sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo! 2010 cheio de bons planos...


Para hoje que ainda é 25 de dazembro, odia começa com planos Muitos planos...
Meu filho vem almoçar comigo e nada como uma boa conversa para iluminar nossas vidas e refazer nossas propostas e desejos para este novo ano que já vai começar. Ah, você vai dizer: "Mas ainda é dia de Natal." e eu respondo: "Pois Natal não é dia de desejos? Então, aqui vão os meus."
Não vou escrever muito, só reafirmar meus desejos: "Feliz Ano Novo! 20010 repleto de ótimos planos. Com muito Amor, Amizade, Saúde."

Beijos:



quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Bom dia para o Natal...



Tem gente que vê o Natal com repreensão...
Tem gente que não dá a minima importância...
Tem gente que capricha nos mimimos detalhes...
Tem gente que nasce...(minha avó).
Tem gente que morre...(minha mãe).
Tem gente que reza e acende uma vela...
Tem gente que vai viajar...
Tem gente que não pode viajar ...
Tem gente que tem palavras de conforto e compreensão...
Tem gente que se preocupa com os presentes que vai ganhar...
Tem gente que se preocupa com os presentes que vai ganhar...
Tem gente que vai para o Sul, ver o Natal Luz...
Tem gente que vai para o Norte em direção às praias...
Tem gente viajando e tem gente que não...
Tem gente em todos os lugares possíveis e imagonários...
Tem gente que compreende tem  gente que não...
Tem gente que acusa e tem quem defende...
Sabe? Tem gente que responde ao bom dia...até no Twitter, como fez o El paiz...
Você pode chamar do que você quiser. Eu chamo de educação, consideração...
Por isto, respondo a todos os bons dias e boas noites. Independente do dia ou da noite. Na rua, no elevador, no ônibus...
Um bom dia alegra o dia e espanta a tristeza...e pode me fazer feliz...ou compartilhar minha dor...Bom dia!

Bom dia para as diferentes pessoas com diferentes sentimentos a repeito de hoje e de tudo mais!
Bom dia meus filhos e quem está lendo este post.
Bom dia quem entende e quem não. Reserve seu mau humor para outra hora e lugar...

Beijos.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

“Simpatias e manias para começar o ano bem que já deram certo com você”

Sempre aceditei que fazer algumas coisas especiais para começar bem o Ano Novo. Assim providenciei comprar roupas brancas para começar o ano bem. O ano passado foi a prova de que tudo aconteceu como o esperado.Vesti  minha roupa branca, comi as 12 uvas  guardei os caroços na minha carteira e fui para a casa da vizinha esperar o show de fogos de artifícios.  Maravilhosos. Vistos de uma janela que não era a minha, mas que me proporcinonou imagens fantáscicas. Duante todo o ano meus desejos foram acontecendo. Nem podia acreditar. O primeiro desejo que foi ganhar uma máquina fotográfica digital, veio em forma de presente de aniversário, dado pelo meu fiho.Em seguida a lista foi se completando. Porque é claro que exisiia uma lista secreta. Esta é a mágica. Você já tem a sua? Não? Então dê o primeiro passo. Sabe, aquele exercício de imaginação criativa? Faça-o. Com todos os detalhes...Capriche até nas cores, perfume do meio ambiente, ou que você estiver usando. Faça um filme completo. Com princípio, meio e fim. Ah, não se esqueça da trilha musical.e 1, 2, 3... acontece. Experimente. Bom. pelo menos aconteceu comigo...
Feliz Ano Novo...
Beijos.

domingo, 20 de dezembro de 2009

A coragem do início...



Inciar nem sempre é fácil. Até pode ser se tenho um queda pelo desafio. Mas é sempre preciso ter uma coragem escondida, camuflada ou sei lá o que. Ah, e uma grande capacidade de improvisação. Pois é. Fiz um texto para colocar aqui, discorrendo sobre o assunto. O que aconteceu? Não consegui salvar e fiquei pensando: "O que fazer?" Apaguei  e parti para a improvisação.Vai dar certo? Não sei. Vou arriscar... Bati uma foto linda. Mais linda do que esta que está acima. Não consegui passar para o computador. Problemas no celular... Ah, mas não vou desistir. Tudo que tenho adizer é que hoje começa o Verão: 20 de dezembro de 2009...
Para quem gosta do calor uma delícia, para quem tem suas ressalvas, vai começar assim mesmo. Fazer o que? Reclamar, ficar de mau humor e fazer a vida de quem está por perto um inferno? Não é muito aconselhável, certo? Agora, se fosse com relação a mudanças de comportamento, metas a serem alcançadas...Bem que podemos ser bem mais inteligentes e assumir responsabilidades e partir para atitudes  que um inicio requer...Como a Conferência (aquela) que foi uma frustação para o mundo...
Assim, desejo para todos criatividade, confiança  crença de que podemos sempre fazer melhor: um texto, um inicio, um amor... Desde que tenhamos este objetivo e trabalhemos para acontecer...Amém!

Beijos.
Anny(@Annyllinha)

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Feliz Aniversário....para quem nasceu em Dezembro.



Adoro árvores e a Acácia é uma das minhas preferidas. Nunca pude tê-las em meu jardim, então tiro fotos, ganho fotos e é sempre uma alegria ter por perto, mesmo que seja vitualmente...O blog Inspiration....tudo de bom...
@jinblack 

 
 Pelo nome e pelas cores fantásticas do blog chamado Inspiration...e junto com as cores as minhas inspirações diárias: meus filhos e minhas amizades virtuais ou não. Hoje é dia do aniversário de meu primeiro filho. Não estamos perto mas junto em nossas lempranças e amor. Parabéns, fliho!
Uma coisa que achei muito engraçada no Twitter ontem foi a ameaça que um dos twiiteers fez: "Se não me derem parabéns, vou bloquerar." Não precisava, adoro dar parabéns! Fica aqui a lembrança de seu aniversário @http://twitter.com/polzonoff
Também tem  @popysp @miltontoshiba @szaleslie @silviamasc @Alessamdro_M @Luzdeluma @richardplacido @samegui @julianaDB e todos os Twiters que eu sigo, dou bom dia e sigo aqui...
Se tem mais alguém que faz aniversário em Dezembro, por favor comente que será lembrado no Twitter também. Fala sério, sei que a expressão é velha. Ponto final, mas amigos são tudo de bom que a vida tem mais saúde, dinheiro e bons sentimentps. Mais alguma coisa esquecida? Por hoje é só. Boa inspiração!

Beijos.
Anny(@Annyllinha


segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Você se pergunta sobre suas emoções?...

Fiquei observando uma conversa ao meu lado e pensei  na pergunta acima. A pessoa dizia que não queria saber de emoções, pois emoções são temporárias...Ops! Será que ela se acha eterna? Pode ser. Gente tem mania de se achar assim. Mas no caso a situação foi engraçada porque toda a situação foi criada pela compra de um sabonete. O nome do sabonete? "Emoções". Incrível como as situaçôes se interferem e se misturam. E a palavra lembra quem? Pois é...
Ignorar nossos sentimentos e emoções parece um assunto resolvido ou a resolver todos os dias. Por que será? Por ser um caminho mais curto? Por ser mais fácil? Não sei sua resposta. Sei a minha. Sabe que fiquei preocupada com ela?...Ignorar minhas emoções me faz ficar perdida nas palavras e nas ações. Afinal de contas estou demonstrando que não me conheço e não sei o que vou dizer ou fazer...Mau sinal. Sou uma pessoa imprevisível...Até para mim mesma. Será? Nem tanto. Fui criada numa família que obedecia certos valores internos e externos e naturalmente que eles dirigem minha vida, de uma certa forma. Mesmo que eu não tenha consciência...
Mas o que estou fazendo aqui uma hora destas? Escrevendo. "A vida é feita de conversas." E é mesmo. Conversas internas, externas, com o gato, com o cachorro ou comigo mesma. Em alto e bom som ou bem baixinho (ouvindou música) e viajando no tema. E agora? Para que lado vou? Sou dirigida pelas minhas emoções e valores que foram herdados e adquiridos. Quer eu queira ou não. E tenho que me responsabilizar por minhas ações. Faz parte do viver em sociedade,  partilhar vida, espaço e emoções...
- Como estou me sentindo hoje?
- Assim, meio perdida. Mas não se preocupe, acabo me encontrando numa esquina, observando um sorriso, numa palavra solta, num poema, num sorriso...Pequenos truques para retomar o encanto de ver e fotogtafar um nascer do sol assim.  Este mostrado na foto. Do tamanho da minha emoção. Vigiando o nascer do sol para ter uma imagem bonita para um dia nem tanto assim...


Beijos.
Anny(@Annyllinha)

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Dezembro...


Dezembro...
Adoro o mês de dezembro. Mês de aniversários: das minhas comadres e amigas: Lídice (06) e Leda (07), meu filho (09) e o meu (19). Junto com as festas de Natal (25), posso dizer que é um mês cheio de boas comemorações...
Toda criança adora o mês de dezembro e a minha criança interna não é diferente. Fica feliz e quer reaprender a assobiar, enfeitar a casa com as cores do Natal, ter doces para oferecer aos amigos e visitas.
No mês de dezembro as casas e apartamentos têm perfumes diferentes dos dias comuns...Tem sim. Mesmo que seja só na lembrança, este é um mês diferente dos outros. Para mim, é mais feliz, mais cheio de esperanças e cheio de histórias para serem lembradas. Mesmo aquelas que não tiveram um final muito feliz, mas que foram motivos de boas risadas depois. Sabe como é? Tudo tem dois lados e às vezes até três. Pensando bem, é melhor que tenha mesmo. Colore as possibilidades e deixa em branco ao que pode ser acrescentado.
Feliz aniversário para as minhas amigas citadas acima e meu filho Turá.
Um Natal maravilhoso todos os comentaristas, leitores, amigas e amigos virtuais, filhos, namoradas dos filhos, toda a minha família e conhecidos. Esqueci de alguém? É possível...

Beijos.
Anny(Annyllinha)

domingo, 29 de novembro de 2009

Blogagem coletiva - Dia internacional da não violência contra as mulheres...

Dia 25 de novembro – dia internacional da não violência contra as mulheres. E as Luluzinhas foram convidadas a postar sobre o assunto.
No blog 30 & Alguns estão todas as informações sobre o assunto que também foram notificadas pela Sam no: A Vida como ela é.
Estava no Twitter ontem quando li a indignação da Denise, ao saber da violência cometida ontem contra uma jovem no Rio de Janeiro. E não tem lugar específico...Acontece a toda hora e no mundo todo. A postagem é para E para terminar o fui ver o filme Anjos Rebeldes, que mostra a luta pelo direito ao voto, pelas mulheres.
Não sei ver, olhar violências, onde elas estejam, sem ficar indignada. Acredito que é um tipo de intimidação. Muito usada e disfarçada entre nós e infelizmente...
Você até pode ter sofrido uma, mas não percebeu. Assim, mesmo que existam pessoas que não acreditem, no poder já reclamação, que isto é coisa de mulher, penso que reclamar, tem sim poder de mudança. E temos muitos exemplos a serem dados por aí, que não são citados. E o Serviço de Atendimento ao Consumidor? Quer ganho maior do que este?
E para não dizer que não falei das flores: torno a reafirmar que a violência é um tipo de intimidação. A intimidação é um tipo de violência. Seja lá quem estiver usando, para que objetivo for, não tem desculpa. Ponto final.

Como este assunto tem pano para manga, para muita manga, vai continuar em outro texto. Então, se você tiver uma boa história para contar, pode mandar. Conto aqui...

Beijos,
Anny(@Annyllinha)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Blogagem Coletiva:sobre Inclusão Digital ...


Inclusão Digital...



Quando Sam me convidou para escrever sobre Inclusão Digital, fiquei pensando nas minhas amigas de caminhada. Só uma delas, sabe acessar computador, usar celular e outras coisas relacionadas com tecnologia. As outras não mostraram grande interesse. Quer saber? Fiquei desapontada. Não que elas precisem ter um blog, 3 ou 4 celulares, iPods (como a Martha Medeiros), entender e jogar PlayStaytion...Nada disto. Mas saber o básico. Como por exemplo, mandar uma mensagem pelo celular,gravar os novos contatos saber fazer pagamentos em bancos... E principalmente, lembrar...
Não estavam interessadas. Uma pena, porque aprender faz parte do estar vivo. Faz com possamos descobrir outras janelas. Principalmente, quando as nossas estão nubladas e sem sol...
Nunca podemos esquecer que aprender, faz com que nossos neurônios se espreguicem, façam alongamentos, Pilates, Yoga, e academias para ganhar massa muscular com a musculação...e novos amigos: Carol, Márcio e Tiago(treinadores da Academia Corpo Livre)
Tá bom, estou exagerando só um pouquinho, é para você dar risadas. Mas no fundo, é um pouco disto e para encompridar conversa e contar que ontem deixei de encontrar minha amiga. O motivo? Ela não me ligou, nem mandou mensagem para marcar o local de nos encontrarmos...Fui dormir muito desapontada me culpando. Não anotei o celular dela. Passou. Fazer o que? Hoje vou ligar e vamos rir muito da situação...
E quer saber o melhor da história? Ainda bem que tem. Ao ligar a TV no Jornal Nacional vejo uma notícia boa: “Cresce o interesse das pessoas com mais idade em cursos de computação”
As pessoas crescem enfrentado desafios. Precisam fazer isto a vida toda...

#Esta é a minha história pessoal e vocês leitores tem as suas. Querem compartilhar, linkar? Estejam à vontade.

Beijos.

Anny(@Annyllinha)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

#luluzinhacampBa...




Sábado passado, dia 19 de novembro de 2009 foi o encontro das #luluzinhascamBa e foi um dos encontros mais bacanas que participei.
Sabe, quando você vai a um encontro onde não conhece os participantes, mas que jura já serem velhos amigos?
Pois foi exatamente isto que aconteceu. A princípio fiquei meio perdida, mas aos poucos fui descobrindo que qualquer lugar ou grupo estava ótimo para me enturmar, conhecer e aprender. Esta foi uma das minhas melhores escolhas feitas este ano...

Obrigada meninas ou melhor: LuluzinhascampBa!



Beijos.

Anny(@Annyllinha)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Para que serve um livro...


Crédito para a foto de Turi.

Arte Brasilis: TATIANA BELINKY, A MENINA-ESCRITORA DE 90 ANOS

Vi uma entrevista com Tatiana Belnky, no programa Ação de Sergio G. que não me saiu da cabeça até hoje. No dia, anotei algumas coisas mas não fui adiante. Quer dizer, só comentei com minha vizinha, que pela primeira vez, tinha encontrado uma pessoa que se parecia comigo. E fiquei tão feliz. Meu dia ficou iluminado...e está até hoje,
quando revi o vídeo.
Ainda não conheço os livro dela, mas se na entrevista ela é assim, imagina só nos livros...

Para mim, livros são como rios...onde podemos navegar em busca de conhecimentos para ser, aprender, transformar...
E foi neles que aprendi parte do que sei hoje e parte do que meus olhos ainda procuram compreender.
Tatiana Belinky é uma menina de 90 anos. Tudo que desejo ser quando crescer...
Não é minha intensão escrever muito. Isto aqui é apenas uma nota para lembrar que existem pessoas especiais. Muito especiais que amam livros e os deixam em todos os lugares possíveis e maginários de uma casa ou apartamento: em baixo da cama, do lado, na cama, no guarda-roupa, no armário, na sala...livros e mais livros. Um rio de livros...( sei que é uma ideia muito doida, mas serve para entender que nada é definitivo.) Há sempre uma nova versão...inclusive do saber.


Até mais!
Beijos.
Anny.(@Annyllinha)

domingo, 15 de novembro de 2009

Uma fórmula para ser feliz...


Crédito para a foto de Aixa.

Andei pensando que posso "inaugurar minha própria fórmula de ser feliz".
Não preciso mais de seguir modelos, tenho uma caso de amor comigo mesma, não coloco nos outros a culpa dos meus erros, sou bem humorada, sei rir de mim mesma. Mas tem um pequeno problema: não sei receber críticas. Bem que faço um esforço danado...
Felizmente, sou capaz de compreender que não acerto sempre e se uma pessoa me explicar que me enganei, com certeza, agradeço e peço desculpas. Sabe, como é, aceitar os defeitos também faz parte do aprender a ser feliz...

Um bom domingo!
Beijos.
Anny(Annyllinha)

#Texto inspirado na crõnica "Baixo-Astral: de quem é a culpa?" do livro Trem-Bala de Martha Medeiros. Ed. L&PM POCKET - pág. 155

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Blogagem Coletiva: "Abre Aspas 3° Edição"



Entre os inúmeros poetas que posso escolher, um consegue desenhar com as palavras o que meus olhos lêm. E ele é Manoel de Barros. Para quem quiser saber mais a seu respeito é só visitar o link indicado aqui. E também apreciar o poema que transcrevo:

O Provedor

Andar à toa é coisa de ave.
Meu avô andava à toa.
Não prestava para quase nunca.
Mas sabia o nome dos ventos
E todos os assobios para chamar passarinhos.
Certas pombas tomavam ele por telhado e passavam
as tardes frequentando o seu ombro.
Falava coisas pouco sisudas: que fora escolhido para
ser uma árvore.
Lírios o meditavam.
Meu avô era tomado por leso porque de manhã dava
bom-dia aos sapos, ao sol às águas.
Só tinha receio de amnhecer normal.
Penso que ele era provedor de poesia como as aves
e os lírios do campo.

Tem quadro mais bonito do que este? "Um provedor de poesia"?

#Esta postagem faz parte da Blogagem Coletiva Entre Aspas proposta pela Lunna Venha e participe também...

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Receitas?...



Cada um de nós tem uma receita. Herdada, copiada, reciclada...não importa. Se dão certo, melhor ainda. Mas lendo o texto da @anaclaudiabessa: "Não existe milagre", podemos refletir melhor sobre o assunto...
Aqui vamos conversar sobre receitas. O que são receitas? São fórmulas cujos ingredientes usados para fazer um remédio, um bolo, uma geléia, etc e é tão bom quando dão certo, não é mesmo? Estão aí os blogs com inúmeras receitas para serem exploradas por nós.
Mas no fundo estamos à espera de um milagre. Um pá, pum! Dá certo. Não é mesmo? Pois é, e foi assim que descobri que os desodorantes fabricados hoje em dia, são na verdade, "antitranspirantes" Como assim? Não são desodorantes. São para você não suar...Fiquei indignada. Comecei a procurar uma outra alternativa. Comprei até um que se dizia: hipoalergênico, cuida da pele sensível... Não deu certo. Tive uma alergia que nem é bom lembrar.
Resolvi então usar um produto muito barato e ótimo para desodorizar as axilas: hidróxido de magnésio. Isto mesmo. Perfeito. Uma descoberta e tanto. Adorei e recomendo. E melhor ainda, custa barato.
Ah, a foto? Estamos na Primavera e nada como estas flores lindas para enfeitar o texto com um assunto tão polêmico...
E tem também o blog @futurodopresent onde foi escrito o texto da Ana Claudia Bessa.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O som das palavras...



E um por do sol em Paris...
Crédito para a foto de Aixa. Obrigada!

Então comecei a ler o livro: Os cadernos de Malte Lurids Brigge - Rainer Maria Rilke.
Na página 17 ele escreve:
"Hoje tivemos uma bela manhã outonal. Caminhei pelas Tulherias. Tudo que estava a leste, diante do sol, ofuscava. O que era tocado pela luz se achava coberto pela neblina como se fosse uma corina cinza-clara. Cinzentas contra o fundo cinza, as estátuas tomavam sol nos jardins ainda não desvelados. Flores isoladas nos longos canteiros se levantavam e diziam com uma voz assustada: vermelho. Então um homem muito alto e esbelto dobrou a esquina, vindo dos Champs-Elysées; tinha uma muleta, mas não a usava mais sob o braço - segurava-a diante de si, leve, e de vez em quando a batia no chão firme e sonoramente como um caduceu. Ele nãp pode conter um sorriso de alegria e sorriu para todos os que passavam, para o sol, para as árvores. Seu passo era timido como o de uma criança, mas singularmente leve, cheio de lembranças de caminhadas de outrora."

Com o som das palavras de Rilke, o texto só pode ser para o post anterior, mas ainda não tinha comprado o livro e nem lido o ensaio: "Em defesa do romance." Escrito por Mario Vargas Llhosa, na revista Piauí 37_ Outubro 09. Quer recomendação melhor?...

Beijos.
Anny(@Annyllinha)

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Outono na França...


Crédito para a imagem de Aixa.

Estamos na Primavera aqui no Brasil e na França é Outono. Adoro estas cores douradas da natureza. E num parque assim só um poema para enfeitar o dia...

A Folha
A natureza são duas.
Uma,
tal qual se sabe a si mesma.
Outra, a que vemos. Mas vemos?
Ou é tudo ilusão das coisas?

Quem sou eu para sentir
o leque de uma palmeira?
Quem sou eu, para ser senhor
de uma fechada, sagrada
arca de vidas autônomas?

A pretenção de ser homem
e não coisa ou caracol
esfacela-me em frente à folha
que cai, depois de viver
intensa, caladamente,
e por ordem do Prefeito
vai sumir na varredura
mas continua em outra folha
alheia ao meu privilégio
de ser mais forte que as folhas.

Carlos Drummond de Andrade


E para finalizar uma pergunta de Mario Quintana:

Outono
-É uma boroboleta amarela? Ou uma folha que
se desprende e não quer tombar?

Um bom final de semana para todos!
Beijos.
Anny(@Annyllinha)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Molho de pimenta-dedo-de moça ...





Hoje fiz um molho de pimenta-de-do-de-moça...mas pode ser com pimentas vermelhas. E minha aventura com pimentas nunca me deixa na mão. Tem sempre uma história no meio. A de hoje? Ah, mas nem acredito que fiz isto, mas fiz. Contrariando a todo bom senso e experiência, não usei luvas. De novo? De novo. E claro, meus dedos ficaram queimando bem umas 04 horas (com um pouco de exagero, para apimentar). Mas nem precisava. Passei maus bocados. Além do Paraqueimol usado anteriormente, comecei a passar tudo que aparecia na minha frente: espuma para barba, loção demaquilante, creme para as mãos, hidratante, Reparil, azeite de oliva...e nada deu certo. Então, para distrair a dor, sentei no sofá e comi um pacote de batata palha e fiquei vendo TV. Distrai mesmo. Dormi e acordei agora, sem dor. Claro que comecei logo a escrever. Já estou atrasada. Comecei cedo, mas com as mãos em chamas, não deu para ficar teclando e pensando mal de mim...Mas passou aqui estou, juro, acreditar em minhas experiências: para mexer com pimentas é preciso luvas. Por mais que eu ame as pimentas, elas jamais irão deixar de arder minhas mãos...nem as suas. Certo?

Ingredientes:
*225 gramas de pimentas vermelhas ou dedo-de-moça, cortadas ao meio sem sementes
*2 a 3 dentes de alho grandes sem descascar
*6 colheres de sopa de azeite de oliva ou óleo de girassol extraído a frio
*suco de uma laranja pera
*01 colher de (chá ) de sal marinho

- Coloque as pimentas cortadas ao meio e o alho numa panela de fundo grosso com água que dê para cobri-las.
Ferva em fogo baixo por 10 minutos,
- Escorra, descasque o alho e bata no liquidificador por um minuto junto com o suco de laranja.
- Acrescente o óleo e bata na velocidade mínima.
Está pronto o seu molho. Uma delicia...para colocar na salada ou onde sua imaginação passear. Numa sobremesa feita com banana, creme de leite, molho de pimenta e canela. Experimente,,, Vai te surpreender.

#Bem, por hoje é só. Ah, a quantidade: 250 ml (depende do tamanho da laranja). Não deu para fotografar a garrafa que é verde e você não iria ver a cor. Coloquei um pouco numa xícara de café transparente. Uma cor linda, não é mesmo?

Beijos.
Anny ( @Annyllinha)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O melhor presente?



O melhor presente?...
Procurando o melhor presente para hoje, encontrei um texto de Martha Medeiros, no seu livro de crônicas: Trem-Bala. O nome do texto? “O melhor presente.” E ela descreve o melhor presente para dar aos filhos: “Suas intermináveis perguntas, merecem respostas claras e orientadoras, sem preguiça de nossa parte. A vida é um jogo cheio de macetes: tem: tem vezes em que a gente avança duas casas, tem vezes que a gente é obrigado a voltar ao ponto de partida, tem hora que não se quer mais brincar. É difícil e não dura sempre, portanto, antes que eles dominem as regras, é bom não deixá-los sozinhos. A vida é o único brinquedo que eles não podem estragar.”

Ah, as respostas...elas precisam sempre de um plano B. Vai que a escolhida não é adequada, falta uma palavra, não foi possível acessar na hora.
Mas mãe, sempre quer dar aos filhos o que elas têm e imaginem, o que elas não tiveram...Meio doido, mas é assim mesmo cabeça de mãe.
Como não temos certeza de acertar, estamos sempre correndo risco: acertar ou não. Para finalizar este é o meu desejo para hoje:
“Feliz aniversário, filho!”
Beijos,
Mãe.
#Ah, a foto é de hoje e foi tirada para você."Amanhecendo..."

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Uma fonte de bem-estar...


Bom dia, filho! Fiquei muito feliz em falar com você e ouvir: “Estou em Paris!...” Muito bom começar o dia assim.
Aqui o dia está maravilhoso e aproveito para deixar uma mensagem de boa sorte em sua estadia por aí.

Estou ouvindo B. B. King. A música me ajuda a me sentir bem com o que estou fazendo: uma mensagem para você...
Pois é, foi assim que descobri: “Fazer alguma coisa que o cérebro considere que deu certo.” É uma fonte de bem-estar. E podemos aproveitá-lo para colorir nossos dias.
A lista inclui:
*Resolver mentalmente um problema
*Concluir um trabalho
*Passar de fase de videogame (e vencer o chefe)
*Beijar alguém querido
*Comer algo especial
*Ouvir música
*Desenhar, pintar, colorir
*Cozinhar
*Fazer uma geléia de pimenta (Ops!)

A lista é de comum acordo com o que você gosta e curte fazer...
Um beijo e aproveite para ser mais feliz ainda perto da pessoa amada.

#Fonte: “Fique de bem com seu cérebro” – Suzana Herculano-Houzel


Anny( @Annyllinha)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Você tem o hábito de prestar atenção...



Você tem o hábito de prestar atenção às suas emoções?


Pois esta pode ser uma forma de entrar em contato com elas...
Isto é o que afirma a doutora em Neurociências Suzana Herculano- Houzel, em seu livro: “Fique de bem com o seu cérebro” pág 55: “Conheça suas emoções”
Assim, que tal começar o dia ou a tarde se perguntando: “O que estou sentindo neste exato momento?” Estar consciente de nossos sentimentos pode facilitar a compreensão de nossos comportamentos. Vai que estou chateada ou com raiva, por algum motivo pessoal. Qual é o primeiro impulso? “Descontar”...Mesmo que seja disfarçada em um comentário maldoso, uma ausência dele ou uma ironia “sem noção”...
Consciente, da minha emoção, posso evitar agredir inclusive quem não tem nada a ver com o assunto. Certo?
Portanto “...pergunte-se várias vezes por dia sobre suas emoções: você está triste, alegre, chateado, motivado, desanimado?”
Fica aqui a dica...

Beijos.
Anny(@Annyllinha)

domingo, 27 de setembro de 2009

Domingo de Primavera...



Primeiro domingo de Primavera...
Fui olhar como estava o amanhecer e estava com a cor especial para um dia especial. Fiquei pensando num assunto para colocar aqui e lembrei: setembro é o mês do aniversário do Blog Linha. Logo a comemoração que não pode ser esquecida. Há quanto tempo? Tempo suficiente para ter muito cuidado com o que é publicado, com os comentaristas e leitores. Obrigada!

Muito se tem escrito sobre livros. Foi através deles que iniciei minhas descobertas e dúvidas. Sem esquecer que refinei meus objetivos e agucei minha vontade de sempre saber mais, a respeito do outro, do meio ambiente e de mim mesma...
Quando iniciei a ler minhas necessidades eram iguais às de todos adolescentes: preencher as lacunas existentes O objetivo foi resolvido em parte, mas as dúvidas estarão sempre presentes...
Depois as dúvidas de adulto vão se desenvolvendo à medida que vamos vivendo. Vamos trocando por outras e outras...
Escolhas sempre envolvem riscos e a única certeza é não ter certeza. Nem se é um bom livro a ser lido. Você pode seguir indicação mas não existe certeza gostar da indicação.
Sabe, já tive bons palpites para escolher livros e acertar. Mas hoje ando errando muito. Compro livros e não consigo ler. Normal, não sou obrigada a gostar de tudo que leio ou começo a ler. E tem mais, se começo a ler um livro e não gosto, interrompo a leitura e faço uma doação. Quem sabe ele, o livro, vai achar outro leitor?
O que estou lendo e adorando? Garfield: Toneladas de Diversão – Jim Davis- L&PM POKET. Uma surpresa e tanto. Nunca pensei que fosse tão bom. Indico sem medo de errar...
Agora um bom domingo e uma boa Primavera! Minha estação preferida.
Beijos.
Anny,

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Escrever e entender...


"A coisa"

A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira coisa... e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita."
Mario Quintana - Caderno H - pág. 54

Leiam aqui
Tudo que é para dizer hoje...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Imaginação...



Segundo o Minidionário Aurélio da Lingua Portugesa:
Imaginação é um substantivo feminino:
1. Faculdade que tem o esírito de imaginar, fantasia.
2. Faculdade de criar mediante a combinação de ideias. (mas não gosto dela sem acento)
3. A coisa imaginada.
4. Criação, invenção, ideia.
5. Fantasia, devaneio.

Ah, então vou começar o meu devaneio a respeito da imaginação...
Comecei escolhendo o tema do texto. As palavras começam a escorrer da caneta e se espalham pelas linhas. Você segue com os olhos e "imagina" o que estou querendo dizer. O que pode ser coisas que você quer ler para se divertir ou dar boas risadas. Assim vamos em frente.
O bom é que imaginar pode ter a cor e a textura que escolhermos. Como não sei a sua cor preferida, vou escolher azul. Está bem? O céu está bem azul, a tarde está linda e estou tomando um chá de hortelã para refrescar. Aqui está um puco quente...
Mas fiquei pensando que um texto também pode ter, além de cor, sabor, cheiro. Isto se você lembrar se for uma receita de bolo. Ummm! Posso mencionar canela, por exemplo. Adoro canela. Mas você pode não gostar. Sem problema, tira a canela e coloca baunilha ou cravo...O sabor é todo seu.
Mas uma das coisas que já reparei é o poder de uma boa leitura. Poxa, como é bom chegar ao fim do texto e você puder dizer: "Que bom ter lido isto!" Penso que aumenta a nossa autoestima. Me sinto valorizada pelas palavras lidas. Não é assim? Pois é, colocamos este sentimento fora da gente, no outro. E assim fiquei pensando qual o melhor exemplo de autoestima e lembrei de um bem perto mim: May...
Como assim? Você pode me perguntar. E respondo que é só prestar atenção e vai perceber. Qual é o animal que mais se curte, se embeleza e não dá um pingo de bola para o que estou dizendo ou reclamando. Não é isto mesmo? Já teve um gato? Não? Então experimente ter um e nunca mais vai esquecer a lição...
E...nada a ver com o início do texto. Tem mesmo não.

"A imaginação é a memória que enlouqueceu." - Mário Quintana

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Como se reinventar?



O dia amanheceu assim: nublado.
Tive que mudar meus planos. Assim...
Viver é se reinventar todos os dias.
Para se reinventar é preciso pensar...
Escrever, desenhar, pintar pode ser uma forma de pensar...
E o pensar acontece, sem esperar. No meio de uma tarefa diária, na rua, num fiapo de conversa ouvida sem querer. É como emendar a linha de uma costura e continuar a costurar a roupa, o texto, o poema, um pesamento, desenho, colcha de retalhos, varal de idéias...
Descobrir no meio e entre lugares abandonados de nós, um espaço ainda não explorado, experimentado. Ou talvez refazer caminhos, redesenhar, reescrever, fazer um novo croqui...
Ficar animado com a perspectiva: agora sim, achei onde chegar hoje. Mudando as palavras, por exemplo. Na hora de investir num sonho, que tal investir numa realidade? Será que terei uma rsposta melhor? Não sei...
Amanhã começo de novo...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Consumo Consciente - Blogagem Coletiva...




- Consumo Consciente?
- Sim.
- Blogagem coletiva entre os dias 24 e 30 de agosto. Quer participar? Deixe um comentário aqui leia a coordenadora Cybele Meyer. Ela escreveu sobre o assunto. Se você não tem blog e sim Twitter, publicar um tweet com a tag #realsustentável. Se não tem nenhum dos dois, você comenta, que vai ajudar também.
Ah, pode fazer quantos posts quiser...Não é uma beleza?
E por falar nisto de Consumo Consciente, já trocou “as indestrutíveis sacolas de supermercado” pelas descoladas Sacolas Retornáveis? Ah, mas são muito práticas e fazem você se sentir um pouco menos culpada. Sabe como é? E com isto ajudar o meio ambiente. São hábitos que vamos incorporando à nossa vida e fazem com que nossas atitudes sirvam de exemplo. E pode ter certeza que faz. Adoro chegar no supermercado e recusar as tais “sacolas indestrutíveis. É tudo de bom... Experimente...
Claro que tem muito mais coisas que você pode fazer no dia a dia para ajudar o meio ambiente:
#trocar o filtro de papel pelo de pano ao coar o seu café
#separar seu lixo
#apagar a luz quando não for necessária
#usar um copo para colocar a água ao escovar os dentes
#diminuir seu tempo no chuveiro
#usar sabão líquido para lavar as roupas, tomar banho e lavar as mãos
#juntar o óleo usado numa garrafa de plástico fechada
#usar o ácido acético( vinagre misturado com água ou não)
Estas são algumas coisas que faço no dia a dia. Liste as suas. Podemos aprender com você...

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O que é preciso para contar uma boa história?...


Imagem

O que é preciso para contar uma boa história?
Podemos pensar em várias respostas, mas na minha opinião, é preciso ter uma voz que me faça acreditar no que estou ouvindo. Assim, uma boa história precisa ser contada por um bom narrador. Certo?
Descobri isto ao ver uma entrevista com Leda Nagle no programa Sem Censura. O entrevistado? Roberto Carlos Ramos. Fiquei hipnotizada ouvindo o que ele contava...
Na quarta-feira passada, dia 26 de agosto fui ver “O contador de histórias”. O filme que narra a sua vida e estava tudo lá. Com mais detalhes, é lógico e ainda lembro de sua voz contando os detalhes da sua incrível história...
Tive a ousadia de pensar numa outra forma de fazer o filme. Depois pensei bem e cheguei à conclusão que não. O filme está perfeito. Qual a surpresa do filme? Ah, não vou contar...Fique até o final e saiba porque ele é considerado um dos maiores contadores de história do mundo. Não é? Ah, tenho certeza de vai achar que sim...
Tem mais, você pode ter visto suas as entrevistas em muitos lugares. Não importa. É sempre bom ouvir sua voz cadenciada e calma contar mais uma vez e outra e outra...Viramos criança? Não, fomos acompanhando o bom narrador que ele sem dúvida é.
Não é um filme para crianças. Infelizmente a sua história é como a de muitos outros meninos que foram parar numa instituição para meninos infratores. Uma pedagoga francesa acreditou que podia ser diferente e foi. Seres humanos são sempre imprevisíveis...

domingo, 16 de agosto de 2009

Cabelos...Ah, os cabelos...




Um assunto tem pano para manga, vestido e outras cositas más.
Já foram tema de música, propaganda inesquecíveis e a nossa constante preocupação. Homens ou mulheres.
Entra ano e sai ano, mudam-se as estações e eles ali presentes na alegria e na tristeza. Companheiros inseparáveis...
Li uma crônica de Danuza Leão chamada “Por um fio.” E ela descreve muito bem nosso “relacionamento” com ele. Da mudança mais radical no visual até à insegurança de não se saber o que quer...
Nós mulheres somos assim. Dificuldade de lidar com eles, os cabelos. Nunca estamos satisfeitas com a cor, o corte, o tamanho.
Assim vamos mudando para os mais diversos fins. Há sempre uma dúvida a nos atormentar. “Será que ficou bom?”
E o assunto continua com o chá de amora. Aquele que parou a queda dos meus cabelos. Gente, parou mesmo. E continuo tomando até hoje...Com uma semana você já pode ver o resultado. Pura verdade. Comprovei tomando todos os dias.
E tem mais um assunto: a cor. Tem assunto mais fascinante? Quem nunca desejou ser loira, mesmo sabendo que não vai ficar bom? Claro que experimentei. Não deu certo, mas tive que ver primeiro o fantasma no espelho, para me convencer que estava feio demais...
Escurecer é mais fácil o difícil é o contrário. Ah, ainda bem que esta fase já passou. Mas a minha amiga Keu, resolveu variar a cor da cabeleira, Se ficou bom?
Querida amiga, na minha humilde opinião, prefiro uma cor mais natural. Mas você nãp vai me ouvir. Está experimentando as cores. Fazer o que? Não ficar muito assustada com as mudanças...
O que me faz dar boas risadas pela manhã não é a cor dos seus cabelos. E sim a sua amizade, o belo sorriso e sua delicadeza para começar o dia...

Beijos.
Anny(@Annyllinha)

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

A volta para casa...



E aí começa a dia. Vejo as notícias do dia nas reportagens da TV. Não são animadoras. Paro e penso um pouco no que está acontecendo, aconteceu e o que vai acontecer...
Preciso urgentemente encontrar um farol para me orientar. Estou no mar do desconforto. Só ele pode me orientar para voltar para casa...
Enquanto isto leio os mais variados assuntos: gente(?) copiando blogs, textos. Políticos #sem noção, violência em todos os lugares...
Fico meio atordoada. Para onde olhar? Preciso seguir o dia e aqui estou perdida entre tantos desencontros com a vida, comigo mesma...
E agora? Leio o poema de Carlos Drummond de Andrade. Penso rápido.
Sempre temos respostas e nem sempre as melhores. Vou mancando entre meus sentimentos e indignação. E a pergunta que não quer calar: “Por que alguém comenta em seu blog e aproveita para copiar? “ Não posso responder, mas posso pressupor que a pessoa não tem consciência de que vou saber. E se for o meu desejo, colocar o nome aqui...
Mas fiquei com vergonha para as pessoas #vergonha alheia. Não sou a única. Juliana Sardinha, Luma, Ana Magal, Usuário Compulsivo citados no texto do Cidão foram últimas da vez...
Lembro do castigo que tomei por fazer uma brincadeira indevida: preguei chicletes nos cabelos de minha colega de sala. Jamais imaginei em meu pensamento de criança, um desfecho trágico. Os cabelos tiveram que ser cortados. Curtinhos...
E a professora? Ah, a dona Ritoca mandou que eu escrevesse 100 vezes: “Não devo colar chicletes no cabelo de minha colega”.” Se aprendi a lição? Claro. Não existia “Selecionar e colar.” Foi a lápis e uma a uma as frases ficaram coladas para sempre em meus princípios. “Respeito pela propriedade alheia.” Inclusive, textos, cabelos, desenhos, fotos...
Paro para tomar um café. Respiro fundo e olho os faróis. Aqueles que me orientam interna e externamente. O dia e a vida continuam. Escrevo até encontrar o ponto do ônibus. Onde vou descer e caminhar para chegar em casa.
Ufa!!! Cheguei...
Já posso tomar banho e calçar minhas pantufas porque está frio por aqui...

domingo, 9 de agosto de 2009

A poesia nossa de cada dia...


A poesia nossa de cada dia...

Hoje é dia dos pais e aniversário de minha mãe. Uma celebração dupla e mais terna ainda porque meu pai já não divide sua vida com a gente. Já está onde estaremos um dia...Amo você.
Mas não precisa ser triste. As boas lembranças estão por aí para dar colorido aos nossos sentimentos. Assim escolhi para comemorar o dia de hoje, um poema de Manoel de Barros. Um poeta que sabe transformar as palavras em desenhos...

O Fingidor

O ermo que tinha dentro do olho do menino era um
defeito de nascença, como ter uma perna mais curta.
Por motivo dessa perna mais curta a infância do
menino mancava.
Ele nunca realizava nada.
Fazia tudo de conta.
Fingia que lata era um navio e viajava de lata.
Fingia que vento era cavalo e corria ventena.
Quando chegou a quadra de fugir de casa, o menino
montava num lagarto e ia para o mato.
Mas logo o lagarto virava pedra.
Acho que o ermo que o menino herdara atrapalhava
as suas viagens.
O menino só atingia o que seu pai chamava de ilusão.

Poema do livro Ensaios Fotográficos – Manoel de Barros. Pág. 53

Feliz aniversário minha mãe!
Beijos.
Anny.(@Annyllinha)

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Como estou me sentindo hoje?



A nossa primeira lição do dia a ser feita é responder francamente à pergunta:
- Como estou me sentindo hoje?
Através da resposta, posso saber como vou dirigir o meu dia.
Se me sinto bem, tudo vai bem. Se corpo e auto estima vão bem, então está tudo em paz. Mas pode não ser nada disto. Os dias não são iguais. Variam hormônios, temperatura, humor e lá se foi por água abaixo toda a minha segurança...
Fora que existem vários sentimentos que vou descobrindo. Por exemplo, rejeição. Saber lidar com ela pode me livrar de problemas nos meus relacionamentos.
Viver é um exercício diário, de saber como estou me vendo no espelho, na vida, por dentro... Porque imagem volta inteira ou partida em mil pedaços. Tudo de comum acordo com o que vejo na minha primeira olhada nele...
- Estou me rejeitando?
- Criticando?
É assim que vou ver o mundo, amigos, parceiros, amores...
Preciso modificar minha imagem no meu espelho interno, para que ele me devolva uma figura completa. E minha resposta se torne adequada aos meus desejos...
Tenho então maiores probabilidades de viver bem com o outro e ser mais feliz. Isto é um ponto final? Pode não ser, mas é uma forma de buscar outras respostas. Percepção de que os dias não são sempre de nuvens escuras...
Há sempre um dia a ser vivido. Com chuva, vento, sol...
Estou em dúvida? Dou mais uma olhada no espelho. Só para confirmar ou mudar de opinião...
Ah, penso que aprendi a me consolar, aceitar meus erros, errar o caminho, não saber a resposta certa.
Tenho certeza que agora sou mais feliz...

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Escrever...escrever...


Escrever...escrever...

Uma compulsão. Escrevo demais. Não posso ver um pedaço de papel em branco e quando não tem papel vai mentalmente mesmo. Assim enquanto lavo pratos, passo roupas, faço comida, vou inventando textos...
A maioria é esquecida. Fica só na conversa interna. Sem rascunho ou croqui. Ah, não existe croqui para escrita? Então vamos dizer esquema. Pois não tem.
Mas como ia dizendo, escrever me acalma, faz com que meus pontos de vista sejam ampliados ou mudem de acordo com minha necessidade. Pensar mais é uma delas...
Faço os meus rascunhos iniciais em velhas agendas e adoro uma caneta. Antes adorava uma Bic, mas ela ficou ruim. Comprava não sei quantas e nenhuma funcionava. Mudei a marca e não adiantou. Cheguei ao ponto de ficar pedindo aquelas canetas de propaganda. Só elas funcionavam, quer dizer, escreviam.
Você imagina a situação: a mesa cheia de canetas que não escrevem e eu querendo escrever a pulso. Desesperador...
Não sei se melhoraram. Vou experimentar comprar mais na próxima compra de supermercado. Agora estou com uma caneta que meu filho ganhou de propaganda...
Bom, então começo a escrever. Bem no meio percebo que não era bem assim. Risco tudo e começo de novo. Mudo o assunto e lá vou eu pelas linhas afora. Mas tem dias que nem assim as palavras se unem adequadamente. Ficam rebeldes, desaforadas e inconstantes. Pode? Deve poder. Coisas de quem escreve, escreve e depois não sabe mais o que fazer com o que escreveu, e publica aqui para você ler e comentar...
E agora no Twitter, tive que aprender a ser resumida em 150 caracteres. Maior do que o de Hernest Hemingway precisou fazer escrever uma história com apenas 06 palavras. E ele conseguiu: “Vende-se: sapatos de bebês nunca usados.”
Você pode ler toda a história aqui no:
Obvious

#bjsmelinka...
@Annyllinha

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Palavras...palavras?...



Palavras? Palavras...Este foi o amanhecer de hoje.


Soltas, acompanhadas, invertidas, disfarçadas, podem sugerir ou dizer claramente o que penso sobre um determinado assunto. Podem também completar um vitral que enfeita o crescimento de nossos filhos.
Sejam elas do tamanho do nosso amor, esperança, consciência, vida. São elas que expressam o que vejo neste exato momento na minha janela: nuvens. Nuvens têm muitos significados e minhas lembranças vão passear...Vejo meu filho mais velho ensinando como se pronuncia a palavra: nuvem. Não resisto, estou sorrindo diante da imagem lembrada...
Palavras são poderosas. Podem expressar meu carinho, delicadeza, amor. E ainda sair de meus lábios com toda força para dizer para o mundo ou para mim mesma, meu desapreço, meu ódio, minha angústia...
Elas estão em qualquer lugar que olhamos nas ruas. Querem seduzir, espalhar, comunicar, vender o que está nas entrelinhas...
E pensam que é só isto tudo? Não é. A sua ausência também comunica um estado de alma...
Palavras enovelam, tecem, constroem, destroem. Podem dar significados, instruções e esquecer qual a sua função principal: comunicar. Ah, elas parecem ter vida própria. Que horror, quando sem pensar! Um lapso de consciência...
A minha vida está cheia de palavras e estão em todas as partes. Para o bem e para o mal...
Contam coisas, escondem, são secretas, bem ou mal vistas. Possuem lados avesso e direito. Bem costuradas, desalinhadas, sinuosas. Tomam formas para contar tudo que sinto a respeito do mundo. Ou para esconder entre os espaços e pontuações...
Nos quartos embaixo das camas, nas gavetas.
Nossa! palavras possuem significados bonitos e os mais terríveis. Tudo guardado dentro do sentido e hora a ser lançada ao mundo pelo meu amor ou mau humor do dia ou noite...
Palavras são instrumentos musicais, armas, poemas e todos os sentimentos do mundo. Escritos para todos ou reservadas para poucos. Esperando serem ditas ou subtendidas. Ah, as palavras..
Você tem cuidado com elas?...

domingo, 19 de julho de 2009

O que se leva numa mala...



O que se leva numa mala quando se vai para uma cidade do interior? Uma cidade com
poucos atrativos e quase nenhuma opção de lazer. O básico. Você pode estar pensando e está correto. Mas...
Toda vez que preciso viajar para qualquer lugar, fico apavorada: não sei arrumar mala. Não sei. E olha que já usei de estratégias: fazer uma lista, arrumar dias antes. Nada resolveu. E nem é porque alguém sempre arruma para mim. Nada disto. Sou dona do meu próprio desacerto com elas: as malas.
Estou aqui pensando se é por não saber ser resumida. Pode ser. Na mala tenho que levar o que for necessário. E é aí que começo a me perder. Não sei escolher o pouco que vou usar. Sempre levo a mais ou de menos. Será que isto também acontece com você? Talvez este seja um assunto, ou melhor, um problema com a maioria das pessoas. Ou não?
Ah,ainda não comprei a mala. Esta é sempre a desculpa. Não saber se vai caber tudo. Se o tamanho é adequado, onde coloco os sapatos. Detalhes que já me fizeram arrumar e desarrumar a mala inúmeras vezes.
Quer saber? Nem sei por que fui tocar neste assunto. Malas são sempre perigosas. De serem esquecidas, de não saber se foram despachadas...
Sei que faz parte do contexto e é bom não ficar criando dificuldade onde ela ainda não existe. Está bem, esquece isto...
Mas lembrem de deixarem sugestões. Serão sempre bem vindas.
Obrigada!

Anny.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Bom dia!...



Não, o dia não amanheceu assim. O céu agora esta nublado. Com nuvens negras no horizonte. E elas sempre me fazem pensar que o dia sérá cheio de chuva e molhado para ninguem colocar defeito...
Ah, é só um tempo feio. Depois melhora. Hoje o tempo está de mau humor por aqui. Indeciso. Não sabe se chove ou se abre um lindo sol...
Fazer o que? São as instabilidades do tempo. Do tempo de inverno...


Amo os poemas. Eles contém respostas ou perguntas para começar o dia ou para constatar, que há sempre uma hora de melancolia no céu ou dentro de nós...

TRISTEZA NO CÉU
No céu também há uma hora melancólica.
Hora difícil, em que a dúvida penetra as almas.
Por que fiz o mundo? Deus se pergunta
E se responde: Não sei.

Os anjos olham com reprovação,
e plumas caem.

Todas as hipóteses: a graça, a eternidade, o amor
caem, são plumas.

Outra pluma, o céu se desfaz.
Tão manso, nenhum fragor denuncia
o momento entre o tudo e o nada,
ou seja, a tristeza de Deus.

Carlos Drummond de Andrade em Antologia Poética, pág 191/192
16° Edição – Livraria José Olímpio Editora – Rio de Janeiro / 1983

sábado, 11 de julho de 2009

O que me faz...



May bebê. Crédito para a foto de Turí.

- O que me faz ser capaz de ter as minhas próprias respostas?


- A ausência do medo de errar...
Se tenho medo de errar, nem dou o primeiro passo. Vou dando voltas em torno do que já sei...e me repito indefinidamente. Nada de correr risco...
Fazer algo novo? Nem pensar.
Esta não sou eu.
Sou um pedaço de frase, uma possibilidade de me transformar num desenho ou descobrir um caminho que ainda não fui...
Olhar este por do sol lindo e colorir minhas frases que ainda estão por vir...
Amém!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Recados...


Lekeitio - Crédito para a foto de Turi.

Estamos sempre deixando um recado...
- Qual é o seu para hoje?

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Linhas...


Este foi o entardecer de ontem...

Linhas...de chegada? Sim. E também pode ser de partida...

Linhas de desenho, de costurar, do horizonte, de crochê, do destino, linha d’água e linha de trem? Esqueci de alguma? Inclua aqui também...
Mas hoje, fiquei muito feliz. Ao visitar um blog indicado pela Juliana Sardinha, no Twitter. Qual o assunto? Trens... Pois é, Caio colocou imagens belíssimas de trens. Ah, por que gosto de trem? Vivi grande parte da minha vida morando na frente de uma estação de trem, minha vó morava perto da linha de trem. E quando você é criança adora estas proximidades. Máquinas enormes e o maquinista dirigindo aquele poder todo... Isto mexe com a imaginação infantil. E depois por mais que brincar na linha de trem seja perigoso, criança não tem a percepção do adulto. Para ela a vida é um mar de exploração sem fim... E haja barco, navio, porque ele vai navegar...Então, todo cuidado é pouco. Ah, e isto não é só para quem mora perto de linha de trem. Toda mãe cuidadosa sabe disto...

Agora, lembrei mais um tipo de linha. A de conduta. Aquela que quando somos adolescentes, fazemos questão de ignorar, enfrentar, transgredir...Faz parte do crescer. Isto é só uma fase. Ainda bem. Mas existem pessoas que não desistem e carregam pela vida afora. Dizer “palavrão” é uma delas. Os meus pais não permitiam que se falasse na presença deles. Nunca investiguei se longe podia. Mas se no lugar onde vive, não se ouve no dia-a-dia,
as crianças não vão falar. Não vão repetir. Para ser mais clara: não há o que imitar...
E assim, tenho algumas coisas engraçadas sobre o assunto. A minha mãe fez a seguinte sugestão: “Por que vocês não usam um nome de santo em vez do “****”? Criança não é brincadeira e lá fomos nós experimentar...(risos). Usando aqueles nomes incomuns de santos. Não deu muito certo, mas memso assim não foi liberado.
Quando morei em BH, a rua que tinha uma ladeira enorme... Moramos bem no meio e manobrar carro, não era brincadeira. Um certo dia, rua movimentada e não é que um bêbado achou de parar bem no meio? E os motoristas brigavam com ele e nada. Só olhava para o lado e dizia: “****!”
Estava na janela e dei jeito de sair logo. Vai que o danado me via e me mandava também? Quem gosta de ser exposto ao ridículo em pleno meio dia por um pudim de cachaça? Fui..
Pois é, tempos depois vi situação se repetir. João Gordo, que trabalha na MTV, usava ****. E ele enchia a boca para falar. Sabe aquela vergonha que você tem para quem está falando? Tenho. Não consigo evitar. E a mesma coisa acontece hoje ao ler as pessoas dizendo a mesma coisa...
Nem vem me dizer que é careta não dizer palavrão. Quem não diz quando machuca? Um bom PQP! Alivia a dor e a raiva. Mas dizer **** de grátis? É uma agressão? É sim. E é inconveniente? É sim. Por escrito, pior ainda. Não é preconceito. É que o dono, quer dizer, que disse não pensou, escreveu....#pronto falei!
Se voou publicar este texto? Estou pensando...@&*+#% se é conveniente...
E o dia do *****! Fiquei com a maior vergonha. Mas como já disse “já passou”. Foi uma brincadeira infeliz...
E quer saber mais? Fiquei chocada quando vi cantada... Tem gente que não se importa. Tem gente que contiua em choque(eu). E não vai ser ouvindo e lendo todos os dias que vou me acostumar e aderir. Se pode ser particular, por que tornar público? Uma questão de gosto? Não. De comportamento...

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Em que você acredita?


Lekeitio - Credito para a foto de Turi.

Em que você acredita?...

Temos algumas crenças que dirigem e ordenam nossas vidas, certo?
Crença em Deus, em posturas internas e externas, em modo de vida em valores, etc. Mas existem umas crenças que aparecem não se sabe de onde e todos acreditam piamente, sem uma crítica que seja e embarca nela. Pois não foi assim que segui como uma cega, ao “os postos se atraem”? Creio que isto vale para compostos químicos, para pessoas não é uma atitude muito inteligente. Tinha uma ligeira desconfiança e agora uma certeza, lendo “...a gente só gosta de quem se parece com a gente.” Dito por Mário Quintana, numa entrevista a Edla van Steen no volume 01 do Viver&Escrever. Assim, fico feliz em perceber que as minhas escolhas contam a minha história e as minhas crenças também. E se houver alguma coisa errada pode-se rever o script e consertar a história, antes que o lobo venha...
Cada um de nós tem um jeito de pensar. A lápis, a caneta, a bic, a teclado... E o que pensamos nos organiza por dentro e por fora. Vamos experimentando nossas crenças. Umas dão certo, outras não... Somos orientados pelas nossas crenças, a princípio herdadas e depois por conta própria. Como “não podemos ensaiar a vida” vamos errando por aí. Bom não é, mas é confortável saber que não somos os únicos...
E depois com o tempo, vamos descobrindo que isto de ser perfeccionista é só mais uma forma de se autodenominar. Uma tortura a mais que inventamos, para depois abandonarmos. Coisa imprestável que não ajuda nosso estar por aqui...
Ah, isto é uma das boas coisas que nos acontecem. Inclusive a de não ser tão sério...
Vale brincadeiras, nem que sejam umas risadas na hora errada, um tombo imprevisto... Sabe como é? São possibilidades que a vida te oferece e se você tiver um pouco de leveza, vai deixar acontecer. E pensar no dia seguinte “Nossa como foi isto mesmo?” Já passou... e você pode sorrir sozinho pensando na situação... “Nem acredito...”

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Viagem imaginária...


Crédito para a foto de Aixa e Turi

Imaginação...

Usamos a imaginação para fazer um texto, compor uma música, fazer uma viagem imaginária...Quem nunca fez uma? A mais linda que experimentei foi a descrita por Violet Oaklander em seu livro: Descobrindo Crianças. No primeiro capitulo chamado Fantasia ela começa: “Daqui a pouco pedirei a todos vocês no grupo que fechem os olhos, vou levá-los para uma viagem imaginária de fantasia. Quando tivermos acabado vocês vão abrir os olhos e desenhar alguma coisa que esteja no fim da viagem. Agora, gostaria que vocês ficassem o mais confortável possível; fechem os olhos e entrem em seu espaço. Quando você fecha os olhos, existe um espaço onde você se encontra. É o que chamo de SEU espaço. Você ocupa esse espaço nesta sala, ou em qualquer lugar que esteja, mas geralmente não o nota. Com os olhos fechados, você consegue ter a sensação desse espaço – onde seu corpo está, e o ar que está em volta de você. É um lugar gostoso de estar, porque ele é o SEU lugar, o SEU espaço...” E ela prossegue dando as instruções, mandando prestar atenção na respiração. Pede para dar algumas respiradas bem profundas. Deixar o ar sair com um som: haaaaaaah. E conta uma pequena história. E foi a fantasia mais fantástica e mais linda que já experimentei...
Não me lembro porque comprei este livro. Por causa do título? Porque estava precisando encontrar com a minha nenininha interna? Porque precisava encontrar a minha parte que foi um dia abandonada? Pode ser tudo isto. Na época estava muito interessada na gestalt. Tinha lido o livro da Barry Stevens: “Não aprece o rio, ele corre sozinho” que prefaciou o livro(e só notei agora). E como diz a Luma “uma boa idéia leva a outra” e tenho que concordar com ela. Pura verdade.
E leia aqui o final do prefácio: “Este livro pode ser uma janela para a criança dentro de você, bem como para as crianças com quem você está.” Barry Stevens – Junho de 1978.
Ah, janelas? Adoro janelas para o mar, jardim, ruas e fiquei na maior pena do personagem quando li no livro de Mário Benedetti: A Trégua “O que eu não suportava mais era a parede em frente ao meu escritório, a horrenda parede...” Pude compreender a angústia do personagem. Que teve que sair para a rua e procurar o ar livre e o horizonte...

domingo, 21 de junho de 2009

E por falar em Inverno...


Pensar no iverno, está implícito em mudança de temperatura que para alguns tornas-se um desconforto e para outros um bem estar. Vamos observando também a mudanças das cores no céu das roupas usadas que podem seguir as tendências da moda ou o gosto pessoal.
Dependendo do lugar onde moramos o frio pode lembrar, cobertor, lareiras, janelas embaçadas onde se pode até escrever mensagens...Ah, e o calor de uma lareira pode ser além de aconchegante, romântico, amigável...
Comecei o dia lendo o texto da Sam. O assunto? Livros. Quer companhia melhor para o frio? Um amor, lógico! Junto com o livro, melhor ainda.
Mas, fazer um comentário tão grande e ainda por cima errar na hora de mandar, fiquei com pena. Assim, trancrevi aqui...

"Bom dia Sam!
Um belo comesço de inverno para você. Hoje vi no Globo Rural uma reportagem sobre queijos na Suiça gelada. Nosso inverno é mais, vamos dizer, mais calmo.(risos)

Mas começar a ler sobre indicação de livros logo de manhã, para mim é um presente. Já anotei o nome do livro e da autora. Não vou comentar sobre o assunto sobre o qual você disse estar curiosa. Vamos ver qual a sua avaliação do livro…
E por falar em livro, estou sempre lendo 02 ou 03 livros de uma só vez. E vamos a eles: A Nova Mulher-Marina Colasanti. Um livro escrito em 1980 mas que continua atual. O segundo é a Trégua-Mario Benedetti que estou no começo. Mas achei interessante uma frase escrita na última capa “Um grande amor pode ser uma trégua na vida”. Instigante, não?
O último, já comecei mas estou só no pricípio: Eduardo Galeano – O teatro do bem e do mal.
O que me chamou a atenção foi um comentário sobre o livro: “Como Heródoto, Galeano converte a história coletiva em oráculo.” (Gregori Rabassa, The Guardian)
Ah, os 02 últimos livros são da L&PM POCKET. Muito bom porque podemos levar para qualquer parte…
Sam, não posso escerver mais. Está se tornando um post. Mas faltou comentar sobre a primeira indicação. Vou continuar o assunto no Blog Linha…
Beijos.
Anny."

sábado, 20 de junho de 2009

No último dia do Outono...



No último dia de outono...

Comecei a pensar que esta é uma boa época para limpar meus armários e descartar muitas coisas inúteis que deixei espalhadas pela casa, pela vida...
Já que o tempo vai mudar, aproveitei a ocasião. Logo cedo, fui fazendo o trabalho. Fiquei animada. Deixei o guarda-roupa cheiroso. Pronto para ser habitado pelas roupas limpas e cheirosas que lavei hoje.
Enquanto isto pensava e pensava. Sabe que esta é a melhor hora para organizar pensamentos e fazer textos mentais. É verdade que a maioria desaparece no meio do caminho, mas boa parte deles chega ao destino: escrita. E isto com muitos cortes e ajustes. Tal qual uma roupa a ser feita. Faz o molde e vai seguindo os passos. Corta, costura, prova. Se não está bom, desmancha e faz de novo e de novo. Até que pode acertar sem prova. Não é sempre e nem regra.
Até que gosto das cores do outono, mas o amanhecer e o anoitecer já não está tão bonito. Sabe, aquele nevoeiro? Fica lá onde o sol nasce. Para que as fotos fiquem bonitas, precisam ser feitas antes do sol nascer. Uma reportagem afirmou que é produto da poluição. Vamos ver se haverá mudanças com a mudança de estação...
O que é possível agora, são fotos do por sol. Cada vez mais coloridas e bonitas. Uma festa para os olhos...
E amanhã começa o inverno. Bem que gosto dele por aqui. Dias menos quentes e roupas mais bonitas...
Acabei de tomar banho, mas hoje ainda está quente. Por favor, um ventilador!!! Para não derreter minha paciência e meu bom humor.
Devidamente ventilada continuo a prosa. Que há de novo por aí? Não pude ter acesso à internet, com a famosa frase: “Página não encontrada.” Assim, continuei escrevendo. Até que cheguei aqui e resolvi descobrir o que estava acontecendo. Liguei até para o provedor e nada. Até que me lembrei que tinha desligado...
Ah, acontece, né?
Então até mais até “Quando o inverno chegar...”
Uma foto do amanhecer e de um por do sol do outono...
Beijos.
Anny(@Annyllinha)

quarta-feira, 17 de junho de 2009

E a conversa continua...



Pronto, a conversadeira aqui ficou sem assunto. Sem assunto? Penso que não foi bem o que aconteceu. Foi um muito assunto de uma vez só. Fiquei sem saber sobre o que e qual deles escrever. Imagine você que ao ver o jornal da manhã lá estavam as manchetes, as fotos sobre agressividade. Por incrível que pareça tinha lido um capítulo inteiro sobre tudo aquilo que foi mostrado...Pensei logo, posso fazer uma citação, dar minha opinião. Mas o tempo foi passando e nada de texto. Os comentários foram chegando e cada um deles com um recado e uma sugestão. Fiquei muito feliz. E agora de tarde, li o comentário da Luma e o texto do blog dela...
Bem assim, ler demais acontece o que aconteceu com ela e o que aconteceu comigo...

Comecei a passear para ver o que havia de bom para me inspirar. Encontrei um blog chamado Escrita torta em Linha reta. E num texto chamado: “Para os dias de bloqueio de idéias”... Adorei. Até que tentei fazer um texto seguindo as instruções dele. Tenho certeza que não tem nada a ver com o que ele ensinou. Saiu um texto do tipo Sem sentido. Não me censurei. Escrevi. Adorei o exercício. Vou lá ler de novo...
E a doideira ficou assim:
Ultrapassei a linha do desenho feito no caderno. Usei um barbante e fiz uma bolsa de crochê bem colorida. Pensei ter quebrado a linha e cheguei bem em frente à janela. Olhei o horizonte molhado do mar. Mudei de janela e por trás dos morros imagino o trem do ocaso colorido pelas luzes do outono. Por dentro e por fora um banco quebrado de um jardim circular. Olhei para trás. Não é um trem nem de fora nem de dentro...É uma estação...

Adorei escrever isto. Funcionou como uma brincadeira com as palavras. O exercício não é para ser feito assim. Mas fazer um texto abstrato. Tal qual fazer um desenho? Não resisti...

Agradeço a todos os comentaristas que carinhosamente me deixaram sugestões. Adorei. Agradeço a todos com um link..
Djabal
BarbieGirl
Luma
Geórgia
Sílvia Obrigada pelo selinho acima...
Daiazinha Obrigada pela indicação...

Norberto Kawakami é o editor do blog. Fica aqui o convite para visitarem...

Beijos.

Anny(@Annyllinha)

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Sem assunto...


Catedral de Burgos. Crédito para a foto de Aixa.


Sem assunto...
Podem sugerir... Os meus já estão lavadas, surrados, desbotados e colocados no varal...
Estão secando.
Até amanhã...
Beijos.
Anny.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Amar não é fácil...


Crédto para a foto de Turí.

Amar não é fácil. Não é só decidir amar e pronto...

Para amar você precisa de entrar para uma academia e escolher que tipo de exercício deseja fazer. Se musculação, aeróbica, Pilates, Yoga etc...
Nunca pensou nisto? Pois acompanhe comigo. No amor você precisa de alongamento em primeiro lugar. Depois os exercícios específicos que cada um deles precisa...
Isto sem esquecer da grande capacidade de perdoar, no diálogo, atenção, respeito e acima de tudo isto, um amor e um respeito imenso por você mesmo. É... começa por você...Não tinha pensado nisto? Pois pode pensar. Se não sabe se amar e respeitar, como é que vai amar e respeitar o outro?
E isto vale para amor de filho, namorada, namorado. E todo tipo de amor que você imaginar: de animal de estimação, amigos, parentes, vizinhos, pais...
Para amar você precisa se exercitar em todos os sentidos. Não pode ficar esperando que amar seu filho é só amar e ponto final. Não é. De repente ele te faz uma pergunta:
“- Mãe, você me ama? “
“- Por que?”
O que você vai responder?
Seja sincero...Você sabe responder na hora? Sem pensar nenhum pouquinho?
Passei mais de uma semana pensando no assunto. Confesso que fiquei com a maior culpa do mundo, por não ter respondido à altura. E agora aqui vai filho: amar é difícil porque estamos sempre jogando a culpa no outro, na situação. Amar é difícil sim. É porque o amor precisa ser aprendido todos os dias, em todas as situações. Mesmo quando você não sabe a resposta e precisa de um tempo para pensar...
Amo você porque escolhi que você devia nascer e me preparei para isto. Lendo livros e perguntando como fazer, em cada situação onde não havia instruções adequadas.
Então é isto. Amo você porque acredito que “amar é uma escolha” e escolhi amar você, meu filho, com tudo que isto implica...
Ah, se você não pode pagar uma academia, pode caminhar...É um exercício diário também. Ou vai esperar seu médico mandar?...

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Por entre as frestas...


Crédito para a foto de Turi.

Ontem fiquei olhando o céu pela fresta da janela. Estava na academia. Um céu tão azul! Amo céu azul, mar azul. E logo depois caiu uma chuvarada que ninguém entendeu. Logo depois passou. Ainda bem. Cheguei em casa com sol quente. Hoje choveu o dia todo. Espero que amanhã seja de sol...
E por escrever e ver pelas frestas, vi uma reportagem sobre Dra Nise da Silveira (1906-1999). Foi uma importante médica psiquiatra brasileira. Formada na UFBA, aluna de Carl Jung.
“Dedicou sua vida à psiquiatria e manifestou-se radicalmente contra às formas agressivas de tratamento de sua época, tais como o confinamento em hospitais psiquiátricos, eletrochoque, insulinoterapia e lobotomia.”

Ela conseguiu fazer com que houvesse um outro olhar, uma nova maneira de ver os seus pacientes. Dizia que se há vários meios de comunicação: o gesto, o olhar a palavra eles poderiam fazer isto. Fundou o Museu do Inconsciente.
Ainda não foi possível ler um livro dela, (não achei nas livrarias daqui) mas o pouco que encontrei me encantou. No site SOS Gatinhos, um jornalista conta como conseguiu uma entrevista com ela. O nome que ela deu ao seu gatinho “Carlinhos” em homenagem a Carl Jung...

Penso que a vida é assim mesmo. Se você aprende a olhar por onde há frestas, pode encontrar o que vale a pena ser visto, apreciado. A arte nos ajuda a lidar com a parte mais difícil da gente. Daquela que rejeitamos, esquecemos, escondemos, camuflamos e sabemos que está sempre presente por entre as frestas...

domingo, 7 de junho de 2009

Você já perdeu alguma chave?...


Você já perdeu alguma chave?
Pode ser qualquer uma. Chave do juízo, da gaveta, do carro, da casa, do apartamento...
Penso que esta é uma situação normal. Pode acontecer com qualquer um. Mas, não sei porque a gente acredita que com a gente não...
Vi uma cena desta ao vivo e a cores, ontem e na semana passada.
Sempre acontecia comigo. Procurei me proteger desta urucubaca, adotando estratégias. Parecidas com as que inventamos para não esquecer nomes: associação ou então rituais. Por exemplo, todas as vezes que vou sair fico parada na frente da porta aberta e refaço mentalmente, tudo que vou fazer.
Coisa mais chata é perder chave. De carro então, e a moça tinha perdido a chave no Petshop. Um lugar bem pequeno. Fiquei penalizada e ajudei a procurar. Não adiantou mas fui solidária. As pessoas só olhavam. Ai, ai! Será que alguém ali estava isento disto? Só pode, porque os olhares eram de condenação...
Mas também tem aquelas horas de distração. Você não esquece a chave é a porta que bate porque está ventando muito. Ou até nem está. Um ventinho de nada e lá se foi a sua segurança, estratégia, ritual. Tudo por água abaixo e uma porta miserável e bem fechada na sua frente. Existe maior desamparo do que este? Existe, mas este é um deles. Misturado com insegurança, medo...
Que acaba logo que o chaveiro é chamado. E até podemos brincar com a situação. Nós que somos “Humanos, demasiadamente humanos” e imperfeitos. E nos recusamos a aceitar isto...

sábado, 6 de junho de 2009

Você segue as instruções?...

/>
E hoje o dia teve este amanhecer...

/>
Aqui May com sua fita azul no pescoço. Sei que está escuro. Ela se recusou a me ouvir e não ficou na claridade. Sinto muito...

Você segue as instruções?...
Para aprender seguimos as instruções do livro, do professor. Depois da aprendizagem as instruções já estão internalizadas. Assim podemos modificar, colocar do nosso jeito. E isto vale para desenhar, pintar, costurar, cozinhar...
Partimos de algum ponto que não é o nosso e depois fazemos os remendos e as costuras necessárias para ficar com a nossa cara...

Hoje levei May para tomar um banho, cortar as unhas. Afinal, hoje é sábado. Dia de ficar mais bonita. Dar um retoque no visual. Logo que me entregaram a bonitinha, vi que estava com um laço azul no pescoço. Fiz de tudo para tirar uma boa foto. Mas, ela tem temperamento de gato. (Risos) Não ficaram tão boas para um ser humano...
Não quis dizer “giz”. Então foi...
Fiquei esperando um tempão e aproveitei para amarrar uma prosa com a Carmem e o esposo. Muito simpática ficou me contando que aprendeu depois de se aposentar, a fazer muitas coisas que antes não fazia. Por exemplo, bolos, pães de todos os tipos. Estava me contando que tinha feito as pazes com a cozinha. Não é interessante isto? Ela excluiu o “ir para a cozinha” de sua vida. E olha que nunca trabalhou fora de casa. Aprendeu com a mãe, que cozinhar era uma perda de tempo. Um trabalho sem futuro e outras cositas más...
Ah, meu Deus! Não sei o que vocês pensam disto, mas comigo não foi exatamente assim, mas esta crença é antiga e dizer que este é um trabalho para escravo era normal...
Assim, hoje penso que cozinhar me dá independência, uma boa saúde e me faz compreender o quanto sou responsável por mim mesma. Concordam ou ainda têm uma certa resistência?...

YouTube

Loading...