quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Então os livros...


Sempre havia pensado que os livros me dariam as respostas que eu precisava. Todas. Sem exceção Nunca questionei isto. Certo ou errado, agia assim e ponto final. O livro para mim tinha aquele poder mágico da transformação. Como um caldeirão de bruxas, ou uma varinha mágica. Penso que a idéia não está totalmente errada. O livro transforma sim, mas depende de como é lido e com que intenção é utilizado. Li hoje, no Blogdosquadrinhos um texto feito pelo Paulo Ramos, o editor do blog. Nossa! Que maravilha. Ele descreve como uma revista em quadrinhos teve importância em sua vida.
Continuo a acreditar que os livros têm poder de mudança sim, mas não do jeito que eu achava, quando comecei a devorar livros. Eles precisam ser digeridos ponto por ponto. Não pode ser diferente. São como comidas. Isto mesmo. Você já viu comida ser deglutida com os olhos? Até pode, com muita imaginação. Rs! Mas livros precisam ser em primeiro lugar, compreendidos(digeridos). E quando eu devorava livros, estava procurando uma resposta para as minhas dúvidas de adolescente e depois de adulta. Nem reparava se estavam ou não respondendo alguma dúvida. Podiam estar sim, respondendo, mas a angústia com eram lidos, não deixava espaço para uma reflexão mais cuidadosa. Infelizmente. Li. Li demais. Quando a conta chegou em 200, parei de contar e compreendi que o importante não era a quantidade e sim a qualidade do que era lido...
Neste livro (Non-Stop) Martha fez uma crônica chamada "Tempo pra gastar devagar", que tudo a ver com a época que estamos vivendo agora. "O mundo progride rápido com uma única finalidade: nos dar mais tempo. Mais tempo de vida, mais tempo para o lazer, para o esporte, para o sexo, para o nada. Tempo para parar. Este talvez seja o detalhe que nos escapa. Há um outro tipo de lucro em fechar negócios pela internet, em fazer contatos internacionais pelo celular, em realizar finalmente este sonho de teletransporte. É o lucro de ganhar tempo para gastá-lo devagar, respeitando o ritmo do que a gente sente, que nunca é tão urgente."

8 comentários:

  1. Devorar, mas é claro, saboreando cada linha.


    bjs

    ResponderExcluir
  2. Miton:
    Obrigada pelo comentário. Que comentário lindo. Adorei.

    ResponderExcluir
  3. oi any..passando aqui pra te dizer que recebi um selo la no blog....e escolhi o seu pra receber tbm,tenho de escolher tres blogs agora..e um é o seu..passa la no meu..pega o selo e escolha tres blogs pra vc presenter com o selo tbm..blz?nao sei cume que rola o que diferencia isso nao,mas..blz?

    ResponderExcluir
  4. Faço uma sugestão. Releia hoje um livro que a emocionou algum tempo atrás. Na releitura, você descobrirá respostas ou emoções diferentes da primeira vez. É uma visita ao seu modo de ver o passado, uma recordação interessante. Dessa forma, você terá uma nova surpresa com a leitura. A nossa amizade começou com uma recomendação enfática. Leia Bachelard. Li e leio até hoje. Gracias.Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Flávio:
    Obrigada pelo presente e pelo comentário.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Djabal:
    Obrigada pelas sugestões e pelo comentário.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Vou lkhe contar que detesto ler livro emprestado e odeio emprestar os meus. Livro apra mim é como disco ou cd. Deve ser lido muitas e muitas vezes. Cada leitura traz emoção nova, lição diferente e por aí afora. Lamento que esteja com dificuldades para ler em razão da minha miopia. Faz tempo que perdi a paciência e o interesse por causa das letras miudas, papel brilhante e coisinhas assim. Bjkª. Elza

    ResponderExcluir
  8. Elza:
    Obrigada pelo comentário. Valeu amiga.
    Bjos

    ResponderExcluir

Seu comentário é uma forma de conversa online.
Deixe sua opnião ou questione.
Não seja anônimo!
Obrigada.
Bem vindo!

YouTube

Loading...