sábado, 30 de maio de 2009

Você sabe o que dizer e o que não...


Você sabe o que dizer e que não na hora de uma briga?
Confesso que não sei. Então vou ali ler algumas instruções. Quem sabe assim aprendo que uma boa briga através das palavras, limpa a minha alma. “Falar dói, porque dá medo, porque dá pena, porque é tão mais conveniente deixar correr e dar um jeito depois, sem derramamento de sangue aparente. Falar estremece tudo. Mas não falar é pior. Não falar dá ressentimento, que se infiltra no sangue, que suga a alegria, que estraga e apodrece qualquer relação. Não falar turva o olhar. Não falando somos cúmplices de todos os inimigos do outro.”
Pois é, falar e falar. “E sobretudo disposta a ouvir.”
Isto não é tudo de bom? Então quando vejo escrito: “Ler para aprender a ser”, só posso dizer Amém. Ler e refletir sobre o que leu, é saber e aprender a pensar. Então amo ler e recomendo. Ler nos faz seres humanos melhores...
Então leiam. Procurem saber o que ainda não sabem. Por exemplo, o que dizer e o que não, na hora de uma briga...
Citações do livro: A Nova Mulher – Marina Colasanti

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Um dia desenhado e colorido...


Blogs são conversações. Claro que existem blog que são diários. Estes não são lidos por todos. Se não deixariam de se chamar assim. O diário pode ser lido pelo autor. Ponto final...
Sugeri que ao trocar as letras pelos desenhos, uma forma de não precisar de trancar o seu diário. Seria um jeito de colorir o dia..
Experimentei colorir os desenhos feitos com caneta bic e agora é só nomear:”Um dia desenhado...”
Uma página colorida que envolveu o meu tempo, a escolha das cores e a organização interna para apresentar o trabalho final.
Não é um texto, é um dia meu contado através do desenho. Está tudo lá, em forma de símbolos. Entre as cores desenhadas, nos espaços em branco ou na ausência deles...

terça-feira, 26 de maio de 2009

Desenhando o seu dia...


Escrevi um texto perguntando “Para que serve o diário?” e recebi muitas respostas bacanas. Inclusive uma delas, achando que era maravilhosa a ideia de fazer um Diário desenhando seu dia. E por que não? Você faz num caderno desenho. Pode usar lápis de cor para colorir ou lápis aquarelável. Este desenho acima é um exemplo. Foi feito com caneta bic. Não colori, mas pode ser. Depois vou experimentar...
Muitas vezes não podemos escrever. Talvez até por não haver um lugar seguro para guardar o diário.
O desenho é uma expressão do que você sente. E de repente, pode até expressar melhor do que a escrita. Para facilitar, melhor usar desenhos abstratos. Facilita usar linhas, desenhos geométricos, curvas, esferas...
Quem sabe usar o paint também é uma boa saída. Mas o melhor mesmo é usar lápis ou caneta. Porque assim está usando sua criatividade e o seu corpo para expressar seus sentimentos através da escolha das cores, e das formas escolhidas...
Um trabalho entre você e sua mente. Que vai a aparecer sobre a forma de desenhos...
Você inteirinho lá. Ou parte de você, quando anda se escondendo pelas entrelinhas e disfarçado nas letras, nos pontos de exclamação ou de interrogação. Quem sabe assim pode se ver e se sentir mais inteiro? Pode também não ser nada disto. E sim uma grande brincadeira. Um jeito alegre de se ver de outra forma...

domingo, 24 de maio de 2009

Para que serve um diário?...


Você tem um diário?...
Ah, tá, um diário significa que vai usar papel e papel igual a árvores cortadas. Não necessariamente. Ele pode ser virtual... Ou então de papel reciclado. Pode escolher.
Penso que o diário é uma grande solução. Principalmente se você está longe de casa...
E Marina Colasanti em seu livro Uma Nova Mulher, escreve: Um amigo, meu diário
No 4° parágrafo ela pergunta:
“Um diário é um amigo? Uma companhia? Também. Mas é sobretudo uma duplicação da gente mesma, espelho que não se apaga quando o rosto se retrai ou muda, álbum de retratos que conserva muito mais que um belo sorriso e a paisagem de fundo.”
E ela prossegue descrevendo os benefícios do diário.
“A verdade é que um diário não pode ser lido por ninguém, a não ser pelo autor. E só será válido se escrito despreocupadamente, as coisas ditas às claras, sem metáforas ou jogos verbais criados para encobrir verdades a olhos curiosos.”

Sabe, concordo com o que disse a escritora. Escrever faz distanciar o acontecimento. Você precisa pensar para colocar nas palavras os seus sentimentos. Assim repensa, pode ver por vários ângulos um assunto ou um sentimento que está sem ser resolvido.
Ter um diário, não é uma coisa antiga e sem utilidade. Contar para você mesmo como foi o dia, como está se sentindo a respeito de determinado assunto, pode ser uma forma de conviver melhor com você mesmo. Inclusive de aceitar sua imperfeição. Saber conviver com o seu lado invisível...
E para finalizar o texto:
- Para que serve um diário?
-“O diário serve para preservar você.”
E se não pode escrever, tenha um caderno de desenho. Desenhe os seus dias. Assim pode escolher fazê-los coloridos ou conforme a cor dos seus sentimentos. Use desenhos abstratos, manchas de tinta, linhas, pontos. E dê nomes a eles ou não...

sábado, 23 de maio de 2009

Respostas...


Respostas...
Todos nós precisamos de respostas para as nossas dúvidas. É isto que fazemos a cada instante de nossas vidas.
Em cima da respostas obtidas, elaboramos nossas ações. E onde procuramos achar, descobrir este “pedaço” que falta no quebra-cabeça?
Cada um tem um jeito de fazer isto. Posso até fazer um texto para facilitar e ficar mais perdida ainda...
Conclusão: não sei. Todos os dias enfrento desafios para ter sempre uma resposta correta. Que maldade!
Fico horas pensando na melhor resposta e posso errar. Então que tal procurar o seu jeito? Assumir o risco? Viver é arriscar... Ou ainda não sabe disto?
Quando as crianças estão na fase das perguntas, irão “tomar emprestado” nossas respostas. Depois descobrem as suas...
E se não sabemos o que responder que tal ser sincero?
Esta é uma forma infalível de criar confiança...
Um pedaço certo do quebra-cabeça.

Um bom fim de semana para todos. E muito céu azul...

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Para escrever...


Para escrever preciso de uma caneta, um caderno e idéias que vão sendo transformadas em texto. Isto, do jeito mais antigo ou do meu jeito...
Às vezes não dá certo. As fotos não não combinam com o texto, os links não existem ou aparecem errados. Fazer o que? Quando for possível, apagar. Deletar tudo e começar de novo. E hoje, aqui estou, começando tudo de novo. Não existe uma receita mágica que resulte em belos textos. São todos provisórios. Como provisória é a vida. Tudo uma grande brincadeira. Onde se pode dar muitas risadas ou apenas um sorriso amarelo e um sinto muito. Deu tudo errado...Tudo é possível...A probabilidade de errar está sempre presente, Nunca esquecer este pequeno grande detalhe. E tudo vai bem.
É só começar um novo parágrafo. Sem saber onde vai dar. Se numa rua escura ou num beco sem saída. A solução? Dar meia volta, correr, pedir socorro. Se a rua for um desenho seu, desenhe as luzes...É só um desenho. Se escreveu, são só suas palavras. Ou então seu sonho ou pesadelo. Sei lá..
Uma história sua sem final feliz...
Acontece, né?
Não gostou? Comece outra vez...
E outra vez...
Até ficar do seu tamanho, cor, brilho e otras cositas más...
Amém!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Imagine...


Crédito para a imagem de Aixa e Turi

“A imaginação não tem limites a realidade sim.”

-Por que sempre esquecemos? Talvez o nosso primeiro mantra do dia devesse ser este...

E começa o dia. Fico na porta ainda sem fechar, repassando mentalmente se me esqueci de alguma coisa. Volto até o quarto para colocar o colírio. Pronto, agora posso sair. Chego até o ponto de ônibus e vejo muita gente. Ops! Uma paralisação marcada para agora. Ah, meu Deus! Foi isto que esqueci. Bom já estava na rua, resolvi ir a pé. Não é muito longe. Mas em segundos apareceu uma carona e lá fui eu para a academia. Uma das boas coisas que faço na vida...
E hoje o instrutor M, estava com muita sede. Perguntei que sede era aquela. Respondeu que tinha comido sapo. Depois me lembrei que esta é uma expressão dita por aqui, quando se bebe muita água. Sabe como é? Uma ressaca. Daquelas que a pessoa fica assim ligeiramente confusa...

Depois da aula fui até o supermercado. Tinha marcado com Keu, um amor de garota que me dá consultoria sobre acessórios para usar no dia-a-dia. O lugar onde ela trabalha, é uma dessas “lojinhas” que fiacam lá dentro. Fica à direita de quem entra. Logo após o café “Caminito”. Um beijo lindinha...

Mas um dos assuntos que desejo comentar aqui, é sobre a Boticário. Tenho muitos produtos dela, sou cadastrada e descontente. O motivo? Bem, acabei de tomar banho e passei um hidratante, uma colônia após banho e daqui há pouco posso passar qualquer outro perfume... Nem parece que usei algum tipo de produto antes. Diante disto, liguei para o 0800 413011 e conversei com Talitha, uma pessoa muito atenciosa, sobre o que estava acontecendo. Informei-a que iria fazer esta enquete. Perguntei se havia algum problema e ela me disse que não. E agora a minha pergunta que não quer calar na minha boca: “Você tem alguma queixa contra os produtos da Boticário?”
Espero que respondam. Não é um artigo pago. É só um assunto mal resolvido.Quando perguntei na loja por que isto acontecia, a vendedora da loja me respondeu que era “uma questão de pele” Como é que é? Pois é. Alguém teve esta mesma resposta? Isto me pareceu uma desconsideração...

Obrigada!
Anny.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

"Escrever é como viver...


Crédito para Mateus Almeida.

“Escrever é como viver. A gente nunca sabe o que vai dar.”
Moacyr Scliar

E não sabe mesmo. Embora não seja escritora, estou aprendendo a escrever e é o que faço sempre que fico inspirada, emocionada, com dúvidas, alegrias e tristezas...
Hoje estou triste porque uma chuva que não para desde ontem, não me deixou hoje ir para a academia hoje. Ah, porque aqui está assim. Se chover muito, nem adianta sair. Vai ficar ilhado e molhado...

Assim, aqui estou. Sendo abduzida pela TV... Logo cedo, vi o jornal do SBT-Manhã com uma reportagem sobre uma passeata dos “Sem Namorados” mostrando que descendentes de japoneses estão bem cotados. Estava escrito em alguns dos cartazes: “Queremos um namorado japa” e a moça logo achou um pretendente...

Fico olhando a chuva pela janela da varanda. Vejo as gotas de água na barra de ferro da varanda. É bonito mas não me consola...
Por último uma reportagem sobre Barack Obama. Mostra sua posição sobre o assunto: Propõe diálogo. Uma postura de quem pensa e sabe como agir...

Depois mudo de jornal e vou ver no Bom dia Brasil e uma matéria sobre azaração. E os locais mais prováveis onde podem acontecer: no trânsito, nas academias, no metrô...enfim, onde é possível uma troca de olhares. Dissimulados ou não...
Você pode escolher também um sorriso, sugestão dada pela repórter que aprovo e recomendo...

E estou também emocionada. Recebi um e-mail carinhoso da namorada de meu filho: a Telma. Quem não fica? Um laço azul para você e todo o meu carinho. Obrigada!!!
Você sempre faz a diferença..

sábado, 16 de maio de 2009

Desafios...


Crédito para a imagem de Aixa e Turi.

Ah, mas todos os dias enfrento desafios e nem sempre estou afinada...Às vezes esqueço a música ou não sei toda a música de cor...Penso que a vida é mesmo grande desafio: um diálogo cantado( ou falado) de improviso. Não posso ensaiar a vida, o viver. Vou vivendo...
Cada etapa é ultrapassada, vivida, sentida uma primeira vez. O que fica é a lembrança, a emoção e o que significou para mim. Ponto de partida para os bons desejos...
E isto me lembrou que há um ano, meu filho me perguntou: “Mãe, quer aprender a mexer com o computador?” Fui rápida na resposta. “Não.” Como assim? Pois é, respondi um não tão rápido, que fiquei preocupada. E comecei a pensar sobre o assunto. Na verdade, estava sendo abduzida pela TV. Isto mesmo. E quando perguntei “Em que lugar você gosta de pensar?” recebi uma resposta que tem tudo a ver. A Silvia me respondeu: “Na frente da TV desligada.” Ahá, tudo a ver. Se deseja parar de ter seu diálogo interno, de tirar suas próprias conclusões sobre o mundo.,.Vá ser abduzido...
Foi na época em que a MTV tinha uma chamada assim: “Desligue a TV. Vá ler um livro.” Confesso que ficava com a maior vergonha. E foi nesta que pensei. “Vou aprender a internetar.” No começo, foi complicado. Comecei do zero. Nem ligar eu sabia. E tem mais, não guardava o que precisava ser feito. Queria anotar tudo... (risos) E meu filho insistia “Não precisa.” Nem dava ouvidos. Continuava com meu caderninho...
E num dia destes me lembrou que a postagem estava no número 400 e se eu tinha reparado. Pois é, filho. Não tinha..Pura verdade. Obrigada pela sua paciência. Ainda tenho algumas coisinhas para perguntar: “Como é mesmo que faz para...?”
Sabe como é? Nunca sabemos o suficiente. Esta é a grande mágica do aprender. Não tem fim...

quarta-feira, 13 de maio de 2009

O Desejo...


Ontem estava no Twitter e li uma mensagem de Alessandro Martins:
“Palestra MUITO boa sobre O Desejo.” E hoje aproveito para indicar o blog “Tudo sobre Yôga em Curitiba – Júlia Rodrigues e junto o link.
Ivan Capelatto, um psiquiatra muito bem humorado, explica algumas coisas ou tudo que não entendemos sobre o desejo. Gostei muito e espero que vocês também gostem. Saber mais sobre nossos sentimentos é uma boa forma de poder ter novos pontos de vista e quem sabe, desenhar e sentir melhor sobre eles...
“ E o desejo sempre se renova...”

Sem mais por hoje...
Anny.
Annyllinha

terça-feira, 12 de maio de 2009

Blogs são janelas...


Crédito para a imagem.
Fui escrever sobre receitas e parei em janelas. Mas papo bom é assim... Começa num assunto e vai parar em outro completamente diferente. E a divagação é tamanha que no assunto coube gato, mariposas, blogs...
E por falar em janelas, hoje em dia já não mais possível utilizá-las para fazer uma serenata, conversar, espiar a rua então nada como extrapolar e ver os blogs como janelas. Onde é possível deixar um comentário, um abraço, um beijo, compartilhar ideias. E até dividir receitas. Isto não é uma delícia? Uma grande rua onde vamos trocando informações, fazendo amizades, conhecendo lugares novos. Até paises diferentes...
Para enfeitar o dia e a vida e facilitar a vida na cozinha, umas receitinhas fáceis. Que você pode variar os ingredientes que elas irão ficar muito, muito boas...

A primeira, experimentei fazer Brandada de Bacalhau, mas não tinha batata palha e nem a batata comum. Substitui por cenoura ralada e ficou ótima. A segunda precisei de providenciar a proteina para o almoço e usei atum.

Brandada de Bacalhau:
-600 gramas de bacalhau demolhado e desfiado.
-03 dentes de alho (picados)
-03 colheres (sopa) de azzeite
-1/2 colher (sopa) de manteiga
-01 cenoura ralada
Modo de fazer:
* Fritar o alho no azeite e manteiga e depois acrescentar a o bacalhau desfiado e por último a cenoura.
* Se quiser pode ralar queijo qualho por cima(fica muito bom)

Atum com molho de tomate:
-01 lata de atum com molho de tomate
-01 lata de atum sem molho
-01 tomate picado sem pele e sem semente
-01 cebola pequena cortada em cubos
-01 colher (sopa) de azeite
-01 colher (chá) de manteiga
Modo de fazer:
* Fritar a cebola como óleo e a manteiga e acrescentar as duas latas de atum. Em seguida o tomate picado.
*Não precisa de mais sal, mas prove para ver se está do seu gosto.

Espero que as receitinhas sejam feitas ainda hoje. Se fez diferente, venha aqui compartilhar. Vou adorar...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Receita fácil?...


Adoro uma receita fácil de fazer. Sabe como é? Não é complicada. Se você tem os ingredientes é pá pum! Está prontinha. Outro dia meu filho veio almoçar e precisei de uma “mágica” desta. Não pensei duas vezes. Fiz e ele achou uma delícia...

Já reparei também que uma das coisas que chamam atenção das pessoas é exatamente isto. Talvez elas digitem no Google: uma receita fácil. E chegam aqui. Chegaram ao lugar certo. Não gosto de receitas complicadas e muito menos de complicar a vida. Então aqui você vai encontrar além de receitas, textos sobre comportamentos. Não que eles sejam textos de auto-ajuda. Nada disto. São apenas divagações sobre temas que enfrento, enfrentamos no dia a dia. Um jeito diferente do seu, de olhar um problema e até uma janela. Geralmente janelas são para olhar, perceber o que está lá fora. E posso também ampliar este olhar. Por exemplo, acabei de fechar a janela da cozinha, porque é por lá que chegam as mariposas. E May adora hipnotizando-as. Futuras presas. Fico muito incomodada com isto porque o que ela faz para conseguir seu objetivo, inclui: subir em cima do armário, da janela, da máquina de lavar roupa, do fogão. Credo! É uma caçada sem fim. Então para evitar tudo isto, fecho logo a janela...

E também tem as janelas que visito: os blogs. O de hoje, é um blog novo e tem fotos de Salvador toda molhada. Pura água. Nem dá para acreditar que tudo aquilo aconteceu há poucos dias atrás, o Prettygirl...
Tem uma janela que fica nos Estados Unidos: o blog da Cristiane que adora jardins e é carioca. Mais outra que fica na Alemanha: o da Geórgia. E para não dizer que esqueci o Brasil, tem a “Casa da Molly” da Sílvia em São Paulo. Em Belo Horizonte, o “Inverso Meu” da Sabrina e por aí vai. A vida da gente é cheia de janelas. Cabe a cada um de nós saber achar ou olhar a janela certa. Ou escolher as janelas para olhar. Elas sempre têm um mundo de possibilidades para serem descobertas, encontradas...
*Ah, receita...publico outro dia...

domingo, 10 de maio de 2009

Dia das mães...


Se o Google homenageou o Dia das Mães também homenageio a minha. Obrigada por existir mãe! Amo você!
Beijos.
Anny...
Fonte

sábado, 9 de maio de 2009

Um dia...



Um dia nublado, frio. Nem parece Salvador. Ah, não gosto de dias assim. E o pior é que quando ia comentar isto com minha vizinha, ela se adiantou afirmando: “Que calor, hem?” Pensei comigo: “Ela só pode estar brincando!” Mas no fundo, são as imensas diferenças individuais. Mesmo acontecimento e leituras completamente diferentes. Hoje de manhã, passei abrindo e fechando janelas. Fiquei tão agoniada que resolvi olhar por outras janelas. Já que as minhas estão sempre da mesma cor: cinzas e sem graça. Estou relendo “A Insustentável Leveza do Ser” – Milan Kundera. Li há muito tempo. Não lembro mais nada. Tomas começa a contar sua história com Tereza... Achei uma boa opção olhar por esta janela hoje. Parei para dar uma navegada na internet. Nem ia escrever, mas num tempo deste. Uma outra coisa interessante: mandei uma sugestão de presente para a minha amiga virtual Geek: a Sam. E não é que ela aproveitou e fez um texto com os presentes que ela gostaria de ganhar?...Não sou que nem ela, mas gosto mais de tecnologia do que os meus filhos. Não sou viciada, mas tenho as minhas horas por aqui. Adoro o Twitter, gosto de bater papo pelo MSN e pelo Skype e por aí vai. São comodidades que vieram para ficar. Mas poder falar com a minha irmã no Japão e ela cozinhando... Isto é conforto demais. Só não aproveita quem não sabe como. Certo?
E agora pensando em presentes, meus filhos são sempre ótimos em me presentear. Não posso reclamar. Portanto não vou sugerir. Eles já sabem: presente para casa, nem pensar...

Para alegrar o texto uma gatinha dormindo entre os livros...

*Um bom domingo para todos e um feliz Dia das Mães!

sexta-feira, 8 de maio de 2009

O poder da música...



Qual o poder que a música tem sobre nós?

Posso dizer que a música tem o poder de me emocionar. Estava me preparando para escrever um texto hoje e fui ler os e-mails de hoje. Um deles era da “La Huella Digital” indicando uma música chamada “Hallelujah” de Rufus Wainwright que vocês podem ver através do link. Qual a minha reação? Chorei...

Pois a música tem este poder sobre mim. Além disto, me faz ter um bom sono, ficar alegre, triste, refletir... Numa resposta a Djabal, disse que a música tem poderes mágicos. E mágicos para mim significa tudo de bom que não consigo colocar em palavras...

Fui então ouvir músicas. Muitas músicas: jazz, blues, rock e me encantar com Grandpa Elliot, Clarence Becker. Já ouviram? Bom para ouvir de manhã, de tarde e de noite. Na hora em que for dormir...
Pois é, música serve para muitas coisas. Além de encantar, fazer chorar, amar, dançar “enquanto seu lobo não vem...”

Sabe, a música nos faz ver atravéz das frestas das janelas, dos sentimentos e além deles. Músicas diminuem distâncias e aproximam pessoas.
E agora aproveita e vá ouvir a sua. Aquela que te emociona, conta uma história e consola. Um bom fim de semana. Beijos, Anny...

terça-feira, 5 de maio de 2009

Se você não sabe ..


Para quem não sabe desenhar, uma prática muito conhecida chamada cola, foi e ainda é usada para fazer pintura em panos. Existem até revistas, com os desenhos. Prontinhos para você colocar o papel de seda ou o equivalente e copiar. Muito fácil e sem complicação. Não é mesmo?
Agora se o assunto é texto, não pode e não deve fazer isto. E tem mais, se você ficou motivado ou inspirado com o que leu, acho bom colocar um link. Vai valorizar o seu blog e com certeza vai ser levado em consideração. Ora se vai...
Então, pensando neste assunto, a Luma fez um ótimo texto e convida os blogueiros a refletirem e postarem sobre “Campanha contra o blogueiro parasita”...

Então estamos conversados. Se você está sem assunto, sem vontade de escrever, escolha um poema, uma frase de um autor que você ama. Vale até um desenho que você gostou muito. Não se esqueça de colocar de onde tirou e isto significa um link. Se não sabe colocar o link, escreva de onde tirou. Vale do mesmo jeito. Sabe, neste mundo que todo mundo gosta de copiar, que tal ser mais criativo e dizer onde foi que achou? O autor vai te agradecer. Mesmo que não entre em contato com você, e garanto que a blogosfera inteira vai te aplaudir. Inclusive eu agora: Clap! Clap! Clap! Obrigada! Valeu...

domingo, 3 de maio de 2009

Palavras nascem?...


Fonte: Google Image

Palavras nascem?...

Palavras nascem em ninho, tem bolsos (Rubem Alves), são perigosas, doces ou amargas...
Cada uma está carregada de um sentido ou vazias. Isto depende de quem está usando e para que. Mas descobrir que as palavras podem nascer em um ninho me fez ficar muito, muito feliz. A palavra ninho, para mim tem um significado especial e saber que existem ninhos cheirosos, tudo de bom...

“Alguns pássaros forram os seus ninhos com plantas perfumadas, incluindo alfazema, hortelã e erva cidreira. Estas plantas não só têm um cheiro agradável, como possuem componentes que protegem contra bactérias, fungos e mosquitos.”

Vou descobrindo aos poucos o poder e a ausência das palavras. Isto sem esquecer a sua imagem e a sua cor. Tão rica é a palavra. Escrita, sussurrada, esquecida, falada e lembrada. Quantos tipos de palavras existem? Tantos quantos forem os seres humanos...
Em todas as línguas possíveis e imaginadas. Palavras nascem com as mãos para expressarem sentimentos, no coração e no corpo de quem ama e de quem não ama também...

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Distâncias...


Distâncias...May (bebê) na porta da geladeira...
Existe uma distância entre o que falo, escrevo, demonstro através de desenhos e palavras e o que você entende. Posso ter me expressado maneira ambígua ou você ter lido nas entrelinhas. Mas pode também existir outras interferências...

Adianta falar com quem não te ouve? Ou com quem não te entende? Você vai dizer que não. Então por que conversamos com um gato ou um cachorro? Como assim? Ah, vai me dizer que nunca conversou sozinho? É a mesma coisa. Principalmente se for uma gata, como é o meu caso. Embora me olhe com aqueles olhos hipnóticos, não me compreende, não me obedece e é totalmente independente. Fala sério, e ainda tenho longas conversas com ela ( risos). Então tá. Estamos entendidos. A primeira vez que vi uma pessoa conversando sozinha, foi na minha adolescência. O meu avô fazia isto e achei diferente. Pensei não ser normal até que cresci e comecei a fazer a mesma coisa. Se foi alguma coisa que herdei, uma ótima herança genética. Nunca fico sozinha. Tenho minhas vozes internas para conversar. Um diálogo interno que não para nunca... Podemos até fazer com que ele pare, treinando ou aprendendo a meditar. Fora isto, o tricô interno continua. Ele fará considerações, julgamentos, conclusões. Vai que vai.
Voltando ao entendimento, penso que as pessoas são parecidas com os gatos. Elas olham e olham tão atentamente, que penso estarem me ouvindo e entendendo. Não estão. Estão mesmo é prestando atenção às suas conversas internas. Será que os gatos também são assim? Nunca ouvi um. Aliás, já sim. O Garfield. E como tricota o danado. Quer dar uma olhada? Então espia aqui. Ele tem todo tipo de conversas. E são internas. O desenhista é que usa de artimanhas e deixa que vejamos seus pensamentos. (risos).
Coisas do Crazyseawolf que também gosta de gatos...

YouTube

Loading...