sábado, 31 de janeiro de 2009

Mais uma comidinha fácil...


Hoje, fiquei de manhã pensando no que fazer para comer. Gosto de variar a minha comida. E morar na Bahia aumentou meu aprendizado de comidas fáceis de fazer e uma deliícia para comer. Infelizmente, não achei a foto de um cuscuzeiro para postar. Vou fotografar o meu. Acho melhor comprar um novo para este objetivo. Hehe! Nome: Cuscuz de milho.
Receita:
- 01 xícara de farinha de milho flocada (flocão)
- 01/2 xícara de leite de coco
- 01/2 xícara de água
- 01 colher de chá de sal
- 03 colheres de coco ralado(seco)

Misture tudo e deixe de molho 15-20 minutos.
Coloque 300ml de água na cuscuzeira e quando ferver, colocar a mistura acima. Deixar cozinhar até sentir o cheiro bom exalar desta delícia.
Tirar do cuscuzeiro e acrescentar o que você mais gosta. Azeite, por exemplo.

Atenção: Para receitas muito fáceis e criativas vsitem Butterfly.


Foto daqui
http://divirta-se.correioweb.com.br/materias.htm?materia=376&secao=Guia&data=20071123

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Conversa..


Encontrar comigo mesma. Um bom exercício para começar o dia ou finalizar uma tarde. Sempre penso nisto quando chego em casa. Vindo da rua ou de uma caminhada. Um jeito de ordenar meus pensamentos, minhas ações. O que fiz hoje? O que tenho que fazer amanhã? Então descobri que comemorar minhas pequenas vitórias particulares, é um bom exercício para massagear meu ego. Ficar feliz por estar bem dentro da minha própria pele. Ah, como já desejei ser outra que não eu! Demorou, mas passou. Não tenho saudade deste tempo. Um tempo de procura sem fim. Não venha me dizer que isto é bom, não achei nenhum pouquinho. Bom estar aqui agora. Vendo as palavras formando idéias, escrevendo um pouco de mim inventada e outro pouco mais ainda. Não sou de verdade? Não! Sou palavras. Que você lê e imagina quem está por trás delas ou nas entrelinhas. Que por sua conta e risco inventa com o que escrevo aqui. É assim. O que leio nem sempre é o que está escrito. Pode uma coisa desta? Se pode ou não é uma outra conversa. Sempre invento histórias para preencher o vazio que não vejo, que não sinto. Só para ser coerente com minha própria história. Mesmo que não exista, que seja fantasia. Uma brincadeira bem animada. De esconder personagens. De ter uma gata e conversar com ela. Comentando como está dia, quente, frio, ventando muito. Estas conversas de gente, que servem para gatos, cachorros. Bichinhos de estimação. Ou Bichinhos de Jardim. Hehe! A Clara que o diga! São conversas intermináveis. Um quadrinho após o outro. Criatividade! Ter um jardim assim, só seu? Todos eles com suas vidinhas particulares, suas historinhas e até suas manias e ... suas neuroses? Vou ler. Fui...

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

E sobre o perdão...


E sobre o perdão?
Escolher o perdão é sempre uma boa opção. Melhor para quem perdoa do que quem é perdoado. Mas, para chegar a esta conclusão tive que passar por várias situações desagradáveis. E todos nós temos. Não há como evitar. São amizades que chegam ao fim, casamentos, relacionamentos que precisam ter um fim. Estas coisas todas que se não são bem resolvidas, se não tiverem a palavra perdão no meio, vão ficar voltando e voltando sem parar. Chegou uma hora que cansei e pensei em como resolver isto e ele veio num insight: perdão. Como perdão? Ah, mas como assim? Pois é a única forma de deixar uma situação seguir seu destino. Tomar seu rumo. Uma atitude de consciência. E hoje aconteceu um episódio destes. Bem no meio da minha caminhada. Uma das pessoas que estavam comigo, resolveu falar sobre um assunto que detesto. Principalmente, pela manhã: contar o que viu na TV de mais horrível, de mais escabroso. Fiquei muito zangada e fui intolerante mesmo. Poxa! Logo de manhã! Fui embora logo. Mas fiquei pensando na situação “Que chato, fui grosseira.” Mil culpas me assaltando. No meio da manhã recebo o texto da Liliana: “O Ser Gentil”. Um texto muito bom, que conta como ela lidou com uma situação bem difícil. Lembrei logo dele “Gente, o bendito perdão!” e comecei a repetir “Eu me perdôo e te perdôo por esta grosseria.” E repeti e repeti. Feito um mantra, até que pude ver a pessoa sorrir para mim. Em minha fantasia, lógico. Isto funcionou para mim. Ótimo, mas como isto aqui não é uma auto ajuda, cada um vai ter que descobrir o seu. Foi penoso, difícil, mas aconteceu. Adorei! Deixei fantasmas “Vestidos para Matar”, onde eles devem e precisam ficar: fora da minha vida.


No seu texto “Perdoar é fácil.” Sam expõe as vantagens do perdão, que concordo plenamente, mas não com o título. Para perdoar é preciso um aprendizado, uma atitude interna. E não é porque enumero as vantagens, que vou modificar. Não vou. É difícil porque principalmente a grosseria como foi o meu caso, é uma resposta rápida. Um pá pum! Está feito. O mal estar vem depois. Mas o bom de tudo isto é que quando resolvemos encarar, vamos descobrindo respostas adequadas. E cada um é capaz de pensar melhor, agir melhor para o seu próprio bem. Afinal de contas, o perdão ajuda mais quem perdoa, do que quem é perdoado. Com certeza! Amém!

Esta é a minha opinião, visão, ponto de vista sobre o assunto. Espero refletir bastante sobre este assunto. Ele pode me pegar de surpresa em qualquer hora do dia ou da noite. Vou ter que ser mais rápida do que a minha resposta rápida. Aquela que me faz magoar a quem não preciso e nem devo: amigos, filhos, amores.
Ah, mas o mundo está cheio dos “sem noção”! Sim está, mas não preciso ser um deles, certo?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Para seduzir...


Para seduzir...

Para seduzir uso palavras, músicas, gestos, perfumes, poemas e principalmente palavras. Já reparou o quanto somos seduzidos por elas? Mas, uma boa foto pode dispensar palavras. Podem mesmo. Fico muda quando visito o “Arte Fotográfica”. O blog do Gaspar de Jesus. Perdida nas suas belas imagens, fico sem ter o que falar, com medo de respirar e a imagem desaparecer. Como se estivesse em um sonho.
Mas fico observando as propagandas, também um jeito de seduzir. Vi hoje uma que ator dizia “Pode deixar que tomo conta dela” em duas versões. Nem sei o que estavam vendendo. Pepsi? Talvez. Não foi importante. E sim a situação e as palavras. Dei muita risada. Gosto de propagandas bem humoradas. Que usam as palavras para seduzirem. Neste caso, palavras e imagens. E amo quando uma dispensa a outra. Quando a foto dispensa palavras e quando a palavras dispensam a foto num texto bem feito. Bem articulado desenhando imagens nítidas, quase com contornos em nossos cérebros. A atenção está fixa no texto. As palavras me envolvem, fazem sonhar, divagar, transportam pelas linhas de um conto, um poema, uma crônica. Fui seduzida pelas palavras do autor...

E tem certas pessoas que têm a capacidade de seduzir. Impressionante! Descobri hoje, graças a Rosana do QL. o blog do Nelson Motta. Ele seduz pelas conversas, indicações de músicas, músicas que faz, entrevistas, programas. Cada um tem sua maneira de seduzir. Mas as palavras, elas têm seu poder inabalável. São por elas que nos comunicamos, e que você está lendo aqui. Como consegui isto? Escrevendo sobre um assunto que todos nós sempre queremos saber mais um pouquinho: seduzir...

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Casa...




Quem tem um amanhecer deste, só pode ficar de bom humor e levantar logo cedo para caminhar. E foi o que fiz. Mas hoje lembrei do meu primeiro desenho de uma casa.
Casa...
Esta palavra me leva ao primeiro desenho que fiz de uma casa. Uma casa com chaminé. Provavelmente de um fogão, que mais tarde se transformou em lareira por onde desceu o Papai Noel e o lobão dos três porquinhos. Os desenhos de nossa infância se transformam. Crescem como nós crescemos. Ficam enormes. Nem cabem mais em nossas recordações. Transformamos todos eles em historinhas que contamos aos nossos filhos que contarão aos deles. Assim fiz a minha primeira casa. A última também foi um desenho. Completo. Era uma planta. Linda. Numa rua, numa cidade de verdade, de um sonho de mentira...
Palavras e lembranças tristes. Estão aí, já não fazem parte do hoje que é uma tarde linda. Perfeita para abrir a janela e apreciar toda esta beleza que vem de lá. Na minha frente. É só começar a construir um caminho para as coisas possíveis e palpáveis que ainda existem em mim.
Ah, por que inventar tristeza onde não existe? Estou me preparando para mais tarde, fazer um scone perfumado com canela...

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Repense...


Comprei esta camisa na Hering e gostei a forma que eles usaram para, demonstrar a grande preocupação que precisamos ter hoje em dia com o nosso planeta.
Acredito que cada um tem uma receita, um jeito de fazer, uma experiência que deseja compartilhar. Se isto acontecer, esta é a hora. Deixe nos comentários quais são. Depois farei um texto com as dicas para publicar, com os devidos créditos. Agradeço desde já e o Planeta também.

Vou listar aqui o que faço no meu dia a dia:
1- Separo o lixo em: orgânico(comidas), plástico, papéis, vidros, latas, isopor
2- Uso álcool no lugar de amaciante: para a máquina cheia 01 xícara
3- Para a limpeza do fogão, pia, espelho: a seguinte mistura = 250ml de água + 250ml de vinagre de álcool + 04 colherinhas de café de bicarbonato de sódio
4- As caixas de leite, isopor, plásticos, vidros são todos limpos antes de colocar no lixo.
5- Uso sacola retornável para ir ao supermercado
6- Outros detalhes que vou aprendendo todos os dias: não jogar comida fora, reaproveitando.
7- Reutilizo as garrafas, vidros, copos plásticos de embalagem de requeijão, sorvete, manteiga, etc.
8- Apago todas as luzes dos espaços onde não estão sendo utilizados.
9- Como aqui é muito quente, desliguei o chuveiro.
10- Escolhi um dia na semana para passar roupa.
11- Estou esperando alguém me dizer qual sabão líquido usar, pois não conheço um adequado.

Isto é o que faço. Você tem algo a acrescentar? Obrigada...

Mais sobre Meio Ambiente

domingo, 25 de janeiro de 2009

Blogs servem para...


E os blogs servem para que mesmo?
Li no blog da Luma, uma pergunta parecida com esta e no blog do Cidão também. Não fiquei me sentindo culpada mas confesso que fiquei preocupada. Afinal de contas:
-Qual é a finalidade do meu blog?
-Escrever sobre assuntos que compreendo e sei um pouco (porque estudei e ainda estudo) sobre eles.
Passar 04 anos numa Universidade é suficiente para saber tudo? Claro que não. É só uma base. O restante é aprendido no dia a dia, nas pesquisas, nos meus interesses sobre o assunto. O meu maior interesse atualmente é sobre alimentação. Sobre os quais aprendo mais todos os dias. Como também como descobrir o que fazer para ficar “bem dentro da sua própria pele”. Porque estar ajustado(a) a ela é um assunto que vamos descobrindo com o decorrer da vida. É uma viagem às vezes dolorida ou de descoberta: Oh! Mas é assim?
Este também pode ser um assunto difícil. Implica mudanças e elas não são fáceis de fazer. Tanto mudança de alimentação, como no jeito de fazê-la. Existe sempre uma resistência ao novo. E como não faço parte de nenhuma pesquisa, gosto de divulgá-las aqui. Isto tudo misturado com poesia, livros que leio e indico, filmes, receitas, fotografias, gatos, Pilates, caminhadas. Estas coisas do dia a dia. E pode ter ainda alguma que não mencionei. É isto. Meu blog serve para isto. Se ele melhora o mundo ou alguém, não sei. Menciono aqui sempre que posso e posso sempre: quais as
minhas ações com relação ao meio ambiente. Faço aquilo que escrevo. Não costumo ser incoerente em minhas ações. Gosto de resumida e dizer tudo em poucas palavras. Fui clara? Ah, esta é só a minha resposta E a sua?...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Antes do sol nascer...


Antes do sol nascer, faço planos para o dia que já vem. E hoje acordei mais cedo ainda. Não sei por que cargas d’àgua, alguém resolveu colocar um som bem alto. Em plena quinta e o sono foi embora. Ainda tentei usar tampão de ouvido. Aqueles que a gente usa em show de rock, para não ficar surdo. Não deu certo. Acordei mesmo e o jeito foi sentar e escrever. Podia até ler, mas a May, o reloginho vivo já estava na porta. Rsrs!
Comecei a lista: supermercado, caminhada, escrever, ligar para meus filhos, passar e lavar roupas, comprar a bolsa para transportar gatinho, comprar ração, etc... Algumas coisas são feitas e outras esquecidas propositalmente ou não. E assim segue o dia.
Que nasce no silêncio da quase madrugada. Abro a janela e fotografo este tesouro e continuo a escrever. Quando olho para a janela já fechada, vejo a sombra da gatinha Através do vidro espiava com os olhos misteriosos dos gatos, uma imagem que nunca vou descobrir qual é. Mas posso usar o devaneio para pensar que sei. Uma gata vendo um nascer do sol? Uma imagem romântica demais para ser esquecida, para não ser lembrada. Não. Não tirei uma foto. Que pena!
Pausa!

Na fila do banco esperando a minha vez. Observo uma mulher mergulhada numa bolsa imensa. Procura. Acha e dá aquele sorriso de cumplicidade para mim. Sabe que compreendi o tamanho da bolsa e sua procura. Temos uma relação secreta com as bolsas. Elas (as bolsas são) são nossos esconderijos secretos. Está tudo lá. E só ela sabe como e o que achar.
Meus filhos dizem que a minha bolsa parece com o truque da cartola mágica. Aquela onde aparece o coelho. “Sei!” Digo um pouco secamente, mas me preparando para dar uma risada no final.
“É sim, minha mãe!” E começa a sua lista um tanto exagerada, das possíveis coisas a serem encontradas numa bolsa. Principalmente de mãe:
*Toalhas e lenços de papel, lápis, borracha, caneta, escova de cabelos, escova de dentes, fio dental, batom, tesourinha, alicate de unha, lixa, caderneta de notas, celular, carteira com tudo dentro. Ah, tenho certeza que estou me esquecendo de alguma coisa. Faz tempo que meus filhos cresceram. Ah, sim o exagero: um secador!
Dou risada ao me lembrar disto...
Um link da Kelly Pedroso para vocês visitarem. : www.zerohora.com/blogdozhmoinhos

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Como é fácil...


“Como é fácil esquecer que sob as palavras e textos com os quais convivemos diariamente, há pessoas.”
Esta é uma verdade. E esquecemos de maneira mais corriqueira. Fazendo comentários ou deixando de fazê-los, ignorando... São coisas da convivência humana. Com delicadeza e palavras de incentivo ou não. As atitudes são repetidas no ambiente virtual. Atenção, isto não é uma queixa, apenas uma constatação.

No domingo passado, conversei com minha amiga Felina pelo MSN. Ela comentou que estava fazendo a receita do feijão carioca. Uma adaptação, porque o feijão que ela gosta é o preto. Bom, não importa isto e sim que era outra maneira de fazer o feijão. Que no caso acrescentando o tomate. Ela dizia “Anny, já estou no 2° prato. Hehe! Fiquei feliz. Pode parecer sem importância, mas gostei por ela ter me informado. Custa? Não. Apenas uma delicadeza. Adorei. Ela é mesmo muito especial. Obrigada Felina! Esta é a parte boa. Muito boa. São as diversidades. Com elas aprendemos muito sobre nós mesmos e sobre o outro. Como o ser humano costuma avaliar tudo que está ao seu redor, faz isto com tudo. Com gatos, cachorros e pessoas. Bom ou ruim? Na minha opinião, nem sempre acertada. Ás vezes, compreendi mal a atitude da pessoa e acabo fazendo indelicadezas. Então, todo cuidado é pouco com minhas atitudes: palavras ou omissão delas. Viver fica muito melhor se distribuo palavras de incentivo. Seja no mundo virtual ou não. Um elogio faz muito bem a quem recebe e a quem faz. Uma troca. Um tipo de diálogo diferente. Aconchegante, como um perfume preferido, um cheiro de bolo, pão recém assado. Um café quentinho ou um chá. Estas coisas que sentimos quando percebemos um fio de amizade por aí...

“A poesia é uma explicação do mundo.”

O Fotógrafo

Difícil fotografar o silêncio.
Entretanto tentei. Eu conto:
Madrugada a minha aldeia estava morta.
Não se ouvia um barulho, ninguém passava entre
as casas.
Eu estava saindo de uma festa.
Eram quase quatro da manhã.
Ia o silêncio pela rua carregando um bêbado.
Preparei minha máquina.
O silêncio era um carregador?
Estava carregando o bêbado.
Fotografei esse carregador.
Tive outras visões naquela madrugada.
Preparei minha máquina de novo.
Tinha um perfume de jasmim no beiral de um sobrado.
Fotografei o perfume.
Vi uma lesma pregada na existência mais do que na
pedra.
Fotografei a existência dela.
Vi ainda um azul-perdão no olho de um mendigo.
Fotografei o perdão.
Olhei uma paisagem velha a desabar sobre uma casa.
Fotografei o sobre.
Foi difícil fotografar o sobre.
Por fim eu enxerguei a Nuvem de calça.
Representou para mim que ela andava na aldeia de
Braços com Maiakovski – seu criador.
Fotografei a Nuvem de calça e o poeta.
Ninguém outro poeta no mundo faria uma roupa
Mais justa para cobrir sua noiva.
A foto saiu legal.

Manoel de Barros
Ensaios Fotográficos.

A poesia pode mesmo ser uma explicação do mundo. Por que não?

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

A dança do sol...



Resolvi calçar as meias que comprei hoje. Aquelas que abraçam os pés. Como disse Rosana do QL. Aqui faz muito calor, então liguei o ventilador. Rs! Lembrei de uma novela, ou quadro cômico em que a atriz vestia o casaco de pele e ficava no quarto com ar condicionado. Ai, ai! Bem, confesso que estou ficando agoniada. Vou tirar as meias. Calço amanhã, quando for fazer Pilates. Ou na quinta, quando for caminhar.
Ufa! Agora está melhor. Que idéia, a minha! Ah, fui só experimentar. Hehe! (Just do it.)

Por causa da dança do sol, ainda não posso tirar fotos do por do sol. Mas hoje o pedaço de céu estava tão lindo que resolvi publicar. Dividir com vocês outro olhar, outra janela...

Ontem fiz uma lista enorme. Comecei e não conseguia parar. Foram 58 itens. E porque comecei a me autocensurar. “E aí, não acha que chega?” E fiquei pensando que escrever é como começar a comer pimenta e desenhar. Quanto mais você faz tem vontade de continuar. E é um tal escrever e desmanchar mentalmente, parágrafos inteiros. Escreve por toda parte. Nas cadernetas, nas agendas antigas, nos pedaços de papel que encontra dentro da bolsa. E o que é pior: em qualquer lugar. Na fila do banco, do dentista. É só estar esperando. Gente, isto virou o que? Uma obsessão? Pode parar! Minha autocensura está desesperada. E agora como colocar um paradeiro nisto? Estou aflita. E abro os olhos. Nossa! Acordei...

“A arte de juntar palavras...
“Escutar equivale finalmente a construir-se.
“Na abertura do esforço de significação que vem do outro, trabalhando, esburacando, recortando o texto, incorporando-o em nós, destruindo contribuímos para erigir a paisagem que nos habita. O texto aqui serve de vetor, de suporte ou de pretexto à atualização do nosso espaço mental”. Pierre Levy

E a vida além dos muros da casa? Você sabe perdoar? Cada um tem sua receita pessoal. Uns gostam de dividir, outros de esconder e outros ainda, “preferem não comentar.” Ah, não resisti...Rs!

Bom dia para quem é de dia e boa noite para quem é da noite...

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Pimenta para ficar de bom humor...



Dizem que o tempero baiano tem muita pimenta e o mineiro muito alho. Claro que isto é apenas uma generalização. O que manda mesmo são os detalhes. Quem faz a comida, por exemplo. Sou mineira e gosto muito da comida baiana. Gosto tanto que aprendi a fazer geléia de pimenta-dedo-de-moça. Esta pimenta linda e deliciosa para colocar no molho ou na comida. Ou comer em forma de geléia, no pão ou no queijo.

Amo pimenta. Acabei de fazer uma receita de geléia de pimenta neste instante. Ummm! Delícia... Tem gente que odeia pimenta. Fazer o que? Respeitar as diferenças, porque é através delas que trocamos informações. Sei também que a pimenta estimula o bom humor e na terra em que quase todo mundo gosta de pimenta, tem gente que detesta. Dr Marcio Bontempo, que afirma “As pimentas têm o efeito anestésico, antinflamatório e antibricrobiano, também diminuem a formação de coágulos no sangue e são vasodilatadores. “ Fonte: Bolsa de Mulher. Mais sobre sobre os benefícios da pimenta, só indo lá verificar.

O texto de hoje não tem profundidade. É como uma tábua(link) de trampolim. Você precisa de mergulhar para encontrar o que procura. Não tem nada para ler nas entrelinhas. Nem segundas intenções. É apenas um texto com o objetivo de informar e se você tem curiosidade de saber como modificar seu humor, usando os alimentos certos, precisa e deve navegar onde estão estas informações. Ler, meditar, escolher qual é a melhor opção para você. Tem ainda um outro site: Dra Jocelem Salgado com um artigo “Mitos e verdades sobre alimentação”. E em "Alimentos Saudáveis", tem um texto sobre Pimentas:
"Um ingrediente comum na culinária brasileira, as pimentas temperam muitos alimentos e contêm poucas calorias. O ardor das pimentas vem dos capsaicinóides, substâncias que não têm odor ou sabor mas agem nas células nervosas da boca, causando a sensação de ardência. Os olhos lacrimejam, o nariz escorre e o suor brota. Estes são os efeitos sentidos quando se ingere os tipos mais picantes. Para as pessoas com resfriados ou alergias, comer pimentas pode aliviar temporariamente a congestão nasal. A capsaicina e outros capsaicinóides são concentrados principalmente nas nervuras brancas e nas sementes, que podem ser removidas para produzir um sabor mais suave.

As pimentas são mais nutritivas que os pimentões, e as de tipo vermelho geralmente possuem maior valor nutricional que as verdes. São boas fontes de antioxidantes, especialmente as vitaminas A e C. Apenas 28g de pimenta contêm 70mg de vitamina C, mais que 100% da RDA (Ingestão Dietética Recomendada), bem como cerca de 70% da RDA para vitamina A. As pimentas também contém bioflavonóides, pigmentos vegetais que de acordo com algumas pesquisas podem prevenir contra o câncer. Além disso, algumas pesquisas mais recentes indicam que a capsaicina pode atuar como anticoagulante, prevenindo a formação de coágulos que podem causar ataques cardíacos ou até derrames cerebrais. No entanto, ainda são necessários mais estudos para comprovar tal alegação.

É necessário muito cuidado ao manusear uma pimenta. Para cortar a pimenta vermelha ou remover as sementes e as nervuras brancas, o ideal é utilizar luvas finas e lavar todos os utensílios com água e sabão após o uso. Mesmo uma pequena quantidade de capsaicinóides causa irritação grave ao entrar em contato com os olhos.

Geralmente a pimenta-do-reino em pó é usada como tempero de carnes, aves e peixes, enquanto a pimenta-malagueta e a pimenta-de-cheiro são conservadas em azeite e vinagre.
Ao contrário da crença popular, não há evidência de que a pimenta possa causar úlceras ou produzir outros distúrbios digestivos. Ela pode, entretanto, causar irritação no reto de pessoas com hemorróidas." Autora: Dra Jocelem Salgado. Com os devidos créditos para ela. Uma pesquisadora sobre os efeitos dos alimentos em nosso corpo. E também com vários livros publicados sobre este assunto. Visitem o site.


Queridos leitores e comentaristas, aqui vai um recado: este é apenas um texto. Ele só vai fazer diferença para vocês se assim o desejarem. Como assim? Para saber mais, quer dizer, para saber mais sobre o assunto, precisam visitar o porão(link) e ler, aprender, tirar conclusões e fazer as devidas mudanças. O texto é só uma vaca de acrílico para chamar sua atenção sobre o assunto: Humor. “Somos aquilo que comemos”. Ou ainda resta dúvidas?...

domingo, 18 de janeiro de 2009

Como vai o seu humor?...


-Como está o seu dia hoje?
-Cinza, sem graça...
-Mesmo com o maior sol e todos por aí dando risadas?

Pois é, isto pode acontecer e acontece. Então vamos saber como os alimentos influenciam nosso humor. Quem sabe, conhecendo as causas podemos mudar o comportamento? Este que seus amigos reclamam, sua namorada(o) tem pavor, as pessoas que estão por perto ficam de cabelo em pé? Só de pensar que você está num “mau dia”? Ah, mas a pessoa fica transtornada mesmo. E não é só por causa de TPM. Pode ser ausência elementos nutricionais em sua alimentação: serotonina, dopamina e noradrenalina. Como base no que estou dizendo a Revista Saúde tem uma série de reportagens ótimas para você navegar e saber como modificar este fantasma que atropela os seus dias. Fala sério, até você mesmo não agüenta nem se ver no espelho!...

E sabe que passamos a maior parte do nosso tempo, procurando soluções para nossos problemas ou dificuldades diárias? Contatação óbvia? Bom, então vou para a afirmativa pessoal. Nem sempre percebo isto. E vou buscar longe. Bem longe de mim. Fico pensando que a minha resposta está no outro. Onde li as instruções de uso. Esqueço que para elas funcionem, é preciso que sejam transformadas “deglutidas” para serem internalizadas e usadas.Então vou pensar mais sobre o assunto, No fundo, esqueço que tenho minhas próprias respostas, que podem não resolver o problema, mas é um começo que deve ser considerado...

sábado, 17 de janeiro de 2009

Fazendo planos...



Chegando da feira e uma gatinha querendo a sacola para se esconder. Ai,ai!

Todos os dias faço planos. Por escrito ou mentalmente. Sim já sei que é preciso anotar. Enfeito com listas enormes ou bem curtas. Só uma lembrança das tarefas a serem feitas. Por exemplo, escrever com palavras abreviadas. E depois esquecer completamente o que aquilo dizer. Hehe! É não serve. Então tá. Faço uma lista para hoje. E hoje planejei trocar meu Template. Não deu certo. No Dicas Blogger da Juliana Sardinha tem todas as instruções. Mas fiquei com medo de não seguir os passos direitinho e o blog ir para o buraco negro. Que loucura! Também acho. Então desisti. Coloquei só o Banner e fim de conversa por hoje. Tem coisas que não me arrisco a fazer, quando sei pouco do assunto. Tenho certeza que é melhor ficar na minha. Está muito quente hoje...

Minhas linhas do horizonte já foram montanhas imensas quando eu era criança. Montanhas que podiam ser visitadas, escaladas na adolescência. Agora é um mar. Um mar que meu olhar visita todas as manhãs antes de sair. E assim vou transformando em palavras, minhas impressões visuais sobre o dia, ruas, pessoas. Tudo se transforma nelas. Palavras que os olhos devoram e se tornam suas. Vão pelo mundo. Visitando cabeças. Transformando ou questionando. Quem sabe? Elas são apenas links para transportar idéias de como o mundo é aqui. Bem debaixo do seu olhar...

Alisando pelos de May, a minha gatinha lembrei que li no blog da Luma: um bar que aluga gatos. Isto mesmo. Vá lá dar uma conferida. Tem assuntos para serem lidos, apreciados e comentados . Mas continuando o assunto gatos, o meu filho disse um dia que estava fazendo gatoterapia. Rsrs! Deve ser isto! Vai saber...

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Como fazer...


Alimentos nossos de cada dia...
Modo de fazer...
Cada um tem um jeito de fazer feijão, arroz, salada, macarrão etc... e vamos cozinhando do jeito que aprendemos, pela vida a fora. Se me interesso pelo assunto, começo a me perguntar se existe um outro de fazer estes mesmos alimentos. Um jeito mais fácil, ou mais saudável. Alguma solução que responda ao meu questionamento. Sempre gostei de facilitar a minha estada na cozinha. Então fui buscando alternativas. Umas pela experiência: fazendo todos os dias. Outros pela vontade de conhecer novos sabores e perfumes.
Escrevendo isto aqui, recebi um comentário de *Daiazinha*, dizendo que gosta de cozinhar, mas que não sabe fazer muitos pratos. Então aqui vai um texto dedicado a ela. Delícia saber que as pessoas mais jovens estão fascinadas pela cozinha. Porque as mais velhas se queixam e esperneiam como a minha mãe fazia: “Comida devia ser em comprimido.” Estas foram uma das frases que eu ouvia no meu dia a dia. E que ouvi ontem ao caminhar e conversar com Ana Rita, que seguramente não tem a idade da minha mãe. E pergunto então a você que está lendo, onde aprendeu a cozinhar? Teve um começo tortuoso como o meu, ou foi facilitado? Tendo por perto pessoas que amam e tem prazer em cozinhar.
Mesmo com todo falta de incentivo, não desisti. Só não insisti muito, acho que deixei a vontade “mornando”. Sabe como é? Esperando a oportunidade aparecer. Sei lá! Um belo dia precisei de começar a cozinhar. Juntei tudo que sabia e o que não sabia e coloquei em prática. Ah, até pão aprendi a fazer. De todos os tipos, doces, salgados, integrais. E foi aí que descobri uma coisa muito boa. Só aprende fazendo. Não acredite naquelas frases idiotas: ´”È preciso ter dom.” Uma frase destas, quando você está aprendendo, é maldade. Ninguém aprende sem fazer e ao fazer é possível e previsível errar. “Só não erra quem não faz” é uma frase poderosa para afastar os urubus de plantão. Então *Daiazinha*, boa sorte e persistência. Se não der certo, faça outra vez. Teste suas receitas, antes de querer impressionar alguém. Coloque as amigas para provar. Garanto que vão dizer onde e o que está faltando. Se não tem amigas por perto, vale a vizinha ou alguém que possa dar uma opinião que vai te ajudar a ser a melhor cozinheira para você mesma ou quem sabe, para o mundo...

Então, vou começar com uma receita simples de feijão carioca, já publicado aqui, mas uma leitora se queixou que a receita estava complicada. Como não é este o objetivo, aqui, então vamos facilitar.
-Deixe de molho de um dia para outro:
-01 xícara de feijão carioca
-Escorrer a água e colocar 01 litro de água na panela (a minha é de ferro) e deixar ferver uns 20 minutos. Desligar e daí uma hora (pode até ser mais) e continuar a fervura. Coloque 1/2 litro de água para ferver e crescente ao feijão. Para ficar bem cozido. Depois, vá acrescentando os temperos:01 colher de chá de alho e sal, 01 tomate maduro sem pele e sem sementes. No final do cozimento, acrescente 1 colherinha de café de açafrão. Este é o segredo para que o feijão não provoque gases. Mas, atenção, coloque pouco, para não ficar muito amarelo. E bom apetite...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Coisas de gato e de gente...


Coisas de gatos e gente...
A minha gatinha, não veio me acordar hoje. Estranhei, mas quando fui andando até a sala ouvi o barulho da TV ligada. Bem baixinho. Aí, pensei: “Nossa! Então é isto!” E aqui vai a minha explicação. ( Seres humanos sempre precisam delas, né?) O controle da televisão estava em cima do sofá onde ela, (May) dorme. Sem querer pressionou o botão e a TV ligou. Tenho certeza que foi isto. Porque o programa, nem é bom dizer. Rs! Fico pensando no que ela faz, durante a noite toda. Dorme o dia todo espichada na minha cama. Ah, gatinha danada!

Fui caminhar hoje e me lembrei da Rosana, do QL. Ela fotografou as meias da Nike e contou maravilhas sobre elas. O meu tênis é Nike e estão esperando pelas meias. Fui ao shopingg ontem, mas ainda não tinha lido sobre as tais meias encantadas. Ah, claro que se der certo, vou comprar. Acho que vale o dinheiro. Sabe, nada como ter a base bem cuidada para um bem estar estar por perto! Nossa! Até parece um comercial, mas não é. Não estou ganhando nada para dizer isto. Adoro meu tênis e não troco por outro. Escolhas, sabe como é? Um dia a gente aprende!...

Bem, um assunto que já discuti com várias pessoas e algumas chegam a um acordo, outras não. Algumas gostam de cozinha e outras não querem nem ouvir falar. Fui uma delas. O motivo? A minha mãe, detestava cozinha. Não me lembro de nenhuma comida que ela tenha feito e que hoje tenha saudade. Ela teve as razões dela, não vou discutir isto. Mas, se tem uma razão por não me aventurar neste mundo dos sabores, pode ter sido por ouvir desde cedo: “Lugar de criança, não é na cozinha.” Aprendi direitinho e extrapolei o assunto, adulto também, não. Mas as situações mudam, eu mudei. Fiz o curso universitário chamado" Economia Doméstica e aprendi como dirigir em todos os sentidos, uma casa. E não foi aí que a situação com a cozinha mudou. Não foi. O assunto só foi resolvido e muito bem resolvido, quando percebi que para tomar conta de mim mesma, precisava, inclusive começar a aprender a cozinhar. Coisa que tinha abominado, durante toda a minha vida. Aprendi, que não precisava ser uma grande cozinheira e sim gostar do que estava fazendo. Apreciar a minha própria comida e muito bom se os filhos também. Sabe, um filho pedir para você fazer um bolo, carne, salada, macarrão, doce, etc. Não tem nada que pague a sensação que isto provoca. E tem mais, isto me dá a certeza de que aprendi a cuidar de mim. Então...

Ah, parabéns Sam e Luma!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

O que faz ficar diferente é...


O que faz ficar diferente é...
Olhar em outra janela, ver uma outra foto, fazer minha própria comida. Descobrir novos sabores e perfumes, ter um tempo só meu. E nada de ponto final, se você escolher. Algumas coisas precisam, mas outras podem ter possibilidades infinitas, se deixar as reticências para mudar o texto. Usar uma outra cor de roupa ou olhar para dentro e compreender que para ficar diferente, precisa haver mudanças em mim que olho o mundo e o interpreto segundo meus valores. Nada acontece, neste desenho estranho que vejo bem na minha frente, se não existe minha interferência nele. Então aí está o grande segredo do inusitado. Daquelas vacas coloridas, lembra? Ah, a princípio não gostei. Aliás, não compreendi a presença delas, em todos os lugares possíveis e imagináveis. Pois é, intervenções têm o objetivo de questionar, fazer perguntas. Descobrir o que não existe ainda. E elas são mesmo um caminho bom para navegar para ir onde não foi ainda e não sabe porque.
Então hoje abençoei o meu dia que começou com um lindo amanhecer mas que poderia ter um céu nublado. “Um céu bonito para chover”, como se diz no sertão onde as chuvas são escassas e a terra está seca...



Vendo o “Jornal Hoje” da TV Globo, o repórter estava afirmando que “faz uma grande diferença ter talento.” E o que é talento? Lá vem aquele velho preconceito de que as pessoas precisam de talento, para vencer na vida. Não acredito nisto. Talento é você estar auto motivado para alcançar seus objetivos. Esta é a lâmpada mágica que abre caminhos e me direciona para fazer meus desejos e sonhos acontecerem. E trabalho, muito trabalho e dedicação.
Principalmente, quando Leio o mundo assim, não é Andréa?

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Experimentando Linhaça e Gergelim...


Fonte: Revista Saúde

Linhaça e Gergelim
Hoje vou descrever as minhas experiências com a linhaça e com o gergelim. Já usei a linhaça de várias formas. Deixada de molho, torrada e moída. Fui variando as formas de consumi-la conforme fui aprendendo sobre ela.
Atualmente, deixo 01 colher de sopa de linhaça de molho de um dia para outro em 05 colheres de sopa de água. No dia seguinte, bato no liquidificador misturada com algum destes ingredientes: leite, suco ou iogurte. O que é muito bom para começar bem o dia e para quem tem problemas de colesterol alto. Fiz a prova. Abaixou mesmo o meu colesterol.
Quanto ao gergelim, aconteceu a mesma coisa. Conheci como gersal e comprava nas casas de produtos naturais. Mas achava muito salgado e de tanto ler sobre o assunto, acabei sabendo fazer. E hoje quase não uso. Aliás, uso de forma diferente, misturado com linhaça que também é torrada em fogo baixo.
Mas nenhum deles deve ser torrado e sim colocado em forno baixo por 15 minutos...
A mistura da farinha de gergelim com a farinha de linhaça fica uma delícia para colocar por cima da comida. Tem um perfume delicioso por causa do gergelim. Para que serve?
É uma fibra então facilita o trânsito intestinal.
Hoje, uso o gergelim de forma diferente, deixo de molho junto com a linhaça e consumo no dia seguinte com leite, suco ou iogurte.
Sabe, estamos sempre aprendendo a usar melhor os alimentos e assim vamos mudando nossa forma de consumi-lo. Para que nosso organismo possa assimilar melhor seus componentes...

domingo, 11 de janeiro de 2009

Primeiro Prêmio Dardos do Blog Linha...


No dia 09 o WindicasBr deixou um recado para mim, avisando que o Blog Linha tinha ganhado o Prêmio Dardos. Fui buscar e aqui estou indicando mais 10 blogs para receber o Prêmio Dardos também:

*Bichinhos de Jardim
*Leavesgrasss
*Todoyda
*Quase Tudo
*Milton Toshiba
*Neste Instante
*Querido Leitor
*Oscar
*Apoio Fraterno
*Blog do Beagle

Sucesso aos blogs indicados e ao WinDicas que indicou o Blog Linha...

sábado, 10 de janeiro de 2009

Um Meme e uma receita de Pão de Queijo...



A Cristiane Fetter me mandou um meme, muito significativo, pois amo tudo que se relaciona a arte. E para completar o assunto, tomar um cafezinho que tal um pão de queijo?

Pão de queijo: (Link)
Receita que modifiquei:
-01 ovo
-1/2 xícara de azeite de oliva
-01 xícara de leite frio
-50g de queijo parmezão ralalado
-01/2 colher (chá) de sal marinho
-02 colheres (chá) bem cheia de orégano
-03 xícaras de polvilho doce.
Misturar os ingredientes menos o leite que é adicionado por último. Aos poucos, até dar o ponto para enrolar. Untar a forma com manteiga e fazer bolinhas pequenas, com gergelim por cima para enfeitar e enriquecer a receita.
Colocar para assar em forno pré-aquecido. Com 20-30 minutos está pronto. Quando começar a cheirar ficar ... Dar uma olhada para ver se está bom. Não deixa dourar. Ele é branquinho mesmo.

Acompanhando a receita, vai um presentinho que a Cristiane me ofereceu: um selinho lindo. Para pintar a vida, o blog, as amizades ao vivo e a cores. Conforme a inspiração. Que pode ser também em preto e branco, quando o sol não aparece. Ou estou em dificuldades com a tarefa. Sabe como é? Aprendo todos os dias, mas tem coisas que amo e ainda não sei fazer. Um Favicon, por exemplo. O Google Discovery está com um novinho em folha. E altamente sugestivo. Adorei. O desenho foi feito com sugestões de um brasileiro. Isto mesmo. Fiquei sabendo no Ladybug Brasil, hoje pela manhã. E o que mais? Ah, sim, nome dos blogs indicados:
Blog Sequencial
Luz de Luma
Bugingangas

Um bom fim de semana para todos...

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Numa tarde de sexta - feira...


Considerações.
"O homem é um feixe de considerações."

Você já pediu ao seu filho, marido ou namorado para pegar alguma coisa na geladeira, gaveta, bolsa ou armário? Tenho dois filhos e já experimentei fazer isto e não deu certo, quer dizer, não conseguiram achar o que pedi. Está certo que minha bolsa não é organizada e tem sempre mais coisas do que necessário. Mas uma geladeira, não tem mistério e gaveta não tem compartimentos secretos. Pelo menos a minha não. Se alguém tem alguma sugestão ou explicação para isto, pode comentar. Vai me ajudar a navegar neste universo tão diferente e próximo...

Se eu procurar diferenças vou encontrá-las e igualdade também. Por que ir pelo caminho mais difícil? Será que as guerras pessoais, internas e outros tipos de guerras sempre se iniciam assim? Ressaltando as diferenças ao invés de celebrar os pontos em comum? São divagações, nesta tarde de sexta-feira,,,

“Libertar uma pessoa pode levar menos de um minuto. Oprimi-la é trabalho de uma vida. Mais que as mentiras, o SILÊNCIO é que é uma verdadeira arma letal das relações humanas.” Martha Medeiros em sua crônica “Falar” do livro Doidas e Santas. O grifo? É claro que não. São letras maiúsculas para chamar mais do que atenção...

Fazer poemas
é andar na corda bamba
de um circo abandonado
pior:
com os pés trocados
(Antônio Barreto – Sono provisório)

“O homem é a imagem do mundo?” Ronald Claver – Escrever Sem Doer.

Para ler, curtir e refletir...

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Antes do por-do-sol...


Antes do Ariuma...
Que significa em tupy-guarany, por do sol, comecei a escrever este texto. Então preciso encontrá-lo. Está atrás da janela, pelas frestas da cortina. E este é o nome de uma índia que conheci na feira de artesanato.
Meus filhos e de uma amiga minha, têm nomes indígenas. Os meus não gostaram muito e protestaram. Ao escolher o nome deles, pensei em nomes que tinham um significado bonito fácil de escrever e falar. Não adiantaram minhas explicações. Têm o meu apoio para mudar o nome, se este for o desejo deles. Nome é uma coisa simples e ao mesmo tempo complicada. E é bom que gostemos dele. E não é o que acontece sempre. Cada um tem uma história diferente para contar. Viva a diferença, pois é nela que temos o que trocar e contar. Tal qual nomes de blogs. Eles são uma espécie de filhos. Adotados? Do coração? Cuidamos, temos carinho por eles. Na verdade, é um espaço virtual onde publicamos as nossas mensagens.

luzdeluma disse...

Anny, ontem comentei e perdi o comentário. Hoje de novo!! Ai, ai!! Escrevi tanto que até nao lembro do que escrevi.
Não dá pra voltar ao mesmo lugar. O lugar está ali, mas o que estava dentro de nós, não está mais.
Quanto ao varal, comparando as roupas com blogues. As recolhemos, dobramos e empilhamos, para ao final olharmos e pensar, passo ou não passo? Beijus

7 de Janeiro de 2009 16:30

Como não amar um comentário deste? Para ajudar nas palavras, o link do Varal de Idéias a foto de um lindo varal com roupas azuis. Uma foto tirada pelo Gaspar de Jesus no Arte Fotográfica.

Ah, esta é uma conversa que não tem preço...

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Um pedaço do mar...


Era tudo que eu estava vendo ao almoçar, ontem neste restaurante. A comida deliciosa e a música do tamanho do meu gosto: jazz e blues. Mas o ar condicionado estragou e junto com ele o prazer da comida. Ah, que pena! Quem sabe em outra hora? Em outro dia? Há sempre uma chance de tudo dar certo. Ou não? Não vou saber se não me der a chance de experimentar.

Escrever é ato de solidão...
A caneta passeando pelo papel. Estamos sós. Nada nas linhas e nem nas entrelinhas. A escrita segue firme ou trôpega, conforme as pedras do caminho. Olho para frente e vejo o horizonte desenhado pela minha mente. A montanha insiste em estar presente e insisto em saber o que há por trás e além dela. Vou descobrindo as palavras e seus significados. Enfileirando uma a uma. Como no varal de roupas estendidas que balançam ao sabor do vento. Estico minhas mãos, ainda doem pelo esforço da escrita. Trinta linhas somente. Resumo todos meus pensamentos que teimam em escorrer pelos dedos, bem de mansinho. Caem no texto. Estão disfarçados de palavras e sentimentos que no fundo, não dizem nada . Só compõem o quadro. Aquele que pendurei na sala, bem em cima do sofá. Para compor o ambiente e fazer companhia ao visitante que espera em sua solidão sua hora de ser atendido. Reparo com atenção como seus olhos acompanham atentamente o desenho. Uma solidão acompanhada de outra. A do artista ao fazer o quadro e a minha ao escrever.

Estou encantada com os comentários. Quero fazer um texto com eles. Mas preciso antes, da licença dos comentaristas que amavelmente deixaram a sua marca aqui. Em "Qual o nome do seu Blog?".
Bem, e tudo acontece ao ter uma idéia na cabeça e uma imensa vontade de chegar a um lugar que não sei onde é, e se é morro abaixo ou acima. "Sem porto de chegada. É uma tentativa."
E a conversa continua, mesmo sem rumo ou "sem lenço e sem documento" e não é uma canção. Parece mais um fiapo de nuvem num fim de tarde. Um encanto por acontecer uma música no ar. Uma bolha de sabão que brinca no ar. Bem longe, não posso mais alcançar mas encanta com a sua transparência e seu frágil passeio pelo ar. E mais um pouco chego ao lugar. Aquele, do inicio. Com 30 linhas no final...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Como é o nome do seu Blog?...



Tem nomes que me sensibilizam e ainda outros que são uma viagem. Assim são os nomes dos blogs. Revelam um pouco de quem os edita. Ou não? Mas um dos lugares mais fascinantes para observá-los é o Blogroll do Inagaki. Já até mencionei este fato aqui. Mas ontem fui lá conferir. Coloquei também muitos do meu. Sem link, porque não visitei a maioria e os que visitei, não retornaram, então achei por bem apenas citar o nome. Que tal? Goma de Mascar, Anotação Mental, Beijomeliga, Todoyda, Guindaste, Saia Justa, Mixirica, Kafka na Praia, Inverso meu, Trem doido, Dança das Palavras, Mundo a fora, Bichinhos de Jardim, Bugingangas, Cardioscopio, Fim da Várzea, Brontossauros no meu jardim, Sonho da Linha, Minhas Vozes, Garota sem fio, Felina, A Vida como a Vida quer... e para finalizar Chá e Poesia. Estes são só alguns. A criatividade é enorme e acho fascinante descobrir estes cantinhos. Se alguém desejar ser visitado, deixe um comentário com o link ou o endereço. Terei prazer em visitar e comentar.

Bom, já afirmei aqui que “blogs são conversações” e para que isto aconteça é preciso que haja comentários. É através dos comentários que troco informações, indicações de livros, receitas, aprendo coisas que ainda não sei, faço amizades, dou risadas, me emociono, fico agradecida. Estas coisas maravilhosas que só um ser humano pode proporcionar a outro. Gente tem defeitos e qualidades, avessos e direitos. Às vezes sei lidar com eles outras não. São os riscos de viver. Errar e acertar...

domingo, 4 de janeiro de 2009

Quando estou...


Infeliz o meu dia interno fica assim. Sem imagem possivel. Tudo se torna do tamanho da minha escuridão.Quando estou infeliz, sempre deixo rastros. Pratico um monte de sandices que normalmente sou incapaz de ousar. As palavras e ações começam a serem disparadas da minha boca com uma velocidade incrível. Bato portas com bem força, esmurro a mesa. O alvo? Eu, quem estiver por perto e quem não está também. Então percebo que alguma coisa está errada. Melhor procurar ajuda porque na certa, pessoas vão ser atingidas. Como perceber isto? Meio difícil, mas a queixa de quem está perto de mim, vai ser a deixa. Melhor ficar atenta e prestar bastante atenção nas minhas ações. Uma frase do texto de Clarinha Gomes, chamou minha atenção para isto. “...As relações continuam precisando de atenção, dedicação, tempo e carinho.” E ainda mais, “Somos o próprio amor que procuramos no outro; somos a própria luz que buscamos fora de nós...” Então cheguei à conclusão que o meu sentimento de mal estar, desequilibra tudo que está perto de mim e como um tsunami, começa a arrastar e levar tudo que está por perto. Para que deixar chegar a este ponto? Não é preciso. Estar no mundo é uma responsabilidade. É também um desafio todos os dias e horas. Melhor jamais me esquecer disto, ou vou fazer da minha vida um inferno. Vou ficar falando mal de todos e tudo. O perdão desaparece de minhas intenções. Vou virar um ser solitário. Vou esquecer que posso seduzir com minhas palavras e ações. É isto que desejo? Logo neste início de ano, que tenho a chance de recomeçar. De me redesenhar de novo? Ah, sei que isto não é fácil, não é. Encarar o meu medo, me dar uma chance de não continuar esta dança macabra. Começar um novo assunto. Fazer outro texto. Um novo parágrafo. Estes são os meus desejos e oração de hoje. Amém!...

sábado, 3 de janeiro de 2009

Um gato...


Pensando? Rs! Pode até ser(*#@&%$)!!!
Está fazendo calor. Não posso reclamar, gosto mais de calor do que frio. No frio me sinto desamparada. Sabe, aquela sensação de que nada pode ser feito? Você veste não sei quantas roupas e continua com frio. O frio úmido então, é pior. Entra nos ossos. Então viva o calor! Que mania de reclamar.

Hoje vou colocar um link para um texto que a Clara do Bichinho de Jardim escreveu, no outro blog dela. Fiquei emocionada ao ler o seu belo texto e quero compartilhar com vocês.

Uma outra pessoa que escreve muito bem, é a Pri do Limão Expresso. Ela disse que tem as idéias, quando vai comprar pão. Achei interessante. Os meus insights são quando vou caminhar. Faço textos maravilhosos e quando chego em casa, um branco de alvejante. Rs! Cada pessoa tem um lugar para isto acontecer, daí as anotações que muitos escritores fazem. Para não perderem “o fio da meada” já que estão tecendo textos. Hoje este está meio esburacado. Estou colocando retalhos. Um aqui outro ali e a colcha continua como um desenho surreal. Ou abstrato? Não decidi ainda. Muitas vezes o que é para ser lido está nas entrelinhas. Quando não consigo ver isto, melhor parar e ler uma poesia. Ou um alguma coisa assim:
“PALAVRAS
Há palavras verdadeiramente mágicas. O que há de mais assustador nos monstros é a palavra “monstro”. Se eles se chamassem leques ou ventarolas, ou outro nome assim, todo arejado de vogais, quase tudo se perderia do fascinante horror de Frankenstein...”
Trecho do Caderno H – Mário Quintana.

Palavras...

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Imagens e lembranças...


Estou no tanque colocando uma roupa de molho. Começo a esfregar e o barulhinho sheck!sheck! das mãos misturadas ao sabão me fez desenhar uma lembrança. E junto com ela uma sensação boa. Aprendi a fazer o mesmo barulhinho que minha avó fazia, ao começar seu dia e “enfrentar uma pilha de roupas” a serem lavadas e esfregadas. Ah, como desejei saber lavar roupas assim. Era um serviço árduo, mas não era isto que minha cabeça de criança se encantou. Foi pelo barulhinho que hoje repito... Fico feliz com a lembrança e começo bem o dia. O segundo dia de 2009!
Não fiz listas de desejos, mas fui no “Saber é Bom demais” e joguei a minha moedinha na Fonte dos Desejos. Um jeito bom de começar o ano.

Bom, sempre precisamos saber mais alguma coisinha para incrementar o blog, das novidades que aparecem. Então nada como o Dicas Blogger editado pela Juliana Sardinha. Uma blogueira simpática, com uma lista de quem mais comenta no seu blog. Adorei!

E então a pergunta - Você está feliz?
“A Felicidade está em você. Não nos outros.
Está dentro de nós. Não é um ponto de chegada. Não é no amanhã. É um estado de espírito. Capacidade de se encontrar confortável dentro da minha própria pele.”

São perguntas e respostas que encontramos nos livros, nas citações então que tal descobrir a sua? Um desafio e tanto. Elas podem não estarem corretas, mas fazem pensar em soluções em vez de problemas. Achar respostas prontas, podem até me incentivar a fazer uma mudança necessária. Mas mudar requer mais. Tem que ser uma resolução interna e isto acontece quando me arrisco “andar” com meus próprios recursos, digo pensamentos.
Uma sugestão para o Ano Novo, que ainda aprendo todos os dias...

YouTube

Loading...