sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Antes do sol nascer...


Antes do sol nascer, faço planos para o dia que já vem. E hoje acordei mais cedo ainda. Não sei por que cargas d’àgua, alguém resolveu colocar um som bem alto. Em plena quinta e o sono foi embora. Ainda tentei usar tampão de ouvido. Aqueles que a gente usa em show de rock, para não ficar surdo. Não deu certo. Acordei mesmo e o jeito foi sentar e escrever. Podia até ler, mas a May, o reloginho vivo já estava na porta. Rsrs!
Comecei a lista: supermercado, caminhada, escrever, ligar para meus filhos, passar e lavar roupas, comprar a bolsa para transportar gatinho, comprar ração, etc... Algumas coisas são feitas e outras esquecidas propositalmente ou não. E assim segue o dia.
Que nasce no silêncio da quase madrugada. Abro a janela e fotografo este tesouro e continuo a escrever. Quando olho para a janela já fechada, vejo a sombra da gatinha Através do vidro espiava com os olhos misteriosos dos gatos, uma imagem que nunca vou descobrir qual é. Mas posso usar o devaneio para pensar que sei. Uma gata vendo um nascer do sol? Uma imagem romântica demais para ser esquecida, para não ser lembrada. Não. Não tirei uma foto. Que pena!
Pausa!

Na fila do banco esperando a minha vez. Observo uma mulher mergulhada numa bolsa imensa. Procura. Acha e dá aquele sorriso de cumplicidade para mim. Sabe que compreendi o tamanho da bolsa e sua procura. Temos uma relação secreta com as bolsas. Elas (as bolsas são) são nossos esconderijos secretos. Está tudo lá. E só ela sabe como e o que achar.
Meus filhos dizem que a minha bolsa parece com o truque da cartola mágica. Aquela onde aparece o coelho. “Sei!” Digo um pouco secamente, mas me preparando para dar uma risada no final.
“É sim, minha mãe!” E começa a sua lista um tanto exagerada, das possíveis coisas a serem encontradas numa bolsa. Principalmente de mãe:
*Toalhas e lenços de papel, lápis, borracha, caneta, escova de cabelos, escova de dentes, fio dental, batom, tesourinha, alicate de unha, lixa, caderneta de notas, celular, carteira com tudo dentro. Ah, tenho certeza que estou me esquecendo de alguma coisa. Faz tempo que meus filhos cresceram. Ah, sim o exagero: um secador!
Dou risada ao me lembrar disto...
Um link da Kelly Pedroso para vocês visitarem. : www.zerohora.com/blogdozhmoinhos

12 comentários:

  1. Olá queridos comentaristas!
    Tenham um bom dia ou uma boa noite!
    É com prazer que leio seus comentários. Concordando ou diacordando, é assim que conversamos.
    Adoro quando podem me dar uma outra visão sobre o que estou vendo. Você reparte comigo o que você vê. Isto não é muma maravilha?
    Não escrevo para o computador, mas para você que está lendo agora.
    Volto a falar nisto em outro texto.
    Espero que tenham gostado deste "Antes do sol nascer..."
    Beijos.
    Anny

    ResponderExcluir
  2. Oi Anny, está sumida ein?
    Eu também tenho uma bolsa mágica, tem bandaid, capa para vazo sanitário, toalha umedecida, chiclete, protetor labiral, bloco, calculadora, canivete suiço, prendedor de cabelo, oculos escuros, água, porta moeda, e milhões de outras coisas, aliás se eu usar uma bolsa pequena fica ridiculo, já que sou uma mulher grande.
    Adorei o post.
    Depois vai lá no Tô Doida que tem um selo para você.
    bjks

    ResponderExcluir
  3. Cristiane:
    Obrigada pelo comentário e pelo elogio. Mas as mulheres e suas bolsas. Não são hitóricas? Acompanham o crescimento de nossos filhos e depois gatos. Demais! Adoro bolsas. Não vivo sem elas. Obrigada pelo selo.
    Beijos,
    Anny

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pela visita! Mami também carrega bolsas imensas... Qualquer dia entro em uma delas. Imagina ela chegando no trabalho e me descobrindo? Ah, e gosto muito de ver o dia e o anoitecer pela janela, pena que daqui não dá para ver o horizonte.. Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Oi Anny vi o preço da bolsa no pet onde levo minhas meninas, R$ 80,00 não tive tempo de ver nos outros 2 essa semana, foi super corrida, vi tb da castração de May, acho que consigo pra fevereiro, depois te falo o preço ok? beijos e bom domingo!

    ResponderExcluir
  6. Felina:
    Obrigada pelas informações. Demorou!
    Já comrei. De quaquer forma, valeu.
    Beijos,
    Anny

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. demorou pq minha semana é cheia e as vezes não sobra tempo para fazer algusn favores que me disponho, desculpe de qualquer forma.

    ResponderExcluir
  9. Felina:
    O demorô, foi só uma brincdeira. Desculpe, está bem?
    Beijos.
    Anny

    ResponderExcluir
  10. Tambem eu foi uma tartaruginha ;) sempre levava conmigo um mega-esconderijo pra guardar tudos meus secretos. Um livro(tal vez 3), uma trena, fita, moleskine, 5 canetas diferentes, lapiz preto de olhos, pinceis, cordas pra o violäo, cargador do celular, o programa cultural da cidade...e outras muitas coissas desnecesarias que eu alhava que podíam-me servir de cohelho mágico numa situaçäo de vida o morte.
    Acostumei com a vergonha de demorar tanto na procura do celular, mais sempre era difil mudar de bolsa, näo é?
    Só cuando näo tinha mais espaço...bolsa nova (alias, reciclada), e vida nova.

    Aí...cheguei Salvador. No comenzo me sentía insegura sem o meu coelho. Näo tinha donde me esconder. Tudo o que levava, tava nas minhas maös.

    Agora as minhas costas agradecem :)

    ResponderExcluir
  11. Aixa:
    Amei seu comentário. Pois é, temos uma ligação secreta com as bolsas que mudam de acordo com nossas experiências de vida. A sua mudou quando veio a Salvador. E assim esta relaçao com elas(as bolsas) seguem um cronograma ditado pelas nossas necessidades internas e externas...
    Beijos,
    Anny.

    ResponderExcluir

Seu comentário é uma forma de conversa online.
Deixe sua opnião ou questione.
Não seja anônimo!
Obrigada.
Bem vindo!

YouTube

Loading...