dá na venda!"Rs! Mas pra quem tem criosidade de ler o endereço é o seguinte http://anny-linhaozzy.blogspot.com/2007/12voc-gosta-de caminhar.html
Para as minhas queridas meninas da Lagoa dos Frades, Feliz Ano novo! Vocês são os tesouros que a vida me deu de presente. Amo todas! Vocês fazem minha vida ficar colorida, alegre, cheia de boas risadas e muito amor. Obrigada por existirem!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Um por do sol...


the setting, upload feito originalmente por daniel.augusto.

Moro de frente para o mar, então fico fascinada pelo por-do-sol. Os dois são maravilhosos, sem dúvida. Um não existiria sem outro. Só que não pensamos nesta alternância, quando estamos envolvidos pela magia do momento. Esta foto maravilhosa demonstra isto. E por falar em magia das palavras, passo a contar, um história que nem parece minha. No dia do meu aniversário 19 de dezembro ganhei um livro : A menina que roubava livros... de Markus Zusak

Fiquei pensando, neste nome altamente sugestivo. E ainda mais porque Will é uma leitora compulsiva, com eu. Alguma coisa tinha induzido sua escolha neste sentido. Tinha esquecido do assunto. E um dia, estava voltando de uma caminhada e ao atravessar a rua comecei a rir sem parar. Tive um insigt. Descobri o porque do título do livro. Fiz um post um tempo atrás "Como aprendi a ler" e nele conto que roubava os livros de meu pai e lia debaixo da cama, para minha mãe não ver...

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Natal ...



Todos meus Natais, foram e são bons. Existe neles um que de mistério...Nunca sei o que vai acontecer. Você sabe, família grande e pouco dinheiro o Natal às vezes é complicado. Mas o meu pai sempre teve uma resposta para tudo. E foi num destes que ele teve que comprar boneca de pano para as filhas. Explicou que menino Jesus estava com problemas , dinheiro curto.Rs! Crianças não questionam crenças de pais. Não foi por isto que a brincadeira ficou pior. Como todo Natal, fomos almoçar na casa da minha vó. Neste tempo ela morava num sobrado. Que delícia... Experimentar o mundo visto de cima pela primeira vez. Com mais um acréscimo, poder jogar as bonecas lá de cima e não ter perigo de quebrar. Acho que é por isso, que lembro tão nitidamente dessa casa. E hoje, não podia ser diferente. Logo cedo ao acordar, ganhei meu presente de Natal: uma camiseta de Ozzy Osbourne e outra de Zakk Wylde. Gente, estou muito feliz. Presente de Rí. E saga continua, porque já planejamos o almoço. Sem sustos dessa vez. Houve um natal, que resolvi assar um chester com vinho branco. Prestei bastante atenção na receita que a apresentadora ensinou. Não contei com o imprevisto, de ter pouca experiência no assunto. A surpresa dessa vez foi ver o fogão pegar fogo e meus filhos com o extintor de incendio. Nunca passei tanto aperto. Mas no fim, deu tudo certo e fomos amoçar em paz...E hoje, pra não ficar diferente, Rí ajudou a fazer a comida e foi dormir. Isto mesmo. Passou anoite sem dormir e quando Rá chegou para almoçar, ele estava com um febrão! Mandou vir o remédio da farmácia(ele é médico) e enquanto isto almoçamos meio sem graça e depois distribuiu os presentes que trouxe. Nesta altura Rí, acordou, tomou o remédio deu o presente de Rá e foi almoçar. Não é um Natal comum. Sempre existe o que disse no início, o mistério de nunca saber como vai terminar...

Foto: http://blog.uncovering.org/

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

* Segunda - feira, 24 de dezembro

Estou tão feliz, que este é o melhor jeito de começar este post. Decidimos, meu filho Rí e eu, fazer um almoço hoje. Ontem à noite fomos ao supermercado comprar os ingredientes.Nem ele nem eu sabíamos o que escolher para fazer. Sempre fico confusa, porque este é um assunto que nunca dominei muito bem. Para encurtar a conversa, fizemos a compra e hoje de manhã começamos, logo cedo a preparar os ingredientes. Fizemos um arroz com ervilha e milho verde uma farofa de batata palha, um molho delicioso de caju, peru assado e sorvete de diamante negro, com um sonho de valsa dentro. E sabe o que descobri? Meu filho cozinha muito bem e adorei ser ajudante de cozinha dele. Nossos convidados? Rá e a namorada Will. Contamos muitos casos, demos muitas risadas. Um almoço delicioso, como há muitos anos não tinha. Acredito que as coisas mais simples, são capazes de me proporcionar alegrias enormes. E por que temos mania de complicar? Se esta foi um dia a minha pretensão, creio que hoje aprendi minha lição definitiva. Amor, carinho, compreensão você pode aprender todo dia como distribuir. É a parte boa do estar vivo, e ter a quem doar tudo isto e muito mais, é tudo que um ser humano pode desejar. Este foi o meu presente de Natal. O presente que desejei durante tantos anos e só hoje pode ser realizado. Obrigada meus filhos, obrigada Will. Obrigada por vocês existirem e obrigada Deus, por fazer isto possível. Amém! Feliz Natal para todos...

domingo, 23 de dezembro de 2007

Feliz Natal!


il lucchetto, upload feito originalmente por moris58.

Esta é a foto perfeita para um feliz Natal. Lembra muito onde passei os meus melhores natais: casa de minha vó. Um lugar encantado, que não existe mais. Só nas minhas lembranças. Ah, como era bom, chegar as férias para isto acontecer. Um mês inteiro para brincar, explorar os lugares, tomar café com leite que meu vô fazia bem cedo. Para ir tirar leite, num curral que ficava um pouco mais afastado. Claro que atrapalhávamos o trabalho dele. Mas nunca o vi se queixar. E aí acontecia as coisas mais imprevistas. Ficava presa na porteira e uma vaca recém-parida, corria atrás da gente. Um horror. E todo ano repetia mesma história. Vai entender cabeça de criança... A minha vó fazia aniversário no dia 24 de dezembro e minha Dinda, começava a fazer os doces, quando entrava o mês. Tinha os doces com sabor de infância: cajuzinho, olho-de-sogra, pudim de queijo(que meu vô adorava), doce de sidra, canudinho, doce de laranja cristalizado, doce de figo em calda e cristalizado. beijocas...
Tudo era guardado numa cristaleira e num tajer. Nunca mais vi este nome, em canto algum. Era de madeira, ficava na sala de jantar e fazia muito barulho, quando a gente ia pegar um docinho escondido e pular a janela. Uau! Muitas histórias e lembranças boas, que agora divido com você que está lendo . Muitos natais inesquecíveis que viraram lembranças tão boas de serem contadas e repetidas...

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Folhas...


Autumn Leaves, Ridgeway, SC, upload feito originalmente por BURИBLUE.

Esta foto me faz lembrar quando morei em Belo Horizonte e fazia um curso de aquarela na UFMG. Andava pelas ruas procurando folhas de todos os tipos, para desenhar e depois pintar. Foi um tempo bom. Gosto de colecionar boas lembranças. E estas estão bem guardadas num lugar especial... Como as aquarelas que pintei. Nunca mais pintei. Troquei as tintas pelas palavras. Agora estou aprendendo outro tipo de pintura, a pintura com palavras. Às vezes sou bem sucedida, às vezes isto não acontece. Como lidar com isto? Ainda não sei. O que fazer quando erro? Na aquarela, componho outro quadro aproveitando o desenho errado ou atinta inadequada...
Na vida real, serve de referência, para não ser repetido. Na escrita, se fosse papel, jogava fora e no computador escrevo de novo e de novo até acertar. Agora, quando acerto é muito bom. Não jogo futebol, mas a sensação deve ser parecida. No alvo. Estou me lembrando que a UFMG é longe do lugar onde morei. Tinha um bom caminho pela frente. E foi a época de aprender (vocês não vão acreditar) a andar de ônibus. Nem acredito que isto aconteceu comigo. Uma caipira na cidade grande. Quando o ônibus freiava, nem conto o que acontecia...Vou deixar pra você imaginar. E também foi um lugar onde conheci muitas pessoas interessantes. Tinha um rapaz que fazia Física e gostava de me contar suas teorias a respeito da vida. Passávamos do ponto para continuar o papo. Belo Horizonte tem esta qualidade. A vida universitária é integrada com a da cidade. Tinha um jornalzinho, que informava quais o cursos oferecidos, quais peças de teatro e as pós graduações. Foi um tempo bom. Muitas lembranças boas...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

"O que são blogs, afinal?"

Cynara Peixoto, fez um post em Nossa via, perguntando o que são blogs, afinal? E ela chegou à seguinte conclusão: "Blog é um site que se pode ou não ser interativo través de participação dos leitores, escrito a partir do ponto de vista de uma ou mais pessoas, com independência, de forma profisional ou amadora".
Na minha opinião, blog é uma forma de diálogo. Fiz um post sobre este assunto, chamado "Diálogo". Agora, é claro que existem vários tipos de blogs porque eles vão parecer com quem os administra. E pode existir quem não está para conversa. Quer mesmo é conversar sozinho. Devia então ter outro nome. E não que é existe blog só para convidados? Existe. As variedades são inúmeras. Ser humano é muito criativo. Existem aqueles blogs que dificultam tanto a sua entrada, que pensei naquelas casas com cachorros enormes e bem bravos. Talvez uma fortaleza. Era melhor colocar na entrada: "Proibido Comentários" Rssss! Acredito em diálogo, acho isto aí, um despropósito. Como disse Oscar Niemeyer "Estamos aqui escrevendo uma história". Seja fazendo blogs, escrevendo posts, desenhando, pintando, tirando fotos, etc, etc, etc...Faço questão de que minha história seja escrita com bom humor, crença nas pessoas e sabendo que viver é um risco . E que tal dar boas gargalhadas, quando tudo der errado? E mais, no blog é também uma forma de trocar experiência, dialogar, aprender com seus leitores, fazer amizades. Quem não quer esta riqueza de experiências, melhor escrever um livro. Ninguém vai comentar nada com ele. Nem comprar. Era o que acontecia com jornais, revistas. Ninguém dava opininião...Blogs também são posts onde fazemos comentários e que muitas vezes, esquecemos de comentar sobre o que está escrito e escrevemos o que o assunto fez lembrar. E foi exatamente isto que me aconteceu ontem.
O Max escreveu um post lindo sobre pipas. Lembrou no início que queria o comentário sobre o texto... E não é que esqueci. Que falta de delicadeza, a minha. Max, desculpe! Um assunto maravilhoso, um texto idem. Vou deixar o endereço para quem quiser apreciar.
http:www.pequenoinventário.blogspot.com/

Por favor, responda o que você acha que são Blogs. Obrigada!

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

"Arquitetura é música petrificada"- Goethe



Quando meu filho escolheu fazer Arquitetura, fiquei pensando no quanto, tinha influenciado pra isto acontecer. Coisa de mãe. Culpa é com ela mesmo...Quando filho adoece, mãe acha que é por causa dela, quando está sofrendo uma dor de amor,imagina! Até nisto mãe acha que tem culpa. Mas mo fundo, bem escondido pra ninguém saber, achei muito boa sua escolha. Afinal,cresceu me vendo fazer projetos, estudava, lia, fazia dever, desenhava na prancheta...nada mais coerente, certo? E tudo foi acontecendo devagar. Com algumas coisas imprevistas no meio. E foi aí que me veio uma frase de Oscar Niemeyer "Nós viemos aqui contar uma história". Isto mesmo.
A nossa história começa todos os dias, quando abrimos os olhos ao acordar. E é bom ter cuidado para que esta história seja bem contada. Com início, meio e fim.
A minha primeira experiência visual com a obra de Oscar Niemeyer, foi na Catedral de Brasília. Um espanto, pra dizer a verdade. Depois, vieram as outras pela televisão, revistas e Internet. Estou contando esta história toda porque no dia 15 de dezembro, ele fez cem anos e eu não disse uma palavra a respeito do fato. Achei que todos iriam falar, escrever. Não era preciso comentar nada. Esqueci completamente da história que tinha começado, antes de meu filho nascer, antes de pensar, escolher ser projetista. A obra escolhida para mostrar, foi a Igreja de São Francisco de Assis em Belo Horizonte, Minas Gerais. Sou mineira. Assim, nada como render a minha homenagem ao mestre, com uma obra em minha terra. Parabéns pelas belas curvas em seus projetos e pelos 100 anos de vida.

Foto e frase: http://en.wikipedia.org/wiki/Oscar_Niemeyer

domingo, 16 de dezembro de 2007

Um canto no mundo


balade en Lozère - 4, upload feito originalmente por Marcello14.

Quando fui projetista, um dos desejos foi projetar o meu canto no mundo. Consegui fazer alguns croquis e um projeto completo que jamais se tornaram realidade. Uma casa em estilo mediterrâneo. Nem me pergunte porque fiz esta escolha. Talvez por causa do lugar onde morava. Minhas escolhas, a maior parte do tempo são bem coerentes. E agora esta casa da foto, me lembra a primeira casinha que desenhei, quando criança. O caminho então, é perfeito. Caminhos estão sempre em meus desenhos, aquarelas, palavras ... Uma casa de pedra, foi uma das minhas fantasias preferidas, durante um intervalo de tempo. Algum medo, podia estar me revolvendo com pesadelos. A única saída foi fazer uma construcão que envolvesse pedra, para me sentir protegida do lobo mau.Rs! Tem sempre um lobo mau nas historinhas de criança. E nas minhas também. A minha vingança, foi quando surgiu aquela música "Mas chapeuzinho ouviu os conselhos da vovó, dizer que não pra lobo. Porque com lobo não sai só." Meus pesadelos acabaram como num passe de mágica. Muito bom. Depois, nem era mais projetista. E descobri " A Poética do Espaço" e Gaston Bachelard me proporcionou maior liberdade para um devaneio completo com Casa e Universo, pag 55 Capítulo II. Aí, sim fui capaz de fazer os meus melhores projetos. Eu que nem sou, mais projetista, nem Arquiteta e muito menos Engenheira Civil. Projetos perfeitos na construção de meus próprios sonhos e pesadelos também.(rs!) Sou completa. Tá pensando o que? E lá fui eu habitar minhas casas nas montanhas, na praia, na reserva florestal, a útima que está emprestada para minha amiga Nilda... Bem que eu poderia passar uns tempos nesta casa de pedra. Parece um lugar seguro. É vou me mudar hoje. Pelo menos uma temporada. Vou aproveitar e desenhar, escrever, ler e receber os amigos nos fins de semana. Pessoas são complicadas, mas adoro tê-las por perto...

sábado, 15 de dezembro de 2007

Amor...



Foto do http://blog.uncovering.org/

"Amar é uma decisão. É preferir ser vento enquanto todos preferem ser a folha que é levada por uma simples brisa." Este é o início do texto Sobre o Amor e Paixão, de Alessandro Martins.http//www.cracatoa.com.br/
"Amor é misterioso componente da vida que faz todos os dias terem sol."
http:wikipedia.org/wiki/Amor

Nunca tive coragem suficiente, ou amadurecimento para falar ou escrever sobre amor. E também tinha receio de escrever coisas ridículas, coisas de quem está enamorado e perdeu o rumo. Está bem, não perdeu o rumo, ganhou outro e disse aquelas coisas que normalmente ninguém diz. O que quero dizer com isto? Ah, já estive apaixonada. Muito apaixonada. Daquela de inventar nominho pro amor. Fazer o que? Melhor admitir. Com trilha sonora e tudo. Um dia o amor do outro acaba e você tem que resolver isto. Na sua cabeça, no seu corpo e na sua alma. Gente, levei tempo demais para estar escrevendo sobre isto. Foi preciso uma terapia, muito livro de auto-ajuda(rs!), muitas amigas e descobrir por acaso, que "economia de palito" é uma coisa inútil e era o que estava fazendo com minha vida. Achei o termo ótimo, conversando hoje, com Edyne. Já sei. Não foi este o assunto, coloquei aí, pra ficar mais dramático... Um dia, na aula de Pilates, minha professora resolveu ouvir toda a "trilha sonora do amor que não deu certo". Foi um chororô. Morri de vergonha e tudo. Mas, já passou. A vida tem dessas coisas e agora escrevendo, consigo estar mais distante e posso sorrir disso. O que fazer com estas lembranças, escrever este post, por exemplo. E dizer que juro por Deus, nunca mais me apaixonar? Nem pensei nisto. E o ex-amor assobiando "Fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho..." Agora estou apaixonada pela vida e pelas possibilidades que ela me reserva. Se vou ter outro único amor? Ainda não me perguntei e estava sarando as feridas do velho amor. Agora, estou bem. Sou capaz de dar boas risadas quando me lembro das coisas boas que me aconteceram. Meus dois filhos maravilhosos. Que me ensinaram e ensinam muito com o jeito diferente do meu que eles têm de amar. Não pude passar um bom exemplo com o amor, mas me virei pelo avesso e direito pra ser uma boa mãe...Amém!

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Diálogo

Esta é uma palavra preciosa. Existem inúmeros pensadores que escreveram sobre ela. Nós usamos para nos comunicarmos com o mundo ou com agente mesmo... E infelizmente, esquecemos disto a cada instante de nossa vida. Em quais mesmo? Simples assim. Quando não ouvimos nossos filhos e ignoramos suas reais necessidades. Quando ignoramos a presença do outro, seja na escrita ou na fala. A presença e a existência do diálogo é sentida quando há o reconhecimento do outro. Significa uma possível mudança. No meu modo de ver, olhar, perceber. Porquê o outro tem outros olhares diferentes do meu. Ao perceber, ver, investigar isto sou mudada de alguma forma. Ah, isto é inseguro. Nem sempre gosto de mudanças. Elas me assustam porque desconhecidas e com possibilidades que não posso controlar. Normal. Gosto mesmo é da mesmice. Do pensar igual. Do seguir os mesmos caminhos já descobertos. Nada de arriscar. Ora,que graça, ou que vida tem isto? Não sei e jamais vou agir assim. Viver é um risco. Aceito o risco e uso minhas linhas imaginárias, para fazer o meu desenho possivel do meu díálogo com o mundo e comigo mesma. Às vezes não muito coerente. Um tanto falar sozinha, outras vezes com as palavras com as quais me comunico com os amigos...

sábado, 8 de dezembro de 2007

Comentários...

Uma das coisas que mais gosto, são os comentários. Eles me orientam pra onde ir. Por exemplo, Inagaki fêz um muito bom, sugerindo que o bem estar pessoal é um ótimo assunto a ser explorado. E é mesmo. Assim, fazemos a troca. Não é este o objetivo dos comentários? Lendo e reparando nos meus, vejo que às vezes até são ignorados os assuntos do post. A pessoa dá o seu recado e beijos. Ou então, "passe lá no blog". E o assunto... é ignorado. Completamente. Uma das coisas que aprendi lendo o blog do Alessandro Martins, foi: aprenda a fazer comentários. Eles vão demonstrar que você é inteligente, leu o que está escrito e tem uma resposta a ser partilhada. Isto não é uma maravilha? Gente, não tem nada melhor do que receber uma resposta de quem você comentou
A troca ideal. Muito bom. Isto se chama para quem não sabe, consideração. Tenho o maior prazer em comentar e apoiar as campanhas que estes blogs fazem. Por exemplo, Papai Noel dos Correios, que o Pensar Enlouquece, Jacaré Banguela estão apoiando. E fiquei sabendo porque fui comentar no Querido Leitor. Isto é bom demais. São as coisas boas que acontecem por aqui. Tem outros assuntos bons, no Nossa Via, no Quero ter um blog. Estes são recomendados de hoje. Na próxima semana tem mais. Esta é a minha pílula da semana, enquanto aprendo escrever...

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Reflejos


Reflejos, upload feito originalmente por JoeMikel.

Reflexos... a palavra e o que é mostrado. As palavras servem para descrever o que sinto, a fotografia serve para unir oque vejo com o que sinto. Existe uma intenção na fotografia? Demonstrar a beleza do lugar. Não é como a palavra, que pode ter város sentidos. Depende do lugar onde está. Inventar um texto para uma foto ou uma foto pra um texto. E
você começa por uma linha, mais outra e outra ainda. E está perdidamente paixonada pelo texto e pelo retrato que reflete seu desenho interno de uma paizagem. Onde está escrito a fórmula mágica de um poema, que o namorado ousou fazer numa noite onde reflexos na paizagem, interferiram na palavra dita e na escondida embaixo da cama...

Pode ser diferente?


Já disse que adoro árvores e por coerência tudo que se relaciona com elas. Hoje de manhã, vi o final do jornal da manhã. E qual a última imagem que me chocou? Um homem serrando o tronco de uma árvore... no meio da floresta. E me pergunto, qual a mensagem quem filmou queria me passar? O horror de ver as florestas sendo destruídas e eu olhando e me lamentando sem fazer nada? Hoje vou fazer diferente. Em vez de só olhar, vou escrever. E perguntar se não já é tempo de mudar as coisas. Gente, estou deixando de ver tv. Qualquer hora, em qualquer uma das emissoras, se não estão rezando, estão mostrando trajédias. Que droga é esta? Experimente na hora do almoço... Não acham que está na hora de fazer alguma coisa? Um sinal pelo menos de que acreditamos ser possível mostrar também o lado bom. Tudo tem dois lados. Tudo tem avesso e direito. Deixar um dia inteiro sem ligar a tv, por exemplo. Pra começar. Não sei se isto dá certo. Podemos experimentar. Tem que ser uma ação organizada. Alguém tem que começar.Em algum lugar...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Você tem muitos amigos?

Para ser sincera, sempre tive medo de ter amigos demais e não dar a devida atenção para todos eles. A coisa que mais me angustia, é esquecer o aniversário de um amigo. Sei, está pensando que sou exagerada. Sou mesmo. Ou esta é uma de minhas peculiaridades.Você não pode imaginar aloucura que sou capaz de fazer para dar parabéns no dia certo. Claro que se não der certo no dia, peço desculpas e faço isto depois, mas morta de vergonha e com medo de arder no mámore do inferno, por causa da indelicadeza. E vocês sabem, amigos são imprescindíveis. Uma vida sem amigos, é sem sal, sem gosto, sem tempero. Uma vida aguada, um chafé, uma gororoba, um mel de coruja... Então é preciso ter atenção com as datas. Não esquecer de ninguém. O mês de de dezembro,é cheio de aniversários e hoje 06, é aniversário de Lídice(adoro este nome). Ela é minha comadre e ex-colega de universidade. Amizade antiga e sempre presente. Parabéns pelo dia de hoje! E amanhã é 07, o dia de Lêda. Uma das amigas que a vida foi me dando de presente. Ela também é minha comadre. Tudo de bom para você. Sinto muito sua ausência. E sabe, como é, você conversa, faz coisas diferentes, novas amizades e até amizades virtuais. Estou me lembrando aqui de Paula do Epinion no dia 08. Parabéns, querida! Pensou que a amiga aqui ia esquecer? Nada disso. E continuando, dia 09 tem Rá, amocê. Parabéns! e lá vamos nós com a ladainha, para lembrar de todos. E dia 12, a Nathy está presente em minhas lembranças sempre. Parabéns! E no dia 16, dia do aniversário de Ozzy e de minha querida professora de Pilates, Ba(Barbarella). Parabéns para os dois. E se me esqueci de alguém, fica pra o próximo capítulo, digo post. E terminando o assunto, quero agradecer a todos por existirem e fazerem parte da minha vida. Beijos

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Uma conversa pessoal...

O que você faz para ser feliz? Fala sério...Hoje caminhei pela manhã. Amanhã faço Pilates. É uma ginástica doida. Mental e física, para me sentir, bem dentro da minha própria pele. É por estas e outras que já quis mudar. Cor de cabelo,então nem se fala. E as dietas? Gente, o que já comprei de livros e revistas atrás delas. Das danadas das dietas. E quando é que isto começou? Ah, já sei. Depois que tive meu primeiro filho. Isto mesmo. Estava muito gorda e me sentindo péssima. E a minha mãe achou de me presentear com um espelho grande. Destes que você se vê inteira. Pura maldade...Fui imediatamente numa livraria para comprar um livro que me ensinasse como me livrar da gordura indesejada. Em vez de ir a uma nutricionista, médico ou especialista no assunto. Que nada. Estava com pressa. Consegui emagrecer os doze quilos que tinha engordado na gravidez. Uma dieta maluca, que nem me lembro como era. E isto é só o começo da história. Bem estava dizendo do Pilates. Faço três vezes por semana. Acho muito bom. Só está penoso é olhar pra meu corpo e pensar, que nunca mais vou pesar 52 quilos, nem que a vaca tussa, vire pelo avesso ou faça qualquer malabarismo. Meu corpo mudou. Minha idade mudou e meus pensamentos também. Ainda bem.
Outro dia, vi o programa Sem Censura na TVE, apresentado por Lêda Nagle,dizendo que o importante, é a mulher se sentir bem. Com saúde e contemporânea de si mesma. Muito bom. Concordo com a maioria das idéias apresentadas. Agora o lance de deixar o cabelo sem pintar? Todo branquinho? Qual é? Não é porque vai mostrar minha idade. É o trabalho que dá para mantê-lo assim,lindinho. Hoje fui cortar o meu. Fui experimentar a cabeleireira nova, um risco que ensaiei durante mais de uma semana. Estava cortando no shopping, mas ficou muito longe por causa de mudanças no trajeto. Melhor aqui por perto. Saio do Pilates direto para o lugar que toda mulher adora. Estava mesmo precisando de uma. Faz parte, né? Quando é preciso umas reformas mo visual, é bom ter onde recorrer. Gostei do corte. Cabelo curto, agora que é preciso estar sempre arrumada e pronta para começar...

domingo, 2 de dezembro de 2007

Uma velha estrada.


Old Country Road, upload feito originalmente por Gage Photography.

Nada como uma estrada para começar uma viagem. Uma de minhas primeiras pinturas em aquarela, foi de uma estrada. Ela tem o poder de me fazer viajar em minhas lembranças. O início de um caminho, colorido onde as experiências da se renovam. A foto como uma pintura, me faz atravessar no tempo e no espaço, a distância onde estão guardadas minhas recordações...

Dezembro...

Para começar bem o meu mês preferido, uma tela de Turner...Uma aquarela maravilhosa, pra viajar nas cores e na forma da tela. E também começar uma viagem através das palavras com o que vou contar aqui. Começa as férias, e o meu lugar no mundo, quando era criança era a roça da minha avó. Geralmente, ia a pé. Bem cedo para não pegar sol quente. Uma delícia! Hoje refaço o caminho mentalmente, com todos os detalhes. Cada canto é cuidadosamente, explorado. Lembro da casinha do lado direito de quem ia para a roça. Foi o meu segundo canto no mundo. A casinha era toda verdinha. Coberta de uma vegetação que já vi cobrindo muros. Musgos? Não sei. Só não era verde o telhado. Morei ali um tempão. O que mais? Toda a avenida era ladeada de magnólias, que têm flores amarelas. No início da avenida, tinham quatro pilastras que marcavam o inicio da Universidade. Adorava chegar neste marco. À direita tinha um jardinzinho, que não existe mais. Foi inundado. Agora uma lagoa. Estou na minha lembrança e nela existia um lugar bom pra fazer até picnic, andar de bicicleta. Quase no final da pista, do lado esquerdo, tinha uma estação de trem pequena. Tão lindinha...Não contei ainda . Tem uma linha de trem. Que também passava pela roça. O barulho do trem invadiu minhas lembranças. Fico olhando para elas e perdi o rumo do trem que já vem! Que já vem! Que já vem!

sábado, 1 de dezembro de 2007

Você gosta de caminhar?

Quase todos os dias da semana, faço minha caminhada pela manhã. Digo quase todos os dias, porque alterno com Pilates e no domingo, passo pensamentos e ...roupas.Rs! Então, caminhar para mim faz parte de minhas atividades diárias, e começou quando comecei a procurar dentro das minhas possibilidades, o que podia fazer por mim mesma. Você sabe, uma coisa leva a outra. Na caminhada descobre amigas, receitas,outros jeitos de fazer as coisas que só conhece do seu. Caminhar me deu outra dimensão da vida e de mim mesma. O contato com a natureza, o cheiro das plantas, estar de bem comigo e poder e dar um bom dia! Muito bom. Bom demais. E teve uma época em que escrevia textos e lia para minhas amigas. Escolhia o dia do aniversário ou não e descrevia o lado bom delas. Porque ninguém é doido de querer ouvir barbaridades a respeito de si mesmo.Rs! E isto foi uma forma que encontrei de fazer a caminhada ficar cheia de surpresas agradáveis. E tem mais. Até aniversários a gente comemorou. Com presentes e tudo. Foi um bom tempo. As caminhadas continuam, mas as amigas mudaram. E isto que foi bom. Aprendi que existe sempre mudanças. Nem sempre são ruins. Temos é preconceito contra elas. Medo, descreve melhor. Significa o desconhecido. E ele sempre assusta se estou sempre fechado prá balanço...Ah, mudanças acontecem todas as horas do dia. E não foi assim que conheci uma pessoa maravilhosa, chamada Edyne. Uma Arquiteta, com tudo eu que estava procurando para conversar, trocar idéias, livros pensamentos. E então, vamos caminhar? Descubra como é maravilhoso poder começar a construir seu dia com suas próprias pernas...

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

"Não se pode fazer nada sem a solidão" - Pablo Neruda.

Hoje é um dia especial para minha amiga. Um dia de solidão. É nele que curtimos nossa dor, tristeza, remorsos, culpas e todas as coisas que deveríamos ter feito e não fizemos. Dia triste. Rezamos para que chegue ao final. E se temos coragem suficiente para enfrentá-lo, vamos reconstruir tudo que deixamos aos pedaços. Uma nova fase começa a ser desenhada. Novas perspectivas, novos pontos de vista e horizontes a serem explorados. Tudo a ser construído. Esta força que só é encontrada na solidão. Um tempo de solidão... que você pode desfrutar, naquela casinha que tanto gostou e disse querer cuidar da horta. Pode ficar o tempo que for preciso. Um espaço e um tempo para olhar-se de novo. Por dentro e por fora. Descobrir o que estava oculto. Soltar as amarras do medo. Sem receio de ser ridícula. Apenas humana. E vale a pena lembrar que quando formos apenas uma lembrança, que esta seja boa. Colorida como os quadros do seu pintor preferido, transparentes como suas aquarelas recém pintadas. E lembre-se ainda tem um jardim com acácias para ser construído. E as sementes ainda nem germinaram. Este é o seu tempo. Seu precioso tempo. De aprender sempre que existem várias formas de construir o dia, a vida, o quadro. Bom escolher o melhor desenho, o melhor sentimento a respeito de si mesma. Vai fazer toda a diferença. Para você, a principal interessada e seus amigos. Seu fiéis escudeiros!
Este post é dedicado a Nilda minha amiga de coração e de recordação...

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Lembrança...

Outro dia estava pensando, se qualquer resposta é melhor do que nenhuma. Quero sempre ter uma e talvez a ausência seja uma boa resposta. Ser ignorado, é mais comum do que pensamos. Ou admitimos. Quando isto acontece, fico mal. Péssima. Depois encontro pessoas maravilhosas, que me animam, escrevem coisas lindas e me fazem rir. O mundo é assim. Dias de tempestade, dias de sol. Lugar comum para passear e olhar o que fiz pensando ser um a boa coisa e não foi. Este é o preço: nem sempre acertar. E depois ficar procurando palavras para escrever tudo isto aqui e me sentir melhor. Ah, isto foi ontem. Será só uma lembrança esquecida no varal depois da tempestade. E nenhum erro ortográfico foi encontrado. Maravilha. Uma palavra depois da outra para expressar exatamente o que estou sentindo. E no meio delas um espaço para perceber onde está o desenho do território. Aquele onde não foi possível explorar. Estava minado. A aventura terminou antes de começar. Uma explosão levou pelos ares a ponte que estava sendo construída. Sinto muito. O caminho não foi a lugar nenhum. Foi só um projeto que chegou a ser delineado e ficou no imaginário. Uma carta sem resposta para um carteiro inventado. É assim. Fazendo e desfazendo histórias. Construindo enredos sem pé nem cabeça. Só pra chegar no final "com um lobo mau e um chapeuzinho de maiô".
E dar muita risada. Se não der certo...

terça-feira, 27 de novembro de 2007

"Para mim, vidas devem ser compartilhadas", Paulo Polzonoff Jr

Li hoje o post do blog do Paulo, De como as amizades acabam. Por algum motivo elas acabam. Se somos responsáveis ou não, é bom lembrar que as pessoas mudam. Nós mudamos. As situações mudam. Quando a minha maior amizade terminou, fiquei me sentindo péssima. Culpada. Depois pude perceber que o tempo da nossa amizade tinha terminado. Foi um tempo de mudanças radicais em nossas vidas. Tenho boas lembranças e o tempo se encarregou do resto... Bem, não foi para falar deste assunto, que estou fazendo este post e sim para ressaltar a importância do que afirmou e que demonstra todos os dias. Reparte seus pensamentos, suas fotos com Paula, suas opiniões, receitas. Quer saber, Paulo compartilha a vida com quem presta atenção no jeito que convida as pessoas:"O que os leitores têm a acrescentar?" E nas respostas também. Quando percebe que pode ter sido ríspido, pede desculpas. Estas coisas simples, que fazem toda a diferença, para quem está do lado de cá. E o melhor de tudo isto é ler e aprender com o que ele escreve. Muito bom. Você compartilha o seu lado virtual com a gente, e nós agradecemos.
Ao escrever o post de cada dia também estou partilhando minhas experiências, meu dia a dia. Você escreve textos enormes, escrevo "pilulas" do dia adia. Ainda bem, que não sou pretensiosa de querer escrever muito e não dizer nada. O suficiente para me fazer entender. E já é hora de parar por aqui. Obrigada Paulo!

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

"Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela , o próprio sol. " Pablo Picasso

Cada ser humano tem dentro de si o poder da transformação. Uns transformam frases em posts, outros posts em frases. E ainda outros transformam situações maravilhosas em pesadelos... Diferenças individuais. Verdadeiros desafios a serem enfrentados todos os dias. Às vezes fico assustada com as rações das pessoas. Fico querendo entender o que foi que levou alguém a determinado comportamento. Talvez seja por isso que filmes e livros de investigação, me atraiam tanto. E hoje fiquei observando como posso desenhar uma situação fazer com que ela se transforme num sol de aquarela... Posso desenhar com as palavras. Mostrar o que existe atrás da janela. Com a cortina ainda fechada, para o sol não entrar. Um jeito de espreitar a vida. De controlar o mundo. Nada pode fugir do meu controle. Nada pode ser imprevisto. Se isto acontece, perco o rumo. Tenho a impressão de que fui traída. Fico sem chão. Para mudar a história faço um desenho abstrato. Penduro na parede e me perco nas linhas, mergulho nas cores. Heis que surge uma mandala e ilumina o ambiente, equilibra a alma pendurada no abismo da incompreensão das ações humanas. Estou quase no fim do corredor. No final uma porta. Uma enorme porta de madeira em estilo gótico. Saio correndo e alcanço novamente a liberdade de pensar, sonhar e construir tudo de novo. Porque amanhã é outro dia. Outro amanhecer. Outro fazer. Amém!

domingo, 25 de novembro de 2007

Fihos

Quando tive os meus, uma das preocupações que tive, foi criá-los diferente do jeito que fui criada. Ninguém tem bula para criar filhos.Rs! Mas pode se informar em como pelo menos, não prejudicá-los. Se fui ou estou sendo bem sucedida, posso perceber pelo comportamento deles comigo hoje. São filhos maravilhosos. Com defeitos e tudo. Fiz o que era possível e o impossível também. Li muitos livros, nunca bati, explicava tudo direitinho. Ainda me lembro do meu filho mais velho perguntando:"Por que?" Eles têm uma fase assim e tem que ter paciência pra responder e ser sincera. Se não sabe a resposta, diga que vai pesquisar. Estas coisas que esquecemos na pressa da vida. Se quiser que seu filho leia, deixe livros disponíveis pela casa. Ah, o marido também tem que ler. Senão, vai ser mais difícil. Tem um amigo meu que conta comodividia sua leitura com o pai. Fiquei na maior inveja. Não tive esta experiência. Tive um lance muito engraçado, que conto no post mais antigo "Como aprendi a ler". Agora, um bom exemplo é o princípio de tudo. Faz metade do caminho. Seja sempre uma boa companhia pra seu filho, contando histórias, ouvindo músicas. E sempre pronta pra ouvi-los. Não dê opinião, se eles não pedirem. E vão pedir, se precisarem. Deixei meus filhos com babás. Este é o problema que toda mãe tem, quando trabalha. Melhor mesmo, é deixar numa boa creche. E...trabalhar num turno só. O que mais? Ver tv com eles e ajudá-los a desenvolverem a capacidade de crítica. Questionar sempre. O que mais? Elogie. Sem dó nem piedade.Rs! Pode uma criatura viver e ser feliz por dentro e por fora sem apreço dos pais? Até pode e depois gastar rios de dinheiro fazendo terapia. Pode ser que tenha esquecido de alguma coisa. Se for este o caso, volto a falar no assunto, que é sempre envolvente e temos sempre mais alguma coisa pra falar.
Este post é dedicado a Kiara do Neste Instante, com desejos de ser mãe!

sábado, 24 de novembro de 2007

Um presente...

Ontem, foi um dia, vamos dizer, cheio de novidades e surpresas. Fiquei até tarde no computador. Normal, você vai dizer. Nada disso. Nem adivinha o que aconteceu. Nem pode imaginar. Escrevi o último post , pedindo desculpas a Samantha . Tinha excluído o comentário dela, com post e tudo. Nada mais justo do que fazer outro. Quando terminei, mandei um e-mail avisando. Ela disse estar online. Fiz o convtite para o msn e lá fomos nós conversar. Conversa vai, conversa vem, ela me perguntou, porque não migrava para o Wordpress. Comentei que até tinha pensado nisto, mas não sabia como. Então perguntou se eu queria. Nem estava muito consciente, via meu desejo se realizando como num passe de mágica e muita paciência(dela)rs! Gente, isto tudo é novidade pra mim. Nem vem! E foi assim que ganhei um blog de presente. Como no comentário, que fiz no post de Alessandro Martins: "Dê um blog de presente de Natal". E ainda disse, que meu aniversário, é no dia 19 e alguém podia ler. Ai, ai. Cuidado com desejos, eles podem acontecer. Por escrito então, mais poderosos ainda.Hehehe! Pensei em colocar um link e pedi ajuda. Nâo adiantou. Veio com intruções que ainda não compreendo.Sinto muito. Quem acompanhha meus posts, sabe do meu comportamento neurótico quando o assunto é colar,copiar, nomear,URL do texto. Já sei. Aulinhas de informática. Meu filho já disse a mesma coisa. E se recusa a me ensinar, deixa prá lá. Posso escrever e dizer o que penso disso, né? Então está bom.Tentativa e erro também é forma de aprendizagem...
Muito bem, ninguém é culpado de minha pouca sabedoria no assunto. Só eu. Euzinha da Silva. Aqui vou eu. Um dia aprendo e tudo vai ficar normal. Desculpe Alessandro!

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Mudando de Assunto...

Fiz um post ontem sobre Blogs. Li, comentei,fiz o post e coloquei links. Hoje pela manhã, li e encontrei muitos erros...Comecei a consertar. Estava indo tudo mais ou menos errado. Coisas de iniciantes no assunto. No meio dessa conversa, vejo o comentário de Samantha chegar. Imagina só o minha agonia. Não conseguia consertar o danado do post e ainda por cima apaguei. Isto mesmo. Mania de perfeição. Agora não tem mais jeito. Foi para o buraco negro.Rs! E aqui estou, mudando de assunto. Ou melhor, fazendo um outro desenho da situação. Fico mais confortável. A coisa que mais gostei de ter lido ontem, foi A bolsa de Mulher.Um lugar muito mágico. Meus fihos diziam que cabia tudo dentro dela.Rs! E no texto de Sam(adorei), vocês vâo ver que é mesmo. Ela dá varios links e assim é possível passear pelas bolsas de várias formas e tamanhos. Nao vou dizer onde ela foi passear. Entrem lá e descubram. Muito bom. Agora estou me sentindo melhor. Puxa! Nunca pensei que fosse passar por uma desta. Foi! E por falar nisto, obrigada Sam, pelos comentários. Na verdade, já fiz dois posts sobre este assunto. Estava repetindo. Comentários, são mesmo muito bons. E sabe que também fazia como você? Voltava pra ver se tinha acontecido alguma coisa.Quem sabe? Uma vez vi um post comentando sobre os sacos de supermecado. Aí, perguntei se ela sabia de algum saco de lixo biodegradável. Resposta? Nenhuma. Estas e outras que já me aconteceram por aqui. Que bom que existe gente como você. Pronta pra trocar informações e simpatia. Penso que este post, devia chamar "Recado para Sam"...Nãoé mesmo?

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Presente...


Acabei de ganhar. Isto mesmo. Fui fazer supermercado e quando cheguei no computador, ela estava me esperando... Árvores são sempre bem vindas. Pena que o teclado está com problemas. Manco, enganchando as letras, não quer dar espaço. Dureza. Vou mancando e conseguindo escrever alguma coisa. No dia da árvore 21 de Setembro, que passei todos meus primeiros anos escolares comemorando, não ganhei nenhuma. Agora, virtualmente uma beleza. Quase todos os dias uma árvore de presente. Tá certo. É exagero. Mas é ótimo poder exagerar. Ruim mesmo é o teclado. E o que mais? Quem me deu este presente? Foi o Irwin. Não perce nome de elfo? Daquele filme
"O Senhor dos Anéis". Achei ótimo, ele ser um elfo. Gosto de coisas mágicas. Se não é invento. E aí prometi que iria fazer um post quando árvore chegasse. Estou pagando a promessa mesmo como o teclado quebrado. Fim...

terça-feira, 20 de novembro de 2007

"Eu não procuro - encontro."

Melhor me conformar com a situação e tansformá-la a meu favor. Encontrei esta frase, numa reportagem sobre Pablo Picasso. Ele teve várias mulheres. Inventou a frase para explicar a presença delas em sua vida. É isto. Às vezes, as frases explicam outras complicam ou não dizem nada. Reparei, no quanto as minhas crenças estão condicionadas a frases. Dos outros. Na verdade, estou sempre querendo entender o mundo, as pessoas, os comportamentos. Quero uma resposta. Fiquei condicionada a sempre ter uma resposta. E a ansiedade piorou a coisa. Cada vez, respostas mais rápidas. O tempo está passando... E aí, resolvi que é tempo de parar com isto. Para ter uma resposta inteligente e satisfatória, não posso querer ter sempre à mão, uma resposta rápida a cada situação. É preciso ver as possibilidades, compreender a sitiuação e só então dar a resposta. Minha resposta. Que pode estar correta ou não. Este é o risco. Claro que ninguém quer errar.
O medo de errar me faz copiar a resposta alheia. E começa aqui uma história muito doida. Bem, aprendi e fui hipnotizada pra sempre, sobre o risco de colar e copiar nos testes e provas, quando entrei na escola. Foram muitos anos exercendo tal ensinamento. O que acontece agora? Preciso colar e copiar. Ai, ai! E agora? Estou bloqueada. Por mais que me ensinem, escrevo cada passo. Religiosamente, sigo as instruções e... vou dar no lugar errado.Rs! Ah, não sei mais como agir agora.Tenho de
descobrir uma outra maneira de aprender o que toda criança já sabe ou sei lá, já nasce sabendo. Será?
Estava procurando uma imagem para colocar no post. Como ainda estou aprendendo a utilizar os recursos disponiveis, isto é, não nasci sabendo, as coisas vão dar em outro caminho. Foi preciso desenhar com palavras. E chegar aqui.

Meu canto no mundo...

http://bloguncovering.org/archives/2005/09bruce_goff.html

Uma das melhores coisas que já li, foi como imaginar um lugar para morar e "morar" mesmo. A descrição era tão perfeita, que as possoas pediam para trabalhar lá. Desde então, procuro um lugar deste. Já tive uma casa nas montanhas, com riozinho e tudo. O lugar era meio frio. Então a casa tinha lareira. Para falar a verdade completa, quem fez a planta da casa, foi o meu filho que é arquiteto. Ele sabe que gosto de porão e sótão então projetou uma casa perfeita, onde passamos uma boa temporada morando. Hoje moro numa casinha pequena e confortável. Fica perto de uma reserva florestal. Escolhi este local porque nada como estar perto da natureza e sentir o cheiro de mato,ao levantar pela manhã. E tem mais uma qualidade, que é ficar perto da cidade. Assim, passo meus fins de semana e feriados. Foi a melhor coisa que fiz em minha vida porque ter um lugar onde posso ter minha hortinha, meu jardim e meu pomar é tudo que planejei pra ter o meu canto no mundo.
Fico imaginando a minha vó escutando os meus planos. Ela morava numa roça, que é como chamamos em Minas Gerais, e detestava. Vivia dando indireta para meu avô comprar uma csa na cidade. A até que conseguiu. Foi morar na cidade e minha avó adorava. Tudo que ela desejava. E tudo que detestei. Ah, como gostava quando chegava dezembro. Férias e tempo de passar acordando cedo e explorando cantos ainda desconhecidos da roça da minha avó. A roça foi vendida. Fiquei tão triste! Passados muitos anos, resolvi voltar ao local. Foi muito ruim. O lugar que estivemos quando criança, tem outra dimensão, quando adulto. Não devia ter voltado. Meu lugar de devaneio foi destruido com um só olhar. E agora aprendi. Se tem um lugar onde tive boas lembranças, fui feliz, vai ficar lá. Intocado. Bom para ser lembrado. Sem essa de querer voltar ao lugar pra ter os mesmos sentimentos. Isto não existe. Somos diferentes a cada instante de nossas vidas. E é por isso, que reler um livro tem sempre uma pontinha de decepção.

domingo, 18 de novembro de 2007

Passando...



Agora foi. Esta acácia foi conseguida por Mika. Aquela, a lindinha do Telhado de Barro. Fiz um e-mail pra ela contando que hoje é dia de passar roupas, pensamentos, planos, ações etc. O etc, ficou até bacana, mas nem imagino o que seja. Talvez um plano secreto ou um diário fictício. Achei o máximo, quando vi este exercício. Até comecei a fazer... Não deu certo. Tenho um problema sério com invenção, ou melhor, com mentira. Não sei fazer isto. Pode rir. Tudo que escrevo aqui é verdade. Ah, tá certo. Invento umas mentirinhas sim. Mas nem tem graça. Todos sabem que não é verdade Este negócio de mandar dizer que não está. Perigosíssimo. Se olhar bem ou prestar atenção na minha voz, está tudo lá. Sem tirar nem por. E agora mesmo estou andando sem rumo. Perdi o fio da meada. Estou com sono. Vou ali tomar um café, beber uma água. Voltando ao assunto, sem pé nem cabeça. Um fantasma. Para com isso.
Ouvindo uma musiquinha "Still Rainin" com Jonny Lang. Muito bom. Pensando melhor e o passeio começa. Devagar quase parando. Estar aqui escrevendo um post sobre passar pensamentos, fiz uma lista bem grande hoje. Sabe como é? Listas eté faço. Seguir é outra conversa. Me divirto com elas. Os assuntos são variados. Brinco com as possibilidades de escrever sobre o assunto e volto a realidade. O tempo passou e a roupa também.Rs! Até domingo que vem!

sábado, 17 de novembro de 2007

A imagem da Acácia...


trees
Upload feito originalmente por dorkyvegan
A acácia que tenho guardada é esta. Muito linda. Mesmo que esta não seja uma, merece ser olhada com carinho. Ela faz parte da minha coleção de lembranças boas. Foi assim que me senti, ao ler um cartaz imenso dizendo: "Lembra de um beijo gostoso que você deu".Viaaajei. Fui onde estava minha lembrança. Foi assim. E é assim. Como num álbum. Sentimentos bons, sensação boa. Uma brisa no rosto, uma liberdade para sentir a natureza, o perfume das flores. Na verdade é me sentir inteira para curtir amizades que surgem na minha procura insana por uma acácia florida. Puro prazer em apreciar a beleza da foto. Tudo que precisava sentir neste começo de tarde. Uma brincadeira, um desejo que mobilizou pessoas e uniu sentimentos.Obrigada, a todos os envolvidos. Muito bom mesmo. Obrigada por vocês existirem ...

Para uma telha de barro...

 
Posted by Picasa


Queria que a imagem acima fosse uma casinha. Adoro casas! Não tem importância, minhas
palavras podem desenhar casas, flores,sentimentos e até acácias... E também http://telhadebarroblogspot.com/. Não sei se deu certo.
O endereço está aí. A dona do blog? Uma gracinha. Verdade. Vou colocar o link aí do lado. E ganhei uma amiga maravilhosa. Presente do céu. Sim senhor!
Bom, estava caminhando hoje de manhã, pensando cá meus botões, sobre nomes. Quando somos adolescentes e estamos experimentando a vida, uma das primeiras coisas que implicamos é com o nosso nome. Claro que tem exceções. Não fui. Na geral mesmo. Achava meu nome muito curto. A primeira oportunidade que tive, acrescentei mais 300 Ah, claro que é exagero. Depois me falarem que nome muito grande é de ladrão de cavalo.Rs!Lá vou eu, trocar de nome. E meus filhos nasceram. Inventei de colocar nomes que tinham um pouco de história. Assim, pra eles contarem como foi escolhido o nome. Para terem orgulho. Pensei errado. Errradinho da silva. A história era minha.
Claro, quando foram pra a escola, problemas. Sabe o que é culpa? Daquelas bem grande? Tive e tenho. Era para terem orgulho do nome.
Claro que isto não acontece só comigo. A maioria dos pais acham que estão agradando.
E isto é antigo. O nome da personagem de Machado de Assis: Evarista. Pode? Invenção demais.Os pais (eu) quis contar minha história, colocando o nome deles com nomes de livros que já li. Muita pretensão. Minha sugestão? Mudarem o nome. Alguém tem sugestão melhor? Deixa este assunto para lá. Era só uma conversa de botões. Não era para resolver problema nem dar conselho.
Estão vendo que foto lindinha? Tudo a ver com o nome do blog e apareceu, sem ser escolhida...Rs!

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Árvores




Tudo começou quando resolvi contar a história da acácia. Como apareceu na minha vida, porque fiquei perdidamente apaixonada, qual a minha primeira e inesquecível imagem. Estas coisas que fazem parte, normalmente de uma história. Bom, primeiro precisava encontrar uma foto que desse para as pessoas perceberem que não era uma flor qualquer. Não era. Fiquei maquinando(coisa de bruxinha atrapalhada) como achar uma foto tão linda, que as pessoas, de cara iriam se apaixonar também. Coisa normal, quando a lindinha aparecesse. Um dia, estava lendo o Digestivo, quando apareceu, assim sem premeditação, um blog (ah, meu Deus!) Neste Instante. E qual não foi o meu susto! Encontrei a lindinha. E ainda por cima, para ficar mais linda, escrita assim:"Acácias molhadas". Paixão na hora. Como não acho correto copiar uma imagem sem pedir licença, foi o que fiz. Kiara, que é outra lindinha, não viu. Fiquei esperando e nada de resposta. Pensei assim, ela não quer sua imagem passeando por aí. E está certa. Afinal de contas, a foto é linda. Tirada do jardim de sua mãe, que deve ser um jardim encantado. Que tem pé de acácia? Não tenho dúvidas. Aí, o caso não ficou só nisto. Contei o caso no post Acácias. Ficou parecendo que houve má vontade.
Quando na verdade, não é nada disso. A minha incompetência em mexer no computador é algo assim escandaloso. Verdade. Andei copiando umas acácias lindas. E quem disse que achei para colocar no post?
Então, como tem um blog que também econtrei no Digestivo, o Djabal, com umas fotos lindas, resolvi pedir ajuda. Socorro!!! Exagerada. Hoje de manhã, lá estava um email, com a árvore separadinha, no jeito para ser colocada no post e escrever. Muito bem.
Vocês estão vendo alguma coisa? Fiz tudo do jeito que não era par ser feito. De novo!
Conclusão, peço desculpas a Kiara, pelo mal entendido, a Djabal, pela pesquisa e a Dai que escreveu lindinho sobre acácias e dedicou para mim. Estou querendo usar minha varinha de bruxinha, consertar os estragos. Espero ter conseguido. E como não sei colocar links, os nomes estão aí do lado esquerdo (como no coração). Meu filho diz que preciso de umas aulas de computaçaõ. Aquilo que aprendi a usar antes, não serve agora. Sabe que ele esta certo?

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Acácias...




Adoro árvores. E floridas então...Meus olhos passeiam. Descansam,sonham. Lembro que na minha infância, era comemorada na minha cidade natal, "O Dia da Árvore". Como esperava esse dia! Parecia um dia encantado. As crianças ganhavam presentes...e engraçado não me lembro de ter ganhado uma mudinha. Jamais esqueceria um presente destes. E segui com esse amor roxo pelas ávores. Quando a Universidade mandou plantar ipês amarelos, perto da biblioteca, não queria mais sair de lá. Tudo no mesmo lugar. Livros e ipês amarelos, que foram minha paixão por mitos anos. Levei até uma muda para o lugar onde morei. Não deu certo. Era muito quente e meu ipê amarelo morreu. Fiquei muito triste. Aí, quando meu segundo filho nasceu, da janela da clínica, dava para ver a maravilha que guardo até hoje, como a melhor imagem de uma acácia toda florida. Minha segunda paixão.
Uma paixão que dura até hoje e não pode ser realizada. Morava numa casa, e resolvi plantar a minha lindinha. E cuidei dela. Era pequena, ficava com medo que a chuva levasse minha plantinha. Mas não foi a chuva, que colocou fim na minha acácia. O jardim foi podado...E lá se foi a minha plantinha. Então, para encurtar a conversa, transferi o meu amor por todas as acácias que vejo. Até por uma "acácia molhada", no blog "Neste Instante". Onde pedi para copiar a imagem linda que vi lá. Não obtive resposta, então, fica para outra ocasião... E contei a história para minha amiga Nilda. Ficou sensibilizada. Plantou uma acácia em minha homenagem, no seu sítio. E esta história não termina aqui. Pedi a Djabal, para arranjar uma foto bonita. Não deu jeito ainda. Um dia vai dar, ah vai. Por equanto fica assim...Vou fazer almoço. Depois conversamos. Até...

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Ler...

Uma das coisas mais interessantes que já li sobre livros, foi uma pessoa dizer, que o seu incentivo à leitura, foi ver seu pai, dando risadas enquanto lia. E hoje dei muita risada enquanto lia, O Morro Dos Ventos Uivantes, hoje de manhã. Contei para meu filho.
Não achou um pingo de graça...Vou transcrever aqui, o motivo de minhas risadas. Talvez não seja tão engraçado assim, mas eu achei.Rs!
"José rosnou uns sons indistintos lá nas profundezas da adega, mas não deu sinal de aparecimento, de modo que seu patrão desceu para procurá-lo, deixando-me cara a cara com a celerada da cachorra e um par de terríveis peludos cães pastores que com ela exerciam estreita vigilânia sobre todos os meus movimentos. Pouco desejoso de entrar em contato com os seus dentes, fiquei quieto, mas acreditando que eles dificilmente entenderiam insultos tácitos, pus-me infelizmente a piscar os olhos e a fazer caretas para o trio. Alguma expressão no meu rosto irritou tanto s "madame", que ela enraiveceu de repente e saltou-me para os joelhos." O que tem de engraçado? Imaginar a cena... Não informaram a ele que encarar um cachorro é o sinal que ele espera para atacar.(rs!)
Quando meus filhos eram pequenos, precisavam da minha presença e atenção. Ficava no sofá lendo e eles brincado na sala. Quando queriam minha atenção, me chamavam. Estava viajando em algum livro...Foram criados no meio de livros e revistas. E muitas risadas parecidas com estas. Lembro de meu filho mais novo ler e reler uma revistinha de Cascão e dar muita risada, porque o ladrão foi assaltar Cascão e quando ele levantou o braço, o ladrão desmaiou.Rs! E sabem o que aconteceu? Nem adivinham,né? O pai deles, quando me via lendo dizia "O tempo está passando"...Nunca dei muita bola para isso, mas deve ter ficado como uma mensagem interna de coisa muito ruim ou inadequada, para eles. Não herdaram a minha paixão pelos livros, o que seria normal. Acabei de descobrir isto. Impressionante! 300 anos depois.Hehehe!

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Silêncio

A janela estava fechada. Abri para a claridade entrar e também poder ver o mar. Que hoje está azul. Aquele azul profundo das fotos e das aquarelas que desejei pintar. Comecei a minha tarde assim. Nas lembranças. Quando fiz um post sobre as palavras que me encantam, recebi sua visita me dizendo, que adora silêncio. A palavra ou o que ela significa, não importa. Agora, o meu silêncio será sempre lembrado como uma preferência sua. E assim, após cada vez que chega aqui, sua palavra chega primeiro. Deixa rastros a serem seguidos. Caminhos a serem descobertos. Com o sol que já vai se pondo, as luzes precisam serem acesas para uma nova realidade.
Este silêncio que tem uma deusa, uma história a ser contada, um significado especial que só você pode contar. Pode nos comunicar como ele chega e como vai. Ouço o vento, está forte hoje. Traz um pouco de tudo. Do barulho do mar, dos latidos dos cães. Das vozes ao longe. De uma briga iniciada...O vento traz o barulho do mundo. E até alguma criança aprendendo a assobiar. Penso que assim é o encanto das coisas. Quando vemos nos pequenos gestos, um significado especial. Uma amizade que se inicia. Uma palavra que une e amplifica tudo que sentimos nos mínimos detalhes...Esta é a minha surpresa para você. Obrigada por suas palavras de incentivo. Por sua maneira especial de ver. Dai.

sábado, 10 de novembro de 2007

"A Bruxinha Atrapalhada"





Há um bom tempo, procuro para comprar, o livro infantil que mais me encantou. Ele não diz uma só palavra. Mostra através do desenho inteligente, a aventura e invenções da Bruxinha Atrapalhada. Com sua varinha, ela transforma e modifica o entorno (Eva Furnari é arquiteta) seguindo seus desejos ou facilitando suas brincadeiras ou não. Sabe aquele desenho cheio de detalhes, que quanto mais você olha, mais descobre coisas que não tinha visto antes? Este é o livro. Perfeito. E tem mais, não me cansava de observá-lo. Estava sempre me contando um detalhe que tinha passado desapercebido. Pura magia...que sumiu das livrarias onde tenho acesso.Já sei. Nas virtuais, já raparei que existe. Este livro faz parte da minha história. Tenho o maior orgulho de ter podido apreciar esta obra prima. Ah, Eva Furnari, também é Artista Plástica.

Blog Linha: A Linha

Blog Linha: A LinhaQuando vi o post no blog o Alessandro, levei um susto. Um susto bom, é claro. E penso que tudo que sei sobre linha, é só o inicio. O ponto inicial onde ela começa...
"No passeio da linha pelo papel, num determinado momento, a ponta do lápis sai do papel; a linha desaparece. Quando a ponta penetra novamente no papel, a linha surge densa, suave, carregada, solta, mais ou menos espessa. Ora a linha caminha na superfície do papel, ora mergulha para dentro dele, sugerindo uma espacialização." (E.D.p.144) E assim, tudo que se relaciona com linha, me encanta, faz sonhar. No papel a linha ilude, trapaceando espaços. E cada frase sobre a linha, me faz rever valores, ter outro ponto de vista, olhar por outro ângulo. Vou viajando nas palavras ditas e inventando outras maneiras de ver. Enrolo a linha no carretel, enfio a linha na agulha e vou costurando a vida de dentro pra fora e de fora para dentro. Porque tudo tem avesso e direito e meio.Tudo pode ser costurado e desmanchado. Fazer e refazer. E encontrar no meio disso tudo a linha do encontro com o prazer de estar sempre recomeçando um desenho, um post, um olhar...

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

O Ninho



E para saber de onde nogueira maravilhosa foi "importada":
http://blog.uncovering.org


Já escrevi aqui sobre a minha paixão pelas palavras. E ninho, tem seu lugar especial. Fica na pág.103, no Capítulo IV. Do meu livro preferido. De onde tiro as imagens para os meus devaneios.

Colhi um ninho no esqueleto da hera
Um ninho suave de musgo campestre de erva de sonho.
Yvan Groll."Tombeau du Père",
apud Poètes d'aujourd'hui,50,
ed. Segher,p.156
on
E hoje, li um post no Obvius onde Tajana descreve com palavras desenhadas com capricho as belas nogueiras. Maravilhosas. Onde uma delas
esconde um ninho. Ahá! E é isto.
"No mundo dos objetos inertes, o ninho recebe uma valorização extraordinária. Queremos que ele seja perfeito, que traga a marca de um instinto bastante seguro. Ficamos encantados com esse instinto e o ninho passa facilmente por uma maravilha da vida animal." G.B.(p.104)- A Poética do Espaço.
Então, o ninho acima descrito, fica numa hera, o de Tajana, numa nogueira oca, e o meu no jardim de Lêda. O lugar não importa. É a imagem do ninho, que é encantada. "A descoberta do ninho é sempre uma emoção nova".
Van Gogh pintou muitos ninhos eu escrevo sobre eles.
A palavra é mágica, porque envolve a função de habitar. Os inúmeros modos de devaneios, nos faz criar imagens nunca antes exploradas. Com a possibilidade de existência de uma bela nogueira, meu ninho foi parar em outro país...
Perguntei se podia copiar a árvore para colocar o ninho. Não ouve resposta. Então, aí o endereço fica Obvius - num olhar mais demorado.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Escrever...

Quando pensei em fazer um blog, imaginei quem iria ler. Agora, me questiono se o que escrevo é para mim. Talvez seja. Escrever é solitário. Uma conversa de doido. Uma boa conversa comigo mesma. Uma comunicação interna. Sei lá. Gosto de ver as letras formarem frases e desenharem meus pensamentos. E francamente, usar o lápis para desenhar formas externas, às vezes torna-se mais fácil. Sair por aí, sem ter onde parar nem como começar. E um vizinho que resolve pular corda bem em cima da minha cabeça às 16:53, é muita sorte. Vamos seguindo em frente. Sempre pensei que escrever, me organiza. Por dentro e por fora. Então faço longas listas. Pra começar o dia, a semana, o mês. Resolve em parte, depois esqueço as tais listas e minha vida continua uma bagunça. Uma bagunça organizada, é verdade. Sempre sei onde encontrar o desejado. E hoje estou perdida nestas linhas. "Escrever é um exercício de imaginação". A minha hoje esá sendo perturbada por uns pulos de corda do vizinho de cima e por um cachorro latindo. Não sei onde vou parar. E as costas doem. Estou cansada de ficar sentada. Vou dar uma volta. Agora sim, estou melhor. Levo susto quando Ju, me chama no msn. Está lendo o blog...E aqui vou decrevendo que acontece, enquanto escrevo. Meu filho acabou de ligar, pergunta se preciso de alguma. Digo que não e continuo juntando as palavras. Formando uma colcha de retalhos. Que formam desenhos. Ora abstratos ora figurativos. Também com possibilidades de serem incompreenssíveis, quando converso com meus fantasmas internos. E choro ao ter pena de mim e por não saber como agir. Fico paralizada, sentindo as lágrimas deslizarem no meu rosto. E agora? Termino o texto e vou fazer o jantar...

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Aniversários

Quando meus filhos eram pequenos, tinha prazer em fazer bolo, salgados, docinhos etc. Hoje já não ando tão animada com a história. Fico agoniada. Não sei se faço ou não e aí, acontece o aniversário e não me movi do lugar. Claro com as devidas recriminações. O que só me faz pensar numa coisa, o que fazer com tanta comida? Ah, então não foi criada com um pai que dizia "Não jogue comida fora", "Colocou no prato tem que comer", "Olha o olho maior do que a barriga", "Tem muita gente que não tem o que comer" e por aí afora...Com toda estas nuvens de frases hipnóticas, quando tem um aniversário para comemorar, entro logo em pânico. E não saio do lugar. O que será de mim no próximo? Nem me lembre disso.
Para não ficar muito por baixo, e dar risadas com as situações enfrentadas, vou contar o que aconteceu ontem. Fiz o post contando o caso do bolo com ovo pré cozido com sol. Quando minha comadre leu, disse "Anna, você colocou a medida errada. São 2 colheres de margarina e não duas xícaras. Se as meninas(são as filhas dela com mais de dezoito anos),resolvem fazer, vão passar mal.". Nesse instante, tive um ataque de riso. Não conseguia parar. Nem me pergunte o porque. Talvez, imaginando tudo o que é possível, com uma receita errada. Como já aconteceu comigo. Bem, podia ter consertado ontem mesmo e não fiz. Resultado, não dormi direito, tive pesadelo e 4 horas da manhã, lá fui eu consertar a receita. Fiquei tão estressada com a história(nem tão grave assim.)(rs!} que era para contar outra coisa e saiu esta. A outra,fica pra outra ocasião. No próximo post sobre o assunto, revelo o nome da minha grande amiga e comadre. Só para fazer supense. Aguardem meninas!

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Feriado

Acabei de conversar com minha comadre. Isto ainda existe e a minha é da melhor qualidade. Ela nunca esquece o aniversário do meu filho. Presenteia e ainda faz o bolo. Mesmo estando de regime. Isto não é para qualquer um. Ela adora fazer bolo. E tem sempre um que está na moda. E aí, inventa mais coisa para ficar melhor. Engordaite? Lógico. Coma só um pedacinho, não o bolo todo,né? O bolo da vez é o verde.
Ummm! Uma delícia. E por falar em bolo, e toda esta conversa fiada, foi para contar uma história do fim de semana dela, em Guanambi-Ba.
Quis aproveitar o tempo e foi com o marido para a roça. E aí, como não tinha nada pra fazer mesmo, resolveu fazer o que? Um bolo. A roça dela é chic. Tem eletricidade. Mas ela gosta mesmo é de roça de verdade. Toma banho frio e o fogão é de lenha. Voltando ao bolo, pegou o material e começou a fazer. Quando foi colocar os ovos, surpresa! Completamente duros. Isto mesmo. Nem pensou duas vezes. Vai assim mesmo. E fez o danado do bolo. Disse ter ficado uma delícia. Não experimentei, mas confio na minha comadre.
Observação: Sabe aquela história de colocar o ovo no sol ou em cima de uma pedra e ele fritar com o calor do sol? Mais ou menos isto aí.
Só acreditei na história toda porque quem contou é da minha maior confiança. E agora, a receita do bolo.
Nome: Pudim de pão de Minas porém sem pão.
* 3 ovos
* 2 xícaras de açúcar
* 2 colheres de sopa de margarina
* 1 litro de leite
* 3 colheres (das de pegar arroz) de farinha de trigo
Bater tudo no liquidificador e assar em forma untada com margarina durante uma hora no forno a lenha.( Já pensou que calorão? Aquele calor que faz ovo cozinhar sem ir no fogo...E minha comadre,lá, enfrentando o danado.Rs!)
Bom, depois de uma história dessa, só fazendo o bolo. Ela disse que ficou muito gostoso e acredito nela.

On the road


On the road
Upload feito originalmente por isim
As estradas me fascinam. Talvez esteja procurando minha estrada interna. Esta foto demonstra a habilidade do fotógrafo. Desenhou com a lente, tudo que é possivel. O impossível são minhas palavras e sentimentos a respeito dela...

domingo, 4 de novembro de 2007

Road to nowhere


Road to nowhere
Upload feito originalmente por isim
Uma estrada. Ela sempre leva a algum lugar. Conhecido ou desconhecido. Gosto de estradas. De viajar nelas. E assim um fotógrafo descreve com imagens, o que tenho internalizado. Uma estrada para meus possíveis sonhos e uma realidade a ser explorada.
Onde está a estrada de meus sonhos e a realidade da estrada?
Ela está em algum lugar, onde hoje ainda não posso alcançar, mas posso aprender como chegar lá.

Pensando, digo passando melhor...

Todo domingo, é dia de passar roupas. Aproveito e passo pensamentos e planos também. Você sabe, algumas coisas não dão certo. Outras ficam velhas, não cabem no momento atual.
A tarde está maravilhosa. Abro a cortina para ver o mar. O vento está forte. Como o de ontem que bateu a minha porta. Estou feliz! Com a visita que recebi hoje, com a acolhida que tive, da minha vizinha e amiga Graça. Que agradeço de coração.
Não tenho dragões que vejo voar pela janela, nem sonhos parecidos. Tenho um mar bem azul na minha frente, no qual é possível navegar. Ou descansar o olhar e imaginar sonhos possíveis. Posso escolher. E começo pintando com as palavras. O que faço com uma tarde linda dessa, bem na minha frente. Pronta para ser usada. É só vestir um pensamento, calçar um sapato vermelho e explorar o possível. Dentro e fora do meu espaço. Ler um livro, tomar um banho, escutar uma música. Fazer um café. Deitar numa cama aconchegante. Dormir um sono profundo e acordar pronta par começar tudo outra vez, na segunda-feira.

sábado, 3 de novembro de 2007

Porta

Uma das primeiras pinturas em aquarela, foi uma porta. Adoro portas. Que podem ser pintadas, abertas, fechadas, trancadas. Só não, quando o vento faz o "favor", de entrar pela janela e bater a porta, com a chave por dentro. Que sensação e impotência, ficar olhando para a porta e não poder fazer nada. A não ser, esperar o chaveiro chegar.
Uma porta fechada, para ser desenhada é uma situação ótima. Fechada, quando não tenho a possibilidade de abri-la, é outra coisa. Embora, não tenha adiantado nadica de nada, fiquei nervosa e com dor de cabeça. Reações normais. Na hora não penso assim. Penso mal de mim, me recrimino, como uma descuidada. Esqueço todas as minhas qualidades e me sinto a pior pessoa do mundo. Só porque fiquei conversando, esqueci o vento, a possibilidade da porta bater.
Mas, quem tem uma amiga, bem em frente à porta fechada, fica feliz. Uma porta fechada, é oportunidade para colocar a conversa em dia, trocar receitas, tomar um café quentinho. E se considerar a pessoa mais feliz do mundo, por que é tudo um feiche de considerações a serem levadas em conta. Uma oportunidade que a porta fechada criou. Tudo isto e só isto, aconteceu hoje, pela manhã.

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Igreja Matriz, Pirenópolis


Igreja Matriz, Pirenópolis
Upload feito originalmente por isim
Uma foto lindíssima da Igreja Matriz de Pirenópolis, tirada por Ivan. Um fotógrafo muito bom, que diz não compreender como acontecem as coisas na internet. Umas chamam atençao e outras não. Como os desenhos de Paula, por exemplo...
Ivan, sua foto é maravilhosa. Amei.
Melhor vc visitar o blog Linha e deixar um link. Vai ver como ser será visto.
Falar mais o que? Seja bem vindo! Até mais.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Minhas Aventuras na Cozinha...( parte 2)

Não posso brir a janela, mas posso ver o azul do mar. E a conversa de comadre correndo solto. Hoje, recebi a visita se uma pessoa que admiro muito, a Ni. Ela comentou no post
anterior a este, no qual comentei como comecei a enfrentar a cozinha.
Hoje em dia acho muito bom estar na cozinhando, mas nem sempre foi assim. Odiava estar na cozinha. E dizia que nunca iria enfrentar um serviço desses. Ía trabalhar e pagar alguém para fazer. E como disse a vida tem mudanças inesperadas. E como tem. A minha tragédia pessoal(para exagerar um pouco), era que meu filho não gostava da minha comida e me sentia infeliz, rejeitada. Estas coisas de paranóia de mãe. E não me conformava. Devia ter um jeito de modificar isto. Tem mesmo. Sempre tem. As respostas sempre existem, mesmo as que não procuramos(rs!) Um dia, fazendo supercado, vi um pacotinho, escrito tempero completo. Resolvi levar e experimentar. Achei. Sem querer. A explicação vem agora. Meu filho é bahiano. Nunca tinha experimentado comida mineira. Experimentar logo a minha? Tinha que dar errado. Chorei bastante, me senti culpada e o tempero me salvou. Sério. O segredo da cozinha é o perfume, o cheirinho bom de comida comida que nos acompanha para o resto da vida. Comida de mãe. A dele, não era a minha, mas a que ele aprendeu a reconhecer, como cheiro de comida gostosa. E por enquanto, viva a comida bahiana. Com pimenta e tudo.

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Minhas aventuras na cozinha...

A primeira vez que entrei na cozinha para fazer um almoço, foi porque a minha mãe adoeceu. Tinha o maior ciúme. Nem ligava. Cozinha nunca foi meu forte, até ficar desempregada, sem dinheiro e com o rumo da vida perdidinho. Ter que aprender e gostar, foi muito nó para minha cabeça. Ah, foi. E o que foi que fiz? Ver programa de televisão, que mandava a menina acordar. Foi um negócio muito doido. Fiquei dias e mais dias hipnotizada, copiando receitas. Fiz mais de 300 cadernos(um pouco de exagero pra ficar engraçado). E copiava. E copiava. Meus filhos falavam "Para que você está copiando isto? Não faz mesmo." Ficava muito zangada e mandava que ficassem quietos pra ouvir a receita. Até que um dia resolvi fazer uma cocada com leite condensado e ir vender na rua. Ficou gostosa mesmo e vendi tudinho. Passei um bom tempo, no ponto de ônibus, sem saber onde mesmo que estava.(Rs!). Claro que isto não eu certo. Não sabia vender. Só fazer. E foi assim com todas as coisas que resolvi fazer e vender: camisetas pintadas a mão, cocada de leite condensado, pães e outras coisas que não estou lembrando agora. Que coisa, né? Estava faltando um pequeno detalhe que é indispensável, para dar certo: saber negociar ou fazer um curso e aprender . As instruções não foram suficientes, nem adequadas. Nem percebi o que estava acontecendo direito. Quando me vi sem lucro e trabalhando que nem uma doidinha...Pensei, hora de parar. Não nasci para ser infeliz , nem ficar queixando da vida. Se uma coisa não dá certo, parto para outra. Sonhos e objetivos é o que não me faltam. Pode faltar dinheiro na hora, o resto acontece.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Arte Abstrata





Gosto de arte abstrata. Não preciso compreender, o que o artista está expressando. Só de gostar do que está sendo expressado. Se estiver interessada, em saber mais sobre o artista, é outra conversa. São detalhes a serem estudados no livro Universos da Arte de Fayga Ostrower, por exemplo. Na pág 242, ela fala sobre um quadro de Mondrian, que não é este acima, Composição, 1921 (ilustração número 58).
"Na presença de azul-vermelho-amarelo, conjunto de cores primárias, o preto e o branco - que são cores terciárias - distanciam-se num intervalo espacial maior. Portanto, a mesma articulação que Mondrian dá às superfícies, também a dá às cores. Já pelo fato de estarem relacionadas como primárias-secundárias, as cores têm caráter de cores superfícies. Mondrian as elabora ainda no sentido de cor-superfície-intervalo, procurando sempre manter plana a forma do espaço."
Para quem quer compreender, isto é um bom prato. Saber nunca é demais. Agora, gosto de arte abstrata e não preciso de explicação da técnica usada. Claro que ele sabia que estava fazendo. E eu só gostando do que ele fez.

A Linha





"A linha, elemento essencial da linguagem gráfica, não se subordina a uma forma que neutraliza suas possibilidades expressivas. A linha pode ser uniforme, precisa e instrumentalizada, mas também pode ser ágil, densa, trepidante, redonda, firme, reta, espessa, fina, permitindo infindáveis possibilidades expressivas. A linha revela nossa percepção gráfica. Quanto maior for o nosso campo perceptivo, mais revelações gráficas iremos obter. A agilidade e a transitoriedade natural do desenho acompanham a flexibilidade e a rapidez mental, numa integração entre os sentidos, a percepção e o pensamento." (Edith Derdyk-Formas de Pensar o Desenho)

É assim. Quanto mais estudo desenho, sempre tem algo a aprender. Descobri este texto, quando procurava alguma coisa para escrever sobre linha. Percebi, então os motivos, as razões de se pedir para desenhar, quando se faz exame para tirar carteira de motorista. Isto mesmo. Acho engraçado quando as pessoas falam sobre isto. Elas ficam pensando que é preciso saber desenhar. E isto deveria ser explicado. Não tenho certeza, mas até pode ser, elas não acreditam. É verdade.Desenho está ligado a uma crença chamada dom. Se você demonstra por a mais b, que qualquer um é capaz de desenhar, elas não te ouvem, nem lêm. Impressionante.
Custei a compreender isto. O que move o ser humano, é a crença que ele tem dentro de si e como expressa esta crença, nas coisas que faz. Ponto final. Mudanças, são muito difíceis. Dá um trabalhão. Não estão interessados.
Lembro das minhas aulas de Educação Artística. O pavor dos alunos sobre o assunto. Para provar a eles que todos eram capazes de desenhar, foi um exercício e tanto. E ao me encontrar com uma ex-aluna, percebo que não fui bem compreendida. Se fiquei triste, não. Estou dando o recado agora. O que tem que ser salvo é a crença em si mesmo em primeiro lugar. Tudo acontece a partir daí. O que a pessoa vai fazer com o que aprendeu, precisa ter como base este crédito. É partir daí que ela vai procurar digamos, seu lugar no mundo e seu jeito de se expressar. Nem precisa entender psicologia, para compeender isto. E por aí, vai.

domingo, 28 de outubro de 2007

Amizade

Vou escrever hoje sobre amizade. Um laço de afeto que une os seres humanos. Como sou uma otimista de plantão,prefiro ver ouvir e sentir o melhor lado das coisas e dos seres. Ah, porque, o lado ruim é sempre notícia e tem quem aprecia espalhar.
E quer saber, sempre temos a ganhar com as amizades. Mesmo se não temos contato físico ou não nos olhamos nos olhos. Sinceridade, existe através de palavras de incentivo. De crença no que o outro é capaz de fazer. Isto é amizade da boa.Daquelas que não é preciso usar de desconfianças,mentiras e outros disfarses. Como elas nascem de um interesse em comum, são duradouras. Estão sempre entre nossas melhores lembranças e sentimentos. E fico me perguntando como encontrar palavras que caibam dentro do espaço que a amizade constroi.Talvez não existam. Ou preciasm ser inventadas. Qualquer coisa que expresse esse sentimento bom, essa paz interna, quando seu amigo consegue um prêmio almejado . A amizade é tudo de bom que o ser humano pode oferecer ao outro. Sem pagar imposto, cobrança,troca. Existe e pronto. Sem neuroses. É tudo de bom.Ponto final.

sábado, 27 de outubro de 2007

A Procura de Paula...

Paula está procurando e está difícil de achar. Para ajudar resolvi fazer um post, com este assunto. Se vai resolver, não sei. Possibilidades sempre existem, mesmo se não acreditamos nelas.
Nacráudia é amiga de Paula. Pessoa muito sincera. Bem que ela quis ajudar. Não deu certo. O marido dela, é muito ciumento. Nem posso tocar no assunto. Perigoso...
Muitas pessoas escreveram para ajudar, mas nada aconteceu e ela não quer voltar. E agora estou começando a ficar sem assunto. Fim da linha, pergunto. Já que não posso usar a interrogação. Tudo indica que sim. E olha que este post é só pra ajudar a Paula. e você já deve ter percebido que o assunto não tem fim. Só quando a procura chegar ao fim. E agora o que posso fazer mais é ir até o fim. Da linha, da estrada, do post que está virando uma enrolação só. Sei não.Tudo bem. Só não posso esquecer de dizer, que mais sobre o assunto, é só usar o link, no lado esquerdo do post.
Então, até mais.

Um assunto leva a outro...

Fiquei pensando hoje cedo, enquanto caminhava, qual é o lugar onde tenho as melhores idéias. Isto porque, disse no post Caminhos, ter decoberto um jeito de transformar o "passar" roupa em algo melhor. Depois li no post de Paulo Polzonoff Jr, que a água é a sua grande aliada. E os comentaristas dele falam sobre isto também. Como sou mulher, mãe e cheia de culpas, não posso fazer o mesmo. Usar a água para ter boas ídéias...Nem pensar. Só se for lavando louças(rs!). Reparei nisto ontem. Muito bom. depois de passar horas no computador, antes de dormir.
Também, quando não posso anotar. Nenhum papel ou caneta à vista e aquelas idéias maravilhosas me ocorrem. Por isto, coloquei canetas e "caderninhos"
de anotações em todas as minhas bolsas. Claro que não resolveu. E isto é uma outra história...Sabe, percebi que este negócio de ter lugar para pensar melhor e ter boas idéias, pode ser uma desculpa, um arranjo ou acordo com agente mesmo. Posso estar errada ou certa. Não impota muito, as diferenças individuais possiblilitam inúmeros comportamentos.
Já reparei também, quando estou cozinhando que as idéias fluem. Formam desenhos de escritas perfeitas. Soluções jamais imaginadas antes. Cheguei à conclusão que estamos sempre criando, seja embaixo do chuveiro, na banheira, na caminhada. Agora, a mais criativa e que me deu vontade de experimentar, foi com a touca de plástico(rs!)na cabeça...

terça-feira, 23 de outubro de 2007

A Imensidão Íntima

É muito interessante observar, como as letras formam frases com poderes de encantar. De criar de vaneios, fazer sua mente viajar...Foi esta a magia encontrada em cada livro que tive o prazer de ler.
Isto só aconteceu, quando comecei a escolher. Nem sempre soube fazer isto. Aprendi coisas espatafúrdias(sic!), que ficaram internalizadas e deu um trabalhão para serem transformadas.
Bom, este é um dos títulos do meu livro preferido. Minha fonte de inspiração. Existo antes e pepois de ler A Poética do Espaço de Gaston Bachelard.(rs!)
Ah, já sei. Sou mesmo exagerada...Quando pensei em fazer um blog, foi este o nome cogitado. Um deles. Títulos, são ótimos para classificar, explicar e chegar a um lugar. Claro que a minha visão, desta imensidão é bem diferente. Mas a de Rilke, que está no início do capítulo, vale apena ser citado: "O mundo é grande,mas em nós ele é profundo como o mar." E a outra outra também. "O espaço me fez silencioso." (Jules Valles,L'enfant,p 238)
E aqui vai, "Poderíamos dizer que a imensidão é uma categoria filosófica do devaneio. Sem dúvida, o devaneio alimenta-se de espetáculos variados: mas por uma espécie de inclinação inerente, ele comtempla a grandeza. E a contemplação da grandeza determina uma atitude tão especial, um estado de alma tão particular que o devaneio coloca o sonhador fora do mundo próximo, diante de um mundo que traz o signo do infinito." que é a opinião do autor. Cuja riqueza de detalhes, consegue enriquecer a nossa percepção sobre o assunto.

Para mim, a imensidão íntima comporta tudo isto, mais minha visão particular.Todos os meus valores, perceepções internas e externas. E... mais 13 folhas pra você se deliciar com as palavras de Gaston Bachelard sobre o assunto.

YouTube

Loading...