sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Janelas...

Janelas...
Como são suas janelas? Cobertas pelas cortinas? Ou sempre abertas para o sol, a brisa e os sons do mundo entrar?
Depende de sua localização, não é mesmo? A janela do meu quarto, é voltada para a nascente. Fica à minha direita e precisa ser protegida do sol. Estamos no verão e o sol às 9:30 da manhã inunda o quarto. Mesmo com as janelas fechadas. Por isto escolhi as que a cor da cortina fossem branco gelo. Posso trabalhar sem acender a luz . O sol ilumina indiretamente o quarto. Se é um dia de vento brando, à tarde posso abrir a janela, ver o mar. Meus olhos gostam de passear por ela.
Agora só posso imaginar enquanto escrevo e olhar pela fresta da janela, para ver se é isto mesmo: o mar hoje está cinza e o céu também. Com umas nuvens cinzas passeando por eles. Então viva o ambiente aconchegante criado pelas cortinas. O que posso dizer ainda sobre as janelas? Nem sempre podem ficar abertas. Por exemplo quando há chuvas, ventos fortes, fumaças. Preciso fechar as janelas, mesmo que por tempo determinado. Estou aqui pensando. Isto vale para dentro e para fora.
Agora são 14:32 e já posso abrir a janela se não estiver ventando muito e ver daqui um pedaço do mar. O céu está azul e o mar também. Olho mais um pouquinho sua imensidão, dou um profundo suspiro e continuo a escrever.
Sabe, uma das coisas mais poéticas que já ouvi sobre janelas? Foi um documentário chamado “Janelas da Alma.” Só consegui ver o trailler. Cheguei a me programar para ver e não deu certo. Para saber mais sobre o assunto vsitem o link. Vai completar o que estou dizendo e você vai gostar de saber.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/critica/ult569u741.shtml
Aqui um padacinho do que poderão ler na crítica completa:
“Acompanhando a torrente de discursos, as imagens são focadas, desfocadas e refocadas, alterando a percepção do espectador. O documentário mostra um mundo saturado de imagens que visam atrair o olhar para o consumo (as da propaganda) e o contrasta com paisagens desoladas, onde não há nada para ver.”

Este texto foi inspirado no comentário de Djabal no Blog Linha.Do texto: "Palavras encantadass..."
"Depois de conhecermos muitas e muitas janelas, acabamos por perceber que cada um tem a sua. Que, normalmente, a do vizinho é melhor.Gostoso é mantê-la sempre aberta, para vermos; porque - inevitavelmente - ela se fecha no final.
"O olho é a janela da alma, o espelho do mundo." Leonardo da Vinci

10 comentários:

  1. Minhas janelas sao abertas (descortinadas) todos os dias, como estamos no inverno e temos aquecimento central não dá para abri-las, todos os dias pela manha e fechadas a noite para aconchegar o ambiente.
    Gosto da luz do dia, gosto de trabalhar com a luz natural, procuro o sol sempre.
    bjks

    ResponderExcluir
  2. Olá Cris:
    Fiquei pensando em como será uma janela fechada. Acabei de fotografar. A minha é inundada de sol. Mesmo com a janela fechada. Se eu quiser dormir no escurinho tenho que providenciar algum artifício.
    Mas um lugar na penumbra é bom para descansar, não é mesmo?
    Obrigada pelo comentário.
    Beijos,
    Anny.

    ResponderExcluir
  3. Anny, quando acordo a primeira coisa que faço é afastar as cortinas e abrir as janelas. Me sinto sufocada com elas fechadas.

    "O olho é a janela da alma, o espelho do mundo" e quem é cego, não tem alma? Dizem também que a boca é a porta para ao pecado, será?

    Tentei achar o link de uma notícia que saiu essa semana destacando os trabalhos de pintura de um artista cego e não achei e questionei como algumas coisas não se explicam.

    Bom fim de semana! Beijus

    ResponderExcluir
  4. Luma:
    Não acredito que Leonardo Davinci tivesse uma visão assim. Acredito que esta é uma metáfora. Não ao pé da letra, certo?

    Ah, mas nem preciso abrir as janelas. O sol invade meu quarto sem pedir licença.Rs!
    Bom fim de semana!
    Beijus,
    Anny.

    ResponderExcluir
  5. Luma:
    Você visitou o link?
    Olha só um pedaço do que está por lá:"A abstração também é confrontada com visões bem concretas. O vereador cego Arnaldo Godoy, de Belo Horizonte, conta com ótimo humor como é a vida sem enxergar nada. O filósofo esloveno Eugen Bavcar, também ele cego, mostra como tira ótimas fotografias. É preciso ver para crer."
    Vale a pena dar uma "mergulhada" no link "Janelas..."
    Beijos.
    Anny.

    ResponderExcluir
  6. Oi Anny...
    gostei muito do blog... ainda não li tudo, mas gostei bastante...

    Estou com um blog pra falar sobre as coisas da vida... da uma passada lá!
    www.vivopelavida.com.br

    Você será muito bem vinda!

    ResponderExcluir
  7. Luis Vinicius:
    Obrigada pela visita. Leia os textos e depois comente sobre o assunto. Vou gostar e vou comentar no seu blog também. Capriche. Ok?
    Até mais.
    Anny.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Anny!
    Lindo o seu blog também.
    Voltarei com mais tempo, pois tenho que dar uma saidinha agora com o marido, mas adorei saber o que vc vê pela sua janela.
    Pela minha, aliás, mostrei ainda há pouco lá no blog, né.
    Quanto ao post sobre horóscopo vou esperar para ver, ok.

    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  9. "Janela: nascente, poente, aberta, fechada - vida."

    ResponderExcluir
  10. Djabal:
    Obrigada pela beleza de conto em 06 palavras.
    Valeu!
    Beijos,
    Anny.

    ResponderExcluir

Seu comentário é uma forma de conversa online.
Deixe sua opnião ou questione.
Não seja anônimo!
Obrigada.
Bem vindo!

YouTube

Loading...