terça-feira, 20 de janeiro de 2009

A dança do sol...



Resolvi calçar as meias que comprei hoje. Aquelas que abraçam os pés. Como disse Rosana do QL. Aqui faz muito calor, então liguei o ventilador. Rs! Lembrei de uma novela, ou quadro cômico em que a atriz vestia o casaco de pele e ficava no quarto com ar condicionado. Ai, ai! Bem, confesso que estou ficando agoniada. Vou tirar as meias. Calço amanhã, quando for fazer Pilates. Ou na quinta, quando for caminhar.
Ufa! Agora está melhor. Que idéia, a minha! Ah, fui só experimentar. Hehe! (Just do it.)

Por causa da dança do sol, ainda não posso tirar fotos do por do sol. Mas hoje o pedaço de céu estava tão lindo que resolvi publicar. Dividir com vocês outro olhar, outra janela...

Ontem fiz uma lista enorme. Comecei e não conseguia parar. Foram 58 itens. E porque comecei a me autocensurar. “E aí, não acha que chega?” E fiquei pensando que escrever é como começar a comer pimenta e desenhar. Quanto mais você faz tem vontade de continuar. E é um tal escrever e desmanchar mentalmente, parágrafos inteiros. Escreve por toda parte. Nas cadernetas, nas agendas antigas, nos pedaços de papel que encontra dentro da bolsa. E o que é pior: em qualquer lugar. Na fila do banco, do dentista. É só estar esperando. Gente, isto virou o que? Uma obsessão? Pode parar! Minha autocensura está desesperada. E agora como colocar um paradeiro nisto? Estou aflita. E abro os olhos. Nossa! Acordei...

“A arte de juntar palavras...
“Escutar equivale finalmente a construir-se.
“Na abertura do esforço de significação que vem do outro, trabalhando, esburacando, recortando o texto, incorporando-o em nós, destruindo contribuímos para erigir a paisagem que nos habita. O texto aqui serve de vetor, de suporte ou de pretexto à atualização do nosso espaço mental”. Pierre Levy

E a vida além dos muros da casa? Você sabe perdoar? Cada um tem sua receita pessoal. Uns gostam de dividir, outros de esconder e outros ainda, “preferem não comentar.” Ah, não resisti...Rs!

Bom dia para quem é de dia e boa noite para quem é da noite...

9 comentários:

  1. ANNY
    Obrigado por nos deixar compartilhar a sua janelinha.
    Bjs
    G.J.

    ResponderExcluir
  2. Ah, Gaspar que bom que você gosta dela.Fico feliz com suas palavras. Você também sabe fotografar com as palavras.
    Vou colocar seu link no meu blog.
    Obrigada pelo comentário.
    Bjs
    Anny

    ResponderExcluir
  3. Anny, doidins...meia no calor? Entendi, entendi.

    Tem uma vista muito bonita e paciência para as listas. Tem gente que organiza o pensamento com listas, é o seu caso? Por exemplo, se algumas coisas estão dentro da cabeça e estas estão incomodando, seja pela preocupação de esquecimento ou mesmo pela urgencia de fazer, colocando no papel, é como se varressemos o lixo da mente.

    A mesma coisa o escritor, quando desenvolve uma história, ele exorciza o pensamento para dá vida a um personagem. E Pierre Levy fala justamente do "Espaço mental" hehehe

    Perdoar? Hum, é preciso exercício! Crescemos na proporção de nosso orgulho. Vê as crianças como perdoam fácil? E muitas pessoas dizem "Finjo que esqueço mas não perdoo" e ranhetas passam a vida a relembrar os demônios "lembra quando você fez isso, isso, isso..."

    Quando me sinto magoada, falo se vejo que compensa. Se a pessoa é digna de saber da minha mágoa, do contrário me fecho e não conto pra ninguém. :) Beijus

    ResponderExcluir
  4. Luma:
    Ah, que maravilha de comentário. Muito bom. Não conheço a obra do o Pirre Levy. Se tiver alguma obra dele para indicar, eu agradeço.
    E quanto a perdoar, é preciso aprender e treinar e teinar. E o engraçado da situação é que o beneficiado não é quem é perdoado. É quem perdoou. Vai parar de carregar os fantasmas que o atormentam. Sua vida vai ficar mais fácil. Vai poder ir para a frente, tomar novos rumos. Quem não perdoa está sempre voltando ao mesmo lugar. Incrível isto, não?
    Obrigada pelo comentário. Se o seu foi grande, o meu não fica atrás.
    Beijos.
    Anny

    ResponderExcluir
  5. Anny,
    nao fumo, nao bebo, mas como pimenta. Nao sei acho q sempre perdoo demais, mas sem passar a mao na cabeca de ninguém. Como disse Luma, se valher à pena é bom falar, do contrário é melhor esquecer, passar uma esponja e seguir em frente.
    Eu tenho pés frios, posso usar meias na praia ;-)
    bjs baianos vindos de longe

    ResponderExcluir
  6. Márcia H:
    "nao fumo, nao bebo, mas como pimenta."
    Adorei. Sabe, não se já experimentou a geléia de pimenta. Mas depois que descobri como fazer, não passo sem. E a última que provei foi geléia de pimenta misturada com Tahine e azeite de oliva. Nossa! Vc não tem idéia de como é delicioso. Mmmmm!
    Obrigada pelos beijos baianos vindos de longe.
    Ah, adorei as meias! Valeu a dica.
    Beijos mineiros de Salvador.

    ResponderExcluir
  7. Dicen que todo lo que vale la pena es dificil.
    "Horrelakoa da bizitza,
    EGINTZAZU behar duzuna"
    (A vida é assim,
    faça o que tiver que fazer)
    Aquela musica foi a primera
    da banda mais importante na minha vida.
    EGINTZAZU! Just do it!
    ;)

    ResponderExcluir
  8. Aixa:
    Obrigada pelo comentário.
    Então você acha que o que vale a pena é mais difícil de fazer?
    Depende. Talvez a dificuldade acontece por não estarmos preparados para o que está acontecendo. Então temos que aprender mais ou descobrir como lidar com a situação.
    Pode ser isto também. Ou não?

    Beijos,
    Anny

    ResponderExcluir

Seu comentário é uma forma de conversa online.
Deixe sua opnião ou questione.
Não seja anônimo!
Obrigada.
Bem vindo!

YouTube

Loading...